Bula Sempra - UPL

Bula Sempra

CI
Halossulfurom-metílico
7594
UPL

Composição

Halossulfurom-metílico 750 g/kg

Classificação

Terrestre/Aérea
Herbicida
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Seletivo, Sistêmico

Tipo: Embalagem
Material: Hidrossolúvel ou de papel(aluminizado ou plastificado) acondicionada em caixa de papelão de 1,5 kg
Capacidade: 150 g.

Tipo: Saco
Material: Papel, plástico, polietileno ou metalizado
Capacidade: 10; 15; 20; 30; 40; 50; 60; 75; 100; 200; 250; 500; 600 e 750 g.

Tipo: Caixa, frasco ou cartucho.
Material: Papel, metálico ou plástico
Capacidade: 1,0; 1,5; 2,0; 3,0; 2,5; 4,0; 4,5; 6,0; 8,0; 15 e 25 kg.

Tipo: Tambor
Material: Metálico ou plástico
Capacidade: 250 kg.

Tipo: Tambor
Material: Metálico
Capacidade: 20; 50; 100; 150 e 200 kg.

Tipo: Container
Material: Metálico ou em estrutura de madeirite naval com bolha
Capacidade: 100; 200; 500; 1.000; 1.100; 1.200; 1.300; 1.500 e 20.000 kg.

Tipo: Big-bag
Material: Tecido com proteção impermeável
Capacidade: 100; 150; 200; 250; 300; 400; 500; 750; 1.000; 1.500; 2.000; 5.000 e 10.000 kg.

INSTRUÇÕES DE USO

SEMPRA deve ser aplicado em pós-emergência das culturas e das plantas daninhas.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

CANA-DE-AÇÚCAR

O melhor período para controlar a tiririca, com a aplicação de SEMPRA, é de 30 a 40 dias após o plantio ou cultivo da cana-de-açúcar, quando a planta daninha deverá estar no final da fase vegetativa ou início do florescimento.
Importante: Aplicar SEMPRA quando a tiririca estiver em boas condições de desenvolvimento e sem efeito de stress hídrico (condições de seca). Fazer uma única aplicação de SEMPRA durante o ciclo da cultura.

FEIJÃO

Fazer uma única aplicação de SEMPRA em pós-emergente inicial, até a emissão do segundo trifólio da planta daninha.

GRAMADOS

O SEMPRA deve ser utilizado para combate as Ciperáceas na gramas cultivas de clima quente: Axonopus affinis = Axonopus fissifolius (São Carlos), Zoysia matrella (Grama Coreana), Cynodon dactylon (Grama Bermudas), Paspalum notatum (Grama Batatais), Paspalum vaginatum (Conquista / SeaShore Paspalum), Stenotaphrum secundatum (Grama Santo Agostinho) e Zoysia japonica (Grama Esmeralda). Aplicar nas plantas daninhas entre o estádio vegetativo e do florescimento. Fazer as demais aplicações quando houver o rebrote das Ciperáceas. No máximo 3 aplicações por ciclo de produção de gramados.

MODO DE APLICAÇÃO

SEMPRA pode ser aplicado através de equipamentos terrestres ou aéreos, observando-se as recomendações que se seguem:
Para cultura da cana e na produção de gramados, SEMPRA deve ser aplicado em mistura com surfactante (preferencialmente, à base de Polioxietileno amina) na dose de 1,0 litro por hectare.

Aplicação Terrestre:

1. Tratorizado:
Tipo de Bico: 110.015/110.02
Vazão (L/ha): 150-200
Pressão (lb/pol²): 20-40
Tamanho de Gotas (µm): 200-600
Densidade (gotas/cm²): 20-40

2. Convencional:
Tipo de Bico: 110.03/110.04 1
Vazão (L/ha): 150-200
Pressão (lb/pol²): 20-40
Tamanho de Gotas (µm): 200-600
Densidade (gotas/cm²): 20-40

3. Costal Manual:
Tipo de Bico: 80.02/110.02
Vazão (L/ha): 150-200
Pressão (lb/pol²): 20-40
Tamanho de Gotas (µm): 200-600
Densidade (gotas/cm²): 20-40

Aplicação Aérea (apenas para cultura da cana-de-açúcar):
- Aeronaves de asa fixa, Ipanema (qualquer modelo). As aeronaves deverão estar equipadas com barras e bicos de jato cônico da série D (D7-46; D12-45; D14-45; D16-45 ou 8015) ou similar, com difusores em cone adequado a uma cobertura uniforme sem escoamento do produto, de forma a obter uma deposição mínima sobre o alvo de 20 gotas/cm² com DMV 420-450 micra, a pressão aproximada de 30 psi.
Nestes aviões deverá ser utilizada barra de pulverização, com um total de 40-42 bicos. Os bicos da extremidade da asa em número de 4-5 em cada uma delas deverão ser fechados a fim de evitar a influência e arraste das gotas de pulverização pelos vórtices da ponta da asa. Os bicos da barriga em número de 8, deverão permanecer abertos e no mesmo ângulo dos bicos utilizados nas asas.
A faixa de deposição será de 15 m para qualquer modelo do avião Ipanema, com a aeronave voando entre 3 a 5 m em relação ao alvo de deposição. Utilizar um volume de água de 40 a 50 litros por hectare.
Para outros tipos de aeronave consultar o Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da UPL.

RECOMENDAÇÕES GERAIS

* Para a cultura da cana, aplica-se SEMPRA em área total, em pós-emergência, independente do estádio de desenvolvimento e da variedade, tanto para cana planta como para cana soca, pois o produto é totalmente seletivo à cultura de cana-de-açúcar.
* Quando a cultura estiver muito desenvolvida, realizar aplicação com pingente, para evitar possível efeito guarda-chuva. A eficiência do produto é visualizada entre o 7º e o 10º dia após o tratamento.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Cana-de-açúcar: Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego: uso em pós-emergência até 3 meses após o plantio ou corte.
Feijão: 30 dias
Gramados: Uso não alimentar.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPl's) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

- Uso exclusivamente agrícola
- Consulte sempre um Engenheiro Agrônomo
- Sob ameaça de chuva, suspenda a aplicação. Caso ocorra chuva nas primeiras 3 horas após a aplicação, a eficiência do produto pode diminuir. Este intervalo de tempo é necessário para a absorção do produto pelas folhas e sua translocação pela planta.
- Não capinar ou roçar ou gradear as plantas daninha antes ou até um período de 48 horas após a aplicação de SEMPRA.
- O produto não deve ser aplicado com solo seco e/ou com a planta daninha apresentando stress hídrico.
- O produto não deve ser aplicado sem adição de surfactante e com volume de pulverização menor que 200 L/ha nas aplicações terrestres, com barra ou pulverizador costal.
- O uso é restrito para áreas de produção de gramados. Não deve ser utilizado em ambientes residências e na jardinagem.
- Fitotoxicidade: O produto não é fitotóxico para as culturas indicadas, desde que observadas as recomendações de uso.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso sucessivo de herbicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e um consequente prejuízo.
Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas e para evitar os problemas com a resistência, seguem algumas recomendações:
- Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo B para o controle do mesmo alvo, quando apropriado.
- Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas.
- Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto.
- Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas.
- Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hrac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO B HERBICIDA

O produto herbicida Sempra é composto por HALOSSULFUROM-METÍLICO, que apresenta mecanismo de ação dos Inibidores da acetolactato sintase (ALS) (síntese de aminoácido de cadeia ramificada), pertencente ao Grupo B, segundo classificação internacional do HRAC (Comitê de Ação à Resistência de Herbicidas).