Bula Stam 800 WG

acessos
Propanil
3798
UPL

Composição

Propanil 800 g/kg Anilida

Classificação

Herbicida
III - Medianamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Contato, Seletivo

Arroz Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Angiquinho
(Aeschynomene rudis)
4,5 L p.c./ha 400 a 600 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Em condições de seca recomenda-se uma segunda aplicação quando houver reincidência das plantas infestantes. 80 dias. Quando as plantas já estiverem germinado e crescido normalmente alcançando o estágio de 2 a 3 folhas (15 a 20 dias após a germinação do arroz)
Capim arroz
(Echinochloa crusgalli)
4,5 L p.c./ha 400 a 600 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Em condições de seca recomenda-se uma segunda aplicação quando houver reincidência das plantas infestantes. 80 dias. Quando as plantas já estiverem germinado e crescido normalmente alcançando o estágio de 2 a 3 folhas (15 a 20 dias após a germinação do arroz)
Capim arroz
(Echinochloa cruz-pavonis)
4,5 L p.c./ha 400 a 600 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Em condições de seca recomenda-se uma segunda aplicação quando houver reincidência das plantas infestantes. 80 dias. Quando as plantas já estiverem germinado e crescido normalmente alcançando o estágio de 2 a 3 folhas (15 a 20 dias após a germinação do arroz)
Capim arroz
(Echinochloa colona)
4,5 L p.c./ha 400 a 600 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Em condições de seca recomenda-se uma segunda aplicação quando houver reincidência das plantas infestantes. 80 dias. Quando as plantas já estiverem germinado e crescido normalmente alcançando o estágio de 2 a 3 folhas (15 a 20 dias após a germinação do arroz)

Frasco plástico de 1 L. Bombona plástica de 5, 10, 20, 50 e 100 L.

INTRUÇÕES DE USO:

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO: STAM 800 WG deve ser aplicado quando as plantas tiverem germinado e crescido normalmente alcançando o estágio de 2 a 3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 e 20 dias após a germinação do arroz. Em condições de seca recomenda-se uma segunda aplicação quando houver reincidência das plantas infestantes.

MODO DE APLICAÇÃO: STAM 800 WG é um herbicida de contato para uso no controle de plantas infestantes em pós-emergência na cultura do arroz. STAM 800 WG é seletivo e atua somente sobre as partes verdes das plantas com as quais entra em contato.
STAM 800 WG é indicado para aplicações terrestres e aplicações aéreas, podendo ser aplicado por aviões agrícolas, helicópteros e pulverizadores costais. Para se obter um ótimo controle, é necessário uma cobertura completa e uniforme das plantas.

APLICAÇÃO TERRESTRE:
Pulverizadores tratorizados e/ou costais equipados com bicos cônicos da série D (D3, D4), com cone (espiral) 23, 25 ou 45, ou leques da série 80.02, 80.03, 80.04, 110.02, 110.03 ou 110.04.Devem ser utilizados volumes de 400-600 litros de calda por hectare e pressão de 30-40 libras por polegada quadrada. A velocidade do trator deve ser de 6 a 8 km/hora. Não aplicar o produto na presença de ventos superiores a 6 km/hora.

APLICAÇÃO AÉREA:
Aviões agrícolas equipados com barra ou helicópteros poderão ser utilizados na aplicação de STAM 800 GD. A altura de vôo não deve ser maior que 2 metros e a largura da faixa deve ser pré-determinada para cada tipo de avião, podendo variar de 12 a 16 metros. Para assegurar uma aplicação uniforme é importante colocar bandeirinhas para demarcar a largura da faixa e orientar o vôo. O equipamento de aplicação aérea deverá estar calibrado para uma vazão de 30-50 litros de calda por hectare. Utilizar 46 a 56 bicos na barra, do tipo D8, D10 ou D12. O tamanho das gotas está compreendido entre 100 e 150 micras.

NOTAS:Para aplicações terrestres e aéreas deve-se observar um mínimo de umidade relativa de 55% e temperatura máxima de 27oC. A critério do Engenheiro Agrônomo ou do Técnico responsável, as condições de aplicação poderão ser alteradas.

Preparo do solo: Para se eliminar o maior número de plantas infestantes com uma só aplicação de STAM 800 WG, é necessário que ocorra uma germinação uniforme do arroz e das plantas. Isto é conseguido com um bom preparo do solo. Arroz irrigado: Retirar totalmente a água da lavoura antes das aplicações de STAM 800 WG. Para evitar a germinação de uma segunda camada de plantas infestantes, efetuar a inundação dos campos de arroz 2 a 3 dias após a aplicação e manejar a água de acordo com a necessidade da cultura.

INTERVALO DE SEGURANÇA: Arroz: 80 dias.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: (De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana- ANVISA/MS).

LIMITAÇÕES DE USO:

FITOTOXICIDADE: Ausente quando utilizado conforme as recomendações. Sob certas condições, ligeiro amarelecimento pode ocorrer nas folhas do arroz, mas um completo reestabelecimento é esperado dentro de 7 a 10 dias.
Incompatibilidade: STAM 800 WG não deve ser aplicado junto com inseticidas organofosforados, carbamatos e fertilizantes foliares. A aplicação de inseticidas organofosforados deve ser feita 15 dias antes ou depois da aplicação do STAM 800 WG.

Para os carbamatos, observar um intervalo de 40 dias.Outras restrições: As culturas de soja, algodão, milho, hortaliças e plantas ornamentais são altamente sensíveis ao STAM 800 WG. Não aplicar STAM 800 WG quando a velocidade do vento for tão alta que possa causar falhas na cobertura das plantas ou deriva para outras culturas.Chuvas no período de 3-6 horas após a aplicação podem reduzir a efetividade de STAM 800 WG.

PRECAUÇÕES GERAIS: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilize equipamento com vazamento. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Use protetor ocular: Produto irritante para os olhos. Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente, VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use máscara cobrindo o nariz e a boca: Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use luvas de borracha: Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Ao abrir a embalagem, faça-o com cuidado: Use macacão com mangas compridas, óculos ou viseira facial, luvas, botas, avental impermeável e máscara cobrindo o nariz e a boca.

PRECAUÇÕES DURANTE O USO: Produto irritante para os olhos. Evite o máximo possível o contato com a área de aplicação. Não aplique o produto contra o vento. Use macacão com mangas compridas, botas, avental impermeável, óculos ou viseira facial, luvas e máscara cobrindo o nariz e a boca.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia. Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. Tome banho, troque e lave suas roupas (não misture com roupas de uso diário).

PRIMEIROS SOCORROS: Ingestão: Não provoque vômito, beba água e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou o receituário agronômico do produto. Olhos: Lave com água corrente em abundância e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou o receituário agronômico do produto. Pele: Lave com água corrente em abundância e, se houver irritação, procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou o receituário agronômico do produto. Inalação: Procure local arejado e vá ao médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou o receituário agronômico do produto.

TRATAMENTO MÉDICO DE EMERGÊNCIA E ANTÍDOTO: Em condições normais, cianose de pequena intensidade pode ser tratada pela remoção do contato com o produto e lavagem da pele, couro cabeludo, espaços sub-ungueais, orelhas, genitais, etc. Porém, se a cianose for intensa, usar azul de metileno solução a 2%, endovenoso lento e assistência respiratória. Em alguns casos, pode-se associar Vitamina B12 para acelerar a reversão do processo.

MECANISMOS DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO: Após a absorção de PROPANIL por via digestiva, este é distribuído igualmente pelo organismo, indo primariamente para o fígado, rins, sangue total e baço. Sofre extensa metabolização hepática, sendo excretado de forma metabolizada e conjugado ao ácido glicurônico ou outros ácidos carboxílicos endógenos. A principal via de excreção é a urina, por onde praticamente a totalidade absorvida é eliminada em 48 horas.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: DL 50 oral para ratos: 3700 mg/kg de peso corpóreo; DL 50 dermal para ratos: > 2000 mg/kg de peso corpóreo; Irritação dérmica: praticamente não irritante; Irritação ocular: moderadamente irritante. Vários estudos com animais de laboratório foram desenvolvidos com PROPANIL para avaliar o seu grau de toxicidade a longo prazo. A espécie mais sensível, o camundongo, apresentou uma dose de nenhum efeito observável de 5 mg/kg peso corpóreo/dia. Em ratos foi avaliado que os principais efeitos decorrentes da exposição crônica a este produto traduzem em sinais associados à metemoglobinemia e a subsequente hemólise oxidativa dos glóbulos vermelhos. Também é observado toxicidade sobre o fígado, com alterações microscópicas sobre os hepatócitos.

EFEITOS COLATERAIS: Uma vez que nenhum efeito terapêutico do produto é esperado para o homem, qualquer um dos efeitos acima descritos são considerados colaterais.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é MUITO PERIGOSO ao meio ambiente. Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente. Este produto é ALTAMENTE TÓXICO a organismos aquáticos (algas). Este produto é ALTAMENTE IRRITANTE para os olhos de mamíferos. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não execute aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância mínima de 500 (quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público; e de 250 (duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e culturas suscetíveis a danos. Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes às atividades aeroagrícolas. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto - siga as instruções da bula. Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO: Mantenha o produto em sua embalagem original. O local deve se ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre sacos plásticos disponíveis, para envolver adequadamente embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns maiores deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislações estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Contate as autoridades locais competentes e a Empresa. Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Isole e sinalize a área contaminada. Em caso de derrame, estancar o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou cursos de águas naturais, siga as instruções:

PISO PAVIMENTADO: Recolher o material com auxílio de uma pá e colocar em tambores ou recipientes devidamente lacrados e identificados. Remover para área de descarte de lixo químico. Lave o local com grande quantidade de água;

SOLO: Retirar as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adotar os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada;

CORPOS D'ÁGUA: Interromper imediatamente o consumo humano e animal e contactar o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido. Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes sejam implementados.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas infestantes resistentes a esse mecanismo de ação. Como prática de manejo de resistência em plantas infestantes deverão ser aplicados herbicidas, com diferentes mecanismos de ação. Os herbicidas deverão estar registrados para cultura. Não havendo produtos alternativos recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos consulte um Engenheiro Agrônomo.