Bula Savey WP

acessos
Hexythiazox
28903
Du Pont

Composição

Hexythiazox 500 g/kg Tiazolidinacarboxamida

Classificação

Acaricida
II - Altamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Pó molhável (WP)
Contato
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ácaro da leprose
(Brevipalpus phoenicis)
3 g p.c./100 L de água 10 L de calda / planta - Só reaplicar o produto com intervalo mínimo de 12 meses na mesma área. 30 dias. Realizar uma aplicação quando for constatado um um máximo de 2% de infestação com o ácaro da leprose. A aplicação deve ser feita de maneira a se ter um perfeito molhamento da parte externa, e principalmente da parte interna da planta

-Sacos aluminizados contendo saquinhos hidrossolúveis com 15, 30, 45, 60, 75, 90 e 120 g.
-Frascos de plásticos de 15, 30, 60, 240, 300, 480, 600 g; e 1,0; 1,2; 1,5 e 2,0 Kg.
-Sacos de polietileno e sacos multifoliados de papel de 15, 30, 60, 240, 300, 480, 600 g; 1,0, 1,2, 1,5, 2,0, 5,0, 10,0; 20,0; 30,0; 40,0; 50,0; 70,0; 100 e 200 Kg.
-Baldes plásticos de 1,0; 1,2; 1,5; 2,0; 5,0; 10,0; 20,0; 30,0; 40,0; 50,0; 70,0; 100,0 e 200,0 Kg.
-Barricas e caixas de papelão ou de fibra de 240, 300, 480, 600 g; e 1,0; 1,2; 1,5; 2,0; 5,0; 10,0; 20,0; 30,0; 40,0; 50,0; 70,0; 100,0 e 200,0 Kg.

INSTRUÇÕES DE USO: SAVEY é um acaricida específico que apresenta ação sobre os ovos e larvas, possuindo efeito esterilizante sobre novas ovoposições de fêmeas adultas. O controle ocorre pelo seu contato direto com o produto pulverizado, ou pelo seu contato com as superfícies tratadas das plantas. SAVEY possui ação translaminar, não apresentando ação sistêmica.

FORMA DE APLICAÇÃO: APLICAÇÃO TERRESTRE: misturar a quantidade recomendada de "SAVEY" no tanque pulverizador com 1/4 de sua capacidade com água e completar o volume, mantendo a calda sempre em agitação. Equipamento: atomizador costal ou tratorizado, ou pistola de aplicação; Pressão: 100-120 lbs/pol2. Tipo de bico: cônico em pistola, ou cônico com difusor nos atomizadores. Volume de aplicação: aplicar volume necessário para uma completa cobertura de todas as partes da planta. Aplicar até o ponto de escorrimento (10 L/planta).

CULTURA, PRAGAS, DOSE, INÍCIO, NÚMERO, ÉPOCA OU INTERERVALO DAS APLICAÇÕES E OBSERVAÇÕES: Citros (Laranja): Ácaro da leprose (Brevipalpus phoenicis): 3,0 gramas por 100 L de água (10 L de calda por planta). Realizar uma aplicação imediatamente após a primeira florada, coincidente com a queda de 2/3 das pétalas, ou, em outras épocas, quando for constatado máximo de 2% de frutos com a presença do ácaro da leprose.

LIMITAÇÕES DE USO: PERÍODO DE CARÊNCIA: Citros(laranja, casca ou polpa): 30 dias.

FITOTOXICIDADE: Nas doses recomendadas, o produto não é fitotóxico à cultura indicada.

OUTRAS RESTRIÇÕES A SEREM OBSERVADAS: Devido sua ação ovicida/larvicida, o efeito de redução na população de ácaros adultos é observado 20 a 30 dias após a aplicação de SAVEY. Só reaplicar o produto com intervalo de 12 meses na mesma área. No caso da reinfestação de adultos durante o período de 12 meses, aplicar um produto adulticida, seguindo as instruções do seu rótulo.

MEDIDAS GERAIS E PRIMEIROS SOCORROS: Leia e siga as instruções do rótulo. Durante a manipulação, preparação da calda ou aplicação, use macacão com mangas compridas, chapéu impermeável de abas largas e botas. Mantenha o produto afastado de crianças e animais domésticos. Evite comer, beber ou fumar durante o manuseio ou aplicação do produto. Mantenha o produto afastado de alimentos ou ração animal. Não contamine lagos, fontes, rios e demais coleções de água, lavando as embalagens ou aparelhagem aplicadora, bem como lançando-lhes seus restos. Mantenha a embalagem original sempre fechada e em lugar seco e ventilado. Inutilize e enterre profundamente as embalagens do produto. Mantenha afastado das áreas de aplicação crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas por um período de 7 dias após a aplicação do produto. Não utilize equipamento com vazamentos. Não desentupa bicos, orifícios, válvulas, tubulações, etc, com a boca.

Uso exclusivamente agrícola. Após a utilização do produto, remova as roupas protetoras e tome banho. Não dê nada por via oral a uma pessoa inconsciente. Distribua o produto da própria embalagem sem contato manual. Procure imediatamente assistência médica em qualquer caso de suspeita de intoxicação. Aplique somente as doses recomendadas. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas, use luvas impermeáveis. Mantenha a embalagem longe do fogo. Em caso de ingestão acidental provoque vômito e procure imediatamente o médico levando a embalagem ou o rótulo do produto. Evite a inalação ou aspiração do produto. Caso isso aconteça procure local arejado e se houver sinais de intoxicação chame o médico. Evite o contato com a pele. Caso isso aconteça, lave imediatamente as partes atingidas com água e sabão em abundância e se houver sinais de irritação procure um médico. Evite o contato com os olhos. Caso isso aconteça lave-os imediatamente com água corrente por 15 minutos e se persistir a irritação procure um médico levando a embalagem ou o rótulo do produto. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Tóxico para abelhas.

SINTOMAS DE ALARME: Não são conhecidos sintomas típicos causados por intoxicação pelo produto.

ANTÍDOTO E TRATAMENTO: Não existe antídoto específico. Em caso de ingestão, inalação, contato com olhos e pele, proceder a um tratamento sintomático sob supervisão médica.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Além dos métodos recomendados para o manejo de resistência aos acaricidas, incluir outros métodos de controle (ex. : controle cultural, biológico, etc...) dentro do Programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP), quando disponível e apropriado.

Quando acaricidas com um mesmo modo de ação são usados consecultivamente no mesmo ciclo da cultura e área, para controlar as mesmas pragas, populações tolerantes, de ocorrência natural, podem ser selecionadas, propagarem-se e tonarem-se dominantes na área.
Uma praga é considerada resistente a um acaricida se ela sobrevive ao tratamento correto, na dose e época recomendadas, sob condições climáticas normais.
O manejo de resistência pode ser feito atravás da utilização de várias estratégias. No que diz respeito ao controle químico, uma boa prática de manejo é a utilização de produtos de com diferentes modos de ação.
Sempre consultar um engenheiro agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o manejo de resistência de acaricidas.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.