Bula Tagger

CI
Lufenurom
27420
Alta

Composição

Lufenurom 50 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Inseticida
4 - Produto Pouco Tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Fisiológico

Tipo: Balde
Material: Metálico e Plástico
Capacidade: 2,5; 5; 10; 15; 20; 25; 50 L

Tipo: Bombona
Material: Plástico
Capacidade: 2,5; 5; 10; 15; 20; 25; 50 L

Tipo: Frasco
Material: Metálico e Plástico
Capacidade: 0,1; 0,2; 0,25; 0,5; 1; 2; 5; 10; 20 L.

INSTRUÇÕES DE USO

O TAGGER é indicado para controle de pragas nas culturas de milho, soja e trigo.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

Pelo seu mecanismo de ação sobre os insetos, o TAGGER não possui efeito de choque sobre as pragas mencionadas, e sua plena eficiência começa a manifestar-se entre 3-5 dias após a pulverização. Apesar de eficiente contra as lagartas em qualquer fase de seu desenvolvimento, deve-se iniciar as pulverizações, quando os insetos estão ainda na fase de ovo ou no 1º ou 2º ínstar de desenvolvimento, quando ainda não causa prejuízos as culturas e, portanto, não precisam ser eliminadas rapidamente.

MODO E EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO

A dose recomendada do TAGGER deve ser diluída em água e aplicada sob a forma de pulverização com qualquer tipo de equipamento terrestre, costal ou tratorizado, ou também através de aeronaves especializadas para pulverização agrícola. Para uma cobertura uniforme sobre as plantas, nas pulverizações terrestres recomenda-se o seguinte:
- Soja e Trigo: Utilizar bicos de jato cônico com um volume de água entre 80 e 200 litros/ha.
- Milho: Utilizar bicos de jato leque preferencialmente 8004. Para reduzir a perda de calda recomenda-se fechar os bicos que ficarão nas entre-linhas da cultura, deixando em atividade somente aqueles sobre as linhas da cultura. Em condições climáticas normais usar volume de calda de 150 a 200 litros/ha aumentando para 300 a 400 litros/ha sob condições de seca e baixa volume.

Equipamentos / Parâmetros Para Pulverização
AVIÃO IPANEMA
Tipos e número de bicos: - Jato cônico vazio com 37 bicos - 4 micronira da série AU 3000 ou 6 a 8 da série AU 5000.
Pressão (l/pol²): 15 a 40
Espectro de gotas: DMV entre 200 a 400 µm e cobertura no alvo com densidade de 20 a 30 gotas/cm².
Faixa de deposição: 20 metors (Largura da faixa recomendada para aviões do tipo IPANEMA e similares. Para aeronaves de maior porte, consultar Eng.º Agrônomo da ALTA)
Altura de voo: 2 a 4 metros

ATOMIZADOR TRATORIZADO
Tipos e número de bicos: Uma turbina ou uma ponta dosadora especial
Pressão (l/pol²): 10 a 40
Espectro de gotas: DMV entre 200 a 400 µm e cobertura no alvo com densidade de 20 a 30 gotas/cm².
Faixa de deposição: 10 a 30 metros

ATOMIZADOR COSTAL
Tipos e número de bicos: Uma turbina ou uma ponta dosadora especial
Pressão (l/pol²): 10 a 40
Espectro de gotas: DMV entre 200 a 400 µm e cobertura no alvo com densidade de 20 a 30 gotas/cm².
Faixa de deposição: 4 a 8 metros

PULVERIZADOR TRATARIZADO COM BARRA
Tipos e número de bicos: Bicos de jato cônico vazio série “X” ou “D” em jato dirigido 9aplicação costal) e bicos leque ou “tweenjet” para aplicação tratorizado com barra
Pressão (l/pol²): 60 a 100
Espectro de gotas: Gotas médias com DMV entre 200 a 400 µm com cobertura total sem escorrimento e densidade mínima de 20 gotas/cm² no alvo.
Faixa de deposição: Equivalente ao comprimento da barra.

PULVERIZADOR COSTAL
Tipos e número de bicos: Bicos de jato cônico vazio série “X” ou “D” em jato dirigido 9aplicação costal) e bicos leque ou “tweenjet” para aplicação tratorizado com barra
Pressão (l/pol²): 20 a 40
Espectro de gotas: Gotas médias com DMV entre 200 a 400 µm com cobertura total sem escorrimento e densidade mínima de 20 gotas/cm² no alvo.
Faixa de deposição: Equivalente ao comprimento da barra.

CONDIÇÕES CLIMÁTICAS RECOMENDADAS

Aplicação terrestre
- Temperatura: < 30°C
- Velocidade do vento: < 10 km/h
- Umidade relativa: superior a 60%

Aplicação aérea
- Temperatura: < 30°C
- Velocidade do vento: entre 2,0 km/h e 10 km/h
- Umidade relativa: superior a 60%

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

- O TAGGER deve ser aplicado somente nas culturas de milho, soja e trigo;
- Não aplique o produto na presença de ventos com velocidade superior a 10 Km/h para não promover deriva para regiões vizinhas, prejudicando culturas sensíveis ao produtO;
- Fitotoxicidade para a cultura registrada: ausente se aplicado de acordo com as recomendações.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Controle físico e mecânico: utilizar barreiras físicas, como valas e coberturas plásticas, para dificultar a locomoção dos insetos para a plantação. Outras técnicas apropriadas incluem o uso de armadilhas plásticas, fitas adesivas, dentre outras. Controle através de práticas agrícolas: adotar práticas agrícolas tornando o plantio menos favorável às infestações, como incluir a rotação de culturas, seleção de áreas de plantio, plantio de culturas armadilhas, e ajuste do plantio e colheita na época menos favorável as infestações.

A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se um problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência. Para manter a eficácia e longevidade do TAGGER como uma ferramenta útil de manejo de pragas agrícolas, é necessário seguir as seguintes estratégias que podem prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência: Adotar as práticas de manejo a inseticidas, tais como:
- Rotacionar produtos com mecanismos de ação distinto do Grupo 15. Sempre rotacionar com produtos de mecanismo de ação efetivos para a praga alvo;
- Usar TAGGER pertence ao Grupo 15 (Inibidores da biossíntese de quitina, tipo 0, Lepidóptera) e o uso repetido deste inseticida ou de outro produto do mesmo grupo pode aumentar o risco de desenvolvimento de populações resistentes em algumas culturas ou outro produto do mesmo grupo químico somente dentro de um “intervalo de aplicação” (janelas) de cerca de 30 dias;
- Aplicações sucessivas de TAGGER podem ser feitas desde que o período residual total do “intervalo de aplicações” exceda o período de uma geração da praga-alvo;
- Seguir as recomendações de bula quanto ao número máximo de aplicações permitidas. No caso específico do TAGGER, o período total de exposição (número de dias) a inseticidas do grupo químico dos benzoiluréia não deve exceder 50% do ciclo da cultura ou 50% do número total de aplicações recomendadas na bula;
- Respeitar o intervalo de aplicação para a reutilização do TAGGER ou outros produtos do Grupo 15 quando for necessário;
- Sempre que possível, realizar as aplicações direcionadas às fases mais suscetíveis das pragas a serem controladas;
- Adotar outras táticas de controle, previstas no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
- Utilizar as recomendações de dose e de modalidade de aplicação de acordo com a bula do produto;

GRUPO 15 INSETICIDA

O inseticida TAGGER pertence ao Grupo 15 (Inibidores da biossíntese de quitina, tipo 0, Lepidóptera) e o uso repetido deste inseticida ou de outro produto do mesmo grupo pode aumentar o risco de desenvolvimento de populações resistentes em algumas culturas.




Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.