Bula Suprathion 400 EC

acessos
Methidathion
1258803
Adama

Composição

metidationa 400 g/L Organofosforado

Classificação

Inseticida
II - Altamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato, Ingestão
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicudo
(Anthonomus grandis)
1 L p.c./ha 180 L de calda/ha - Aplica-se o produto em bateria de 3 aplicações espaçadas de 5 dias. 21 dias. Deverá ser aplicado quando for observado 10% dos órgãos reprodutivos da planta atacados
Maçã Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca sul americana
(Anastrepha fraterculus)
100 mL p.c./100L água 1800 L de calda/ha - Reaplicar se necessário. 21 dias. Aplicar sempre que detectada a presença da praga

Embalagens: 1, 5, 20 e 200 litros.

INSTRUÇÕES DE USO: O SUPRATHION 400 EC é um inseticida organofosforado com modo de ação de contato e ingestão e deve ser utilizado conforme as intruções a seguir apresentadas.

MODO DE APLICAÇÃO: O SUPRATHION 400 EC deve ser aplicado nas partes aéreas das culturas de algodão, citros e maçã.

ÉPOCA DE APLICAÇÃO E FREQÜÊNCIA:
ALGODÃO: O produto deverá ser aplicado sempre que foor observado 10% dos órgãos reprodutores de planta atacados. Aplica-se o produto em bateria de 3 aplicações espaçadas de 5 dias. Reaplicar o produto quando o nível de controle (NC) for novamente atingido. Recomenda-se a aplicaçãona área total, para maior proteção, pois nãao resta´rão bicudos nas proximidades para a reinfestação através de bordaduras.

CITROS: a melhor época para controle é a primavera, quando deve ser realizada uma pulverização cuidadosa, procurando recobrir os órgãos da planta, que são preferencialmente pela espécie presente.

MAÇÃ: realizar a aplicação do produto sempre que detectado a presença da praga. Reaplicar se necessário. O monitoramento da mosca-das-frutas deve ser efetuado por meio da instalação de frascos caça-moscas, cujho número varia em função da área do pomar, colocados no terço médio da planta e distribuídos na sua periferia. Utiliza-se suco de uva como atrativo nos frascos.

VOLUME DE CALDA: o volume de calda está relacionado com a adequada cobertura para se atingir o alvo, de modo que o produto entre em contato com a praga.
ALGODÃO: Utilizar 180 L de calda/ha.
CITROS: devido ao porte da planta, a alta densidade foliar dos citros e ao alvo a ser atingido a aplicação deve ser em alto volume, molhando-a até o ponto de escorrimento.

MAÇÃ: Utilizar até 1800 L de calda/ha dependendo do porte da palnta. Observar que o volume de calda a ser utilizado deve ser até o ponto de gotejamento.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Algodão: 21 dias
Citros: 28 dias
Maçã: 21 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: De acordo com o aprovado pelo órgão responsável pela Saúde Humana - ANVISA/MS.

LIMITAÇÕES DE USO:
Fitotoxicidade: O produto não é fitotóxico nas doses recomendadas.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS:
Suprathion Fersol 400 CE por ser miscível pode ser aplicado por meio de pulverizadores costais ou tratorizados, pistola ou por turbo atomizador, segundo os parâmetros a seguir:
Costal manual: Tipo de bico: Cônico vazio com difusor;Pressão: 360 (PSI);Faixa de aplicação:Jato dirigido ou de acordo com a largura da barra.
Tratorizado pistola: Tipo de bico: Cônico vazio com difusor;Pressã: 150-300 (PSI);Faixa de aplicação: Jato dirigido às plantas.
Turbo atomizador: Tipo de bico: Cônico vazio com difusor;Pressão: 150-300 (PSI);Faixa de aplicação: Jato dirigidoàs plantas.

PRECAUÇÕES E MANUSEIO: MEDIDAS GERAIS: Durante a manipulação, preparação da calda ou aplicação, use macacão com mangas compridas, capa ou avental impermeável, luvas impermeáveis, chapéu de abas largas, botas, óculos protetores, máscara protetora especial, provida de filtros adequando ao produto. Leia e siga as instruções do rótulo. Mantenha o produto afastado de crianças e animais domésticos. Evite comer, beber, ou fumar durante o manuseio ou aplicação do produto. Mantenha o produto afastado de alimentos ou ração animal. Não contamine lagos, fontes, rios e demais coleções de água lavando as embalagens ou aparelhagens aplicadoras bem como lançando-lhes seus restos. Mantenha a embalagem original sempre fechada e em lugares seco e ventilado. Inutilize e enterre profundamente as embalagens do produto. Mantenha afastado de áreas de aplicação, crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas por um período de 7 dias a aplicação do produto.Não utilize equipamento com vazamentos. Não desentupa bicos,orifícios, válvulas, tubulações etc. com a boca. Uso exclusivamente agrícola. Após a utilização do produto remova as roupas protetoras e tome banho. Não dê nada via oral a uma pessoa inconsciente. Distribua o produto da própria embalagem, sem contado manual. Procure imediatamente assistência médica em qualquer caso de suspeita de intoxicação. Aplique somente as doses recomendadas. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas, use luvas impermeáveis. Não aplique o produto na presença de ventos fortes o nas horas mais quentes. Tóxico para peixes e organismos aquáticos. Produto inflamável. Tóxico para abelhas. Tóxico para fauna silvestre.

PRIMEIROS SOCORROS: Em caso de ingestão acidental não provoque vômito, beba água e procure imediatamente um médico levando a embalagem ou rótulo do produto. Evite a inalação ou aspiração do produto. Caso isso aconteça remova imediatamente o paciente para local arejado e chame logo o médico. Evite o contato com a pele. Caso isso aconteça lave as partes as partes atingidas imediatamente com água e sabão em abundância e procure logo um médico, levando a embalagem ou rótulo do produto. Produto irritante para os olhos. Evite contato como os olhos. Caso isso aconteça lave-os imediatamente com água corrente durante 15 minutos e procure um médico, levando a embalagem ou rótulo do produto.

SINTOMAS DE ALARME: Fraqueza, dor de cabeça, opressão no peito, visão turva, pupilas não reativas, salivação abundante, suores, náuseas, vômitos, diarréias, cólicas abdominal.

ANTÍDOTOS E TRATAMENTO (informações para uso médico): sulfato de atropina é o antídoto de emergência em caso de intoxicação. Nunca administre sulfato de atropina antes do aparecimento dos sintomas de intoxicação. Se o acidentado parar de respirar, aplique imediatamente respiração artificial. Transporte-o imediatamente para assistência médica mais próxima. Sulfato de atropina, pelas vias intramuscular ou intravenosa (eventualmente também por via oral): 1 a 6 mg a 30 minutos, até atropinização leve. Oximas (Contrathion): 1 a 2 g/dia nos 3 primeiros dias. Contra-indicações: morfina, aminofilina, tranqüilizantes.

DADOS TOXICOLÓGICOS: Do produto técnico: DL 50 oral (ratos): 44 mg/kg; DL 50 dermal (coelhos): 200 mg/kg. Fonte: Farm Chemicals 84 pg C 125. Do produto Formulado: DL 50 oral (ratos): 43,8 mg/kg; DL 50 dermal (coelhos) 2220 mg/kg. Fonte: TECPAR.

PERSISTÊNCIA E DEGRADAÇÃO NO AMBIENTE: O princípio ativo possui uma persistência CURTA no ambiente. Deslocamento no ambiente: O produto possui um deslocamento para as regiões vizinhas.

Outras práticas de controle devem ser aplicadas sempre que disponíveis, visando a proteção das plantas e o do meio ambiente. As táticas de controle devem incluir o monitoramento das pragas, o uso correto do produto quanto à época, ao princípio ativo, à dose, ao modo de aplicação e à tomada de decisão, visando assegurar resultados econômico, ecológico e sociologicamente favoráveis.

Qualquer agente de controloe de pragas pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas (IRAC - BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil dos inseticidas e acaricidas:

-Qualquer produto para controle de pragas da mesma classe ou do mesmo modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas a mesma praga.
-Utilizar somente as doses recomendadasno rótulo/bula.
-Para maiores esclarecimentos consultar um Engenheiro Agrônomo.
-Incluir outros métodos de controle de pragas (exemplo, controle cultural, biológico, etc.)dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponíveis e apropriados.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.