Bula Royaltac EC

acessos
decanol
2802
Arysta Lifescience

Composição

Decanol 685 g/L Álcool alifático

Classificação

Regulador de crescimento
III - Medianamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato

Fumo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Não classificado
(Não classificado)
10 a 14 L p.c./ha 500 L de água/ha - - 7 dias. Entre o estádio final de botão e o estádio inicial de floração

Bombona de polietileno de alta densidade: 5, 10 e 20 L. Tambor/balde de aço/metal: 20 e 100 L. Bulk de aço/metal: 200, 250 e 1.000 L.

INSTRUÇÕES DE USO: ROYALTAC CE BR é um regulador de crescimento, com ação anti-brotante de contato para uso na cultura do fumo.

ÉPOCA DE APLICAÇÃO: As plantas de fumo devem ser capadas entre o estádio final de botão e o estádio inicial de floração. Todos os brotos que tiverem mais do que 3-4 cm devem ser removidos. ROYALTAC CE BR deve ser aplicado dentro de 2 dias após a capação. Tratando-se de um produto que atua exclusivamente por contato, todas as plantas que tenham caído, devem ser endireitadas para facilitar o contato da calda com todos os brotos.

DOSE: 10-14 litros de ROYALTAC CE BR em 500 litros de água/ha. A quantidade de ROYALTAC CE BR a ser usada depende do estágio das plantas e do número de plantas por hectare (stand). Quando se empregam pulverizadores costais, usar de 30-35 ml de calda por planta.

FREQUÊNCIA DE APLICAÇÃO: Normalmente uma aplicação é suficiente para controlar os brotos primários e secundários. Caso apareça uma brotação secundária, efetuar uma segunda aplicação entre 5 e 7 dias após a primeira.

PREPARO DA CALDA E MODO DE APLICAÇÃO: Misturar bem a quantidade de ROYALTAC CE BR a ser utilizada, em um volume de água 3 vezes maior. Colocar esta calda concentrada no tanque pulverizador que já deverá estar com o volume de água desejado, Adicionar sempre ROYALTAC CE BR à água e nunca adicionar água ao ROYALTAC CE BR. Pulverizar somente a parte superior das folhas. Para tanto, deve-se dirigir o jato de pulverização para baixo, mantendo-se os bicos a uma distância de 15 a 20 cm do topo da planta. Usar pressões baixas para evitar que as folhas virem com a pressão do jato de pulverização.

EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO: Utilizar pulverizadores costais manuais ou tratorizados com barra de pulverização. Utilizar bicos do tipo cone vazio.

INTERVALO DE REENTRADA: 7 dias após a aplicação.

INTERVALO DE SEGURANÇA: Suspender a aplicação 7 dias antes da colheita.

LIMITAÇÕES DE USO: Não efetuar aplicações sob o sol forte e sob temperaturas superiores a 35oC. As aplicações feitas sob estas condições, poderão causar danos às folhas, principalmente às mais novas, cujos sintomas são uma leve descoloração. Não aplicar sob condições de vento forte, pois a calda de pulverização não deverá atingir a face inferior das folhas.

ROYALTAC CE BR não deve ser aplicado sob condições de chuva e tão pouco quando as folhas estiverem molhadas. Quando uma aplicação tiver sido efetuada até uma hora antes da chuva e o produto sobre as folhas já tiver secado, não há necessidade de se efetuar uma nova aplicação.

PRECAUÇÕES GERAIS: Uso exclusivamente agrícola. Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilize equipamentos com vazamento. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas. Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas. Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Use protetor ocular. Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use máscaras cobrindo o nariz e a boca. Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use luva impermeável. Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos. Para abertura de embalagens, manipulação de embalagens cheias em uso, preparo e manuseio da calda, limpeza e manutenção de equipamentos de aplicação contaminados e descarte de embalagens vazias contaminadas, use macacão com mangas compridas, chapéu ou capuz, óculos protetor ou viseira facial, luvas, botas e avental impermeáveis; e máscara cobrindo o nariz e a boca. Não fume, não coma e não beba durante o manuseio com o produto.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Evite o máximo possível, o contato com a área de aplicação. Não aplique o produto na presença de ventos e nem nas horas mais quentes do dia. A pulverização do produto produz neblina. Use máscara cobrindo o nariz e a boca. Use macacão com mangas compridas, chapéu ou capuz, óculos protetor ou viseira facial, luvas, botas e avental impermeáveis; e máscara cobrindo o nariz e a boca. Não fume, não coma e não beba durante a aplicação do produto.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia. Mantenha o restante do produto adequadamente fechado na embalagem original, em local trancado, fora do alcance de crianças e animais. Tome banho, troque e lave as roupas de proteção separado das roupas domésticas. Evite ao máximo o contato com a área na qual já foi aplicado o produto, pois há risco de contaminação. Aguarde o término do intervalo de reentrada na área. Caso necessite entrar na área na qual foi aplicado o produto, use todos os EPI's destacados no item "Precauções durante a aplicação". Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção individual após cada aplicação do produto. Fique atento ao período de vida útil dos mesmos, seguindo corretamente as especificações do fabricante.

PRIMEIROS SOCORROS: Ingestão: Em caso de ingestão, não provoque vômito, beba água e procure imediatamente um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Não dê nada por via oral a uma pessoa inconsciente. Olhos: Em caso de contato com os olhos, lave-os com água em abundância e procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Pele: Em caso de contato com a pele, lave-a com água e sabão em abundância e procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Inalação: Em caso de inalação, procure lugar arejado e vá ao médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômica do produto.

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO: O n-decanol é um álcool graxo alifático de ocorrência natural, cujo ciclo começa na base da cadeia alimentar. Anelideos, crustáceos e simples organismos celulares, todos assimilam álcool e ácido graxo e são importantes no tocante do fluxo de lipídios na cadeia alimentar. Estudos realizados com peixes relataram que o álcool graxo é convertido, via oxidação ao ácido graxo. Algumas espécies têm a capacidade de converter cadeias curtas de ácidos, em cadeias maiores de ácidos poliinsaturados, sugerindo uma rápida assimilação do álcool graxo e excreção via fezes.

EFEITOS AGUDOS: ROYALTAC CE BR, quando testado em coelhos, se mostrou irritante para os olhos e moderadamente irritante para pele. DL50 oral (ratos): > 5000 mg/kg. DL50 dérmica (coelhos): > 6000 mg/kg.

EFEITOS CRÔNICOS: Por ser um álcool graxo de ocorrência natural, não há relatos de efeitos teratogênicos ou carcinogênicos com o n-decanol I como consequência de sua presença.

O produto não é mutagênico e não apresenta potencial de bioacumulação.

EFEITOS COLATERAIS: Por não ser o produto de finalidade terapêutica, não há como caracterizar seus efeitos colaterais.

ANTÍDOTO não específico. Tratamento sintomático em função do quadro clínico.

TELEFONE PARA OS CASOS DE EMERGÊNCIA: CENTRO DE INFORMAÇÃO TOXICOLÓGICA (C.I.T.) (00xx11) 50125311. UNIROYAL QUIMICA Ltda.: 0800771 1506.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é: Muito Perigoso Ao Meio Ambiente (Classe II). Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente. Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para organismos aquáticos. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Aplique somente as doses recomendadas. Não lave embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES: Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Isole e sinalize a área contaminada. Contate as autoridades locais competentes e a Empresa: UNIROYAL QUíMICA S/A. Telefone de Emergência: (11) 30444600 e (19) 5353600.

Utilize o equipamento de proteção individual -EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água.

Piso pavimentado: absorver o produto com serragem ou areia, recolher o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá ser mais utilizado. Neste caso, contate a empresa ou, o distribuidor ou qualquer representante da empresa na região. O produto deverá ser desativado conforme orientações de destinação adequada de resíduos e embalagens. Lave o local com grande quantidade de água;

Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado e adote os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação e adequada;

Corpos d'água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano e animal e contacte 'o centro de emergência.da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.

Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

DESTINAÇAO DE RESIDUOS E EMBALAGENS: As embalagens rígidas devem ser enxaguadas três vezes (tríplice lavagem) e a calda resultante acrescentada à preparação para pulverização. Não reutilize embalagens. As embalagens devem ser perfuradas, de maneira a torná-las inadequadas para outros usos (Obs: exceto em caso de existência do recolhimento das mesmas pela empresa). Observe as legislações Estadual e Municipal específicas. Fica proibido enterrar embalagens. Consulte o 6rgão Estadual de Meio Ambiente. Para desativação de restos de produto contate a empresa UNIROYAL QUÍMICA S/A. e Órgão Estadual de Meio Ambiente. A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação e aprovados pelo órgão estadual responsável, equipados com câmaras de lavagem de gases efluentes.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas (MIP), envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitoides), controle microbiano, controle por comportamento, variedades resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos, com mecanismos de ação distintos.
Recomenda-se, de modo geral, o manejo integrado de doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, controle biológico, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

Qualquer agente de controle de insetos pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se a praga-alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando-se as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticidas (MRI) pode-se prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga;
- Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula;
- Em caso de dúvidas, consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o Manejo de Resistência a Inseticidas (MRI);
- Incluir outros métodos de controle de insetos (Ex.: Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para a orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre MIP, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados. Qualquer agente de controle de insetos pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se a praga alvo desenvolver algum mecanismo de resistência a ele. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas (IRAC – BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil do inseticida:
- Qualquer produto para controle de pragas, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser usado em gerações consecutivas da praga;
- Usar somente as doses recomendadas na bula/rótulo;
- Consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência a Inseticidas;
- Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex.: controle cultural, biológico, químico, etc) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.