Bula Rufast 50 SC

acessos
Acrinathrin
1894
FMC - Campinas

Composição

Acrinatrina 50 g/L Piretróide

Classificação

Acaricida
III - Medianamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Contato, Ingestão

Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ácaro da leprose
(Brevipalpus phoenicis)
10 mL/100 L de água 2000 L de calda/ha - - 21 dias. 3 % dos ramos ou frutos com presença da praga

Frasco plástico/PET/COEX: 100 ml, 200 ml e 1 L.

INSTRUÇÕES DE USO:

Cultura Alvo Dose p.c.*
(mL/100 L água) Dose i.a.* *
(g/100 L água) Volume de calda L/ha
Citros Ácaro-da-leprose (Brevipalpus phoenicis) 10 mL 0,5 g 2.000
*produto comercial ** ingrediente ativo

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
Iniciar o tratamento quando a infestação da praga atingir o nível de dano econômico, ou seja, quando forem encontrados 3% de ramos ou frutos com presença de ácaros. Manter o monitoramento e caso necessário, utilizar outros acaricidas que possuam diferente mecanismo de ação.

MODO / EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO:
O produto deverá ser diluído em água na dose recomendada e aplicado em cobertura total das plantas.

Rufast 50 SC deve ser aplicado através de pulverizador de pistola tratorizado ou turbo atomizador. Em qualquer dos casos, é importante que haja uma total cobertura da parte aérea da planta.
Utilize bicos cônicos ou leque recomendados para o controle de ácaros. Quanto ao modelo de bicos, a distância entre eles e a pressão a ser utilizada, seguir a tabela dos fabricantes, a fim de obter um diâmetro de gotas de 50 a 200 micras, uma densidade de 50 a 70 gotas por cm2, e um volume de calda de 2000 litros por hectare.
Recomenda-se aplicar com temperatura inferior a 27 ºC, com umidade relativa acima de 60% e ventos de no máximo 10 km/h.
Considerar sempre que a umidade relativa do ar é o elemento mais importante na maior ou menor velocidade de evaporação das gotas. Gotas muito finas não atingem adequadamente o alvo, e propiciam deriva maior, enquanto que gotas muito grossas proporcionam deposição inadequada e escorrem para o solo.

PRECAUÇÕES GERAIS:

Produto para uso exclusivamente agrícola. Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto. Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados. Os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem: macacão, botas, máscara, viseira facial ou óculos, touca árabe e luvas de nitrila.
Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados.
Não utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos.
Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.

PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA:
Caso ocorra contato acidental da pessoa com o produto, siga as orientações descritas em primeiros socorros e procure rapidamente um serviço médico de emergência.
Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos.

Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão de algodão hidrorrepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; máscara com filtro mecânico classe P2; avental impermeável, óculos de segurança com proteção lateral, touca árabe e luvas de nitrila.
Manuseie o produto em local aberto e ventilado.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO
Evite o máximo possível o contato com a área tratada.

Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia. Verifique a direção do vento e aplique de modo a não entrar na névoa do produto.
Aplique o produto somente nas doses recomendadas e observe o intervalo de segurança (intervalo de tempo entre a última aplicação e a colheita).

Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão de algodão hidrorrepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; máscara com filtro mecânico classe P2; óculos de segurança com proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO
Caso necessite entrar na área tratada com o produto antes do término do intervalo de reentrada, utilize os equipamentos de proteção individual (EPls) recomendados para o uso durante a aplicação.
Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EPI), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
Os equipamentos de proteção individual (EPls) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem: touca árabe, viseira facial ou óculos, botas, macacão, luvas e máscara.
Tome banho imediatamente após a aplicação do produto.

Troque e lave as suas roupas de proteção separado das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeável.

Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto. Fique atento ao tempo de uso dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante.

Não reutilizar a embalagem vazia. No descarte de embalagens utilize equipamento de proteção individual - EPI

PRIMEIROS SOCORROS: procure logo um serviço médico de emergência levando a embalagem, rótulo, bula e/ou receituário agronômico do produto.

Ingestão: Se engolir o produto, não provoque vômito. Caso o vômito ocorra naturalmente, deite a pessoa de lado. Não dê nada para beber ou comer.

Olhos: Em caso de contato, lave com muita água corrente durante pelo menos 15 minutos. Evite que a água de lavagem entre no outro olho.

Pele: Em caso de contato, tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro.

* Grupo Químico: Piretróide
* Classe toxicológica: III - Mediamente Tóxico
* Vias de Exposição: Oral, inalatória, ocula e dérmica
* Toxicocinética: Em camundongos, os principais metabólitos encontrados na urina foram o conjugado sulfatado de ácido-p-hidroxi-3-fenoxibenzóico e o ácido 2,2-dimetil-1(3-carboxi)proenil-ciclopropano-3-carboxílico. Nas fezes, o principal metabólito foi o deshexafluoroisopropil-RU38702
* Mecanismo de toxicidade: Não existem estudos em seres humanos. Em estudo com camundongos, a maior concentração do produto nos tecidos ocorreu após 4 horas da administrção do produto, sendo que as maiores concentrações foram no trato gastro-intestinal, menosres no cérebro e músculos. A maior parte do produto radiomarcado foi excretado pelas urinas e feses entre 24e 48 horas.
* Sintomas e Sinais Clínicos: Em contato com a pele pode causar prurido, parestesia e sensação de ardência. Em contato com os olhos pode causar vermelhidão e prurido. Se ingerido em grandes quantidades pode causar dor epigástrica, nauséas, vômitos, fasciculação musculares, sonolência, convulsões e coma. Indivíduos com doenças da pele e respiratórias, principalmete asma podem ser mais susceptíveis aos efeitos adversos dos piretróides.
* Diagnóstico: Deve-se observar sintomatologia do paciente.
* Tratamento: Tratamento sintomático e de suporte de acordo com o quadro clínico. Não há antídoto específico. O uso de vitamina E tópico (acetato de tocoferol) pode amenizar os efeitos cutâneos causados pelos piretróides. A lavagem gástrica é indicada quando ingerido em grande quantidade, prevenindo-se a aspiração pulmonar. Medicação de apoio conforme sintomas e intensidade.

• Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente.
• Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para microcrustáceos e peixes.
• Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para abelhas, podendo atingir outros insetos
benéficos. Não aplique o produto no período de maior visitação das abelhas.
• Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza.
• Não utilize equipamento com vazamento.
• Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
• Aplique somente as doses recomendadas.
• Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d' água. Evite a contaminação da água.
• A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.
2. INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:
• Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
• O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos,
bebidas, rações ou outros materiais.
• A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustível.
• O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
• Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
• Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
• Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
• Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da Associação Brasileira de NOlmas Técnicas - ABNT.
• Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.
3. INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES:
• Isole e sinalize a área contaminada.
• Contate as autoridades locais competentes e a Empresa BA YER SI A - telefone de emergência: 0800-243334.
• Utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão imperneável, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara com filtro).
Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em contato com bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções abaixo:
Piso pavimentado: absorva o produto com serragem ou areia, recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. \""
produto derramado não deverá mais ser utilizado. Neste caso, consulte o registrante 000 ~ através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.

Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa registrante conforme indicado acima.

Corpos d'água: interrompa imediatamente a capta��ão para o consumo humano ou animal, contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.

Em caso de incêndio, use extintores de ÁGUA EM FORMA DE NEBLINA, de C02 oU PÓ QUÍMICO, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

Incluir outros métodos de controle de insetos e ácaros (ex.: Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticidas (MRI) poderíamos prolongar a vida útil dos inseticidas:
? Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
? Utilizar somente as dosagens recomendadas na bula.
? Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o MRI.
? Incluir outros métodos de controle de insetos (ex.: Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.