Bula Tasker

acessos
Flutriafol
14612
FMC - Campinas

Composição

Azoxystrobin 125 g/L Estrobilurina
Flutriafol 125 g/L Triazol

Classificação

Fungicida
III - Medianamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Sistêmico
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ramularia
(Ramularia areola)
400 a 600 mL p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) 14 dias. 30 dias. 25 a 35 dias após o plantio ou no aparecimento dos primeiros sintomas
Ramulose
(Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides)
400 a 600 mL p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) 14 dias. 30 dias. 25 a 35 dias após o plantio ou no aparecimento dos primeiros sintomas
Café Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ferrugem do cafeeiro
(Hemileia vastatrix)
800 a 1000 mL p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha 40 a 60 L de calda/ha (aéreo) 60 dias. 30 dias. Preventivo, antes do aparecimento dos primeiros sintomas
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ferrugem da folha
(Puccinia triticina)
500 a 600 mL p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 40 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. 30 dias. Estádios iniciais da infecção

Bombona Plática: 5,0; 10; 20 e 50 L.
Container Plástico e Aço: 1000e 5000L.
Frasco Plástico: 420; 450; 640 e 1000 L.
Tambor Aço: 50 e 100 L.

MODO / EQUIPAMENTOS DE APLICÃO:

Aplicar NIMOX nas dosagens recomendadas, diluido em agua, conforme o tipo de aplicacao.
Utilizar vazoes medias de 100 a 200 litros de calda/ha para soja; 10r a 300 litros de calda/ha para algodao e trigo e 400 a 600 litros de calda/ha para cafe. Utilizar major ou menor volume de calda dependendo do desenvolvimento vegetativo da cultura. Assegurar uma boa cobertura foliar coin gotas de pulverização.

Pulverizacao terrestre:
Para aplicacees corn equipamento costal ou tratorizado. O pulverizador de barra deve ser equipado com bicos apropriados para a aplicacao de fungicidas, produzindo um diametro de gotas de 50 a 200 micras, uma densidade de 50 a 70 gotas por cm 2 .
Recomenda-se aplicar corn temperatura inferior a 27 °C, corn umidade relativa acima de 60% e ventos de no maximo 10 km/h.
Considerar sempre que a umidade relativa do ar é o elemento mais importante na maior ou menor velocidade de evaporacao das gotas.
Gotas muito finas nao atingem adequadamente o alvo, e propiciam deriva maior, enquanto que gotas muito grossas proporcionam deposicao inadequada e escorrem para o solo.

Aplicagao áerea:
Utilizar barra com urn volume de 30 a 40 litros de calda por ha. Usar bicos apropriados para esse tipo de aplicação.
Largura efetiva de 15-18 m, corn diametro de gotas de 80 pm, e urn minimo de 60 gotas por cm 2. O diametro de gotas deve ser ajustado para cada volume de aplicacao em litros por ha, para proporcionar a cobertura adequada e a densidade de gotas desejada.
Observar ventos de 3 a 10 km/hora, temperatura inferior a 27°C e umidade relativa superior a 60% visando reduzir ao minimo as perdas por deriva ou evaporacao.
O sistema de agitacao do produto no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda aplicacao.

ANTES DE USAR LEIA COM ATENÇAO AS INSTRUÇÕES.
PRODUTO PERIGOSO.
USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTECAO INDIVIDUAL COMO INDICADO.
PRECAUCOES GERAIS:
- Produto para uso exclusivamente agricola.
- Nao coma, nao beba e nao fume durante o manuseio e aplicação do produto.
- Nao manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de protegao individual (EPI) recomendados.
- Os equipamentos de protegao individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem:
macacão, botas, avental, mascara, oculos, touca arabe e luvas.
Nao utilize equipamentos de protegao individual (EPI) danificados.
- Nao utilize equipamentos corn vazamentos ou defeitos.
- Nao desentupa bicos, orificios e valvulas corn a boca.
- Nao transporte o produto juntamente corn alimentos, medicamentos, ragOes, animais e pessoas.

PRECAUCOES NA PREPARACAO DA CALDA :

- Caso ocorra cantata acidental da pessoa corn o produto, siga as orientagoes descritas em primeiros
socorros e procure rapidamente urn servigo medico de emergencia.
- Ao abrir a embalagem, faga-o de modo a evitar respingos.
- Utilize equipamento de protegao individual — EFI: macacao de algodao hidrorrepelente com mangas
compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calgas por cima das botas; botas de
borracha; avental impermeavel; mascara corn filfro combinado (filtro quimico contra vapores organicos e
filtro mec'anico classe P2 / ou P3 quando necessario); oculos de seguranga corn protegao lateral; touca
arabe e luvas de nitrila.
- Manuseie o produto em local aberto e ventilado.

PRECAUCOES DURANTE A APLICACAO
- Evite o maxima possivel o contato corn a area tratada.
- Nao aplique o produto na presenga de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia .
-Verifique a diregao do vento e aplique de modo a nao entrar na nevoa do produto.
-Aplique o produto somente nas doses recomendadas e observe o intervalo de segurança (intervalo de tempo entre a Ultima aplicagao e a colheita).
- Utilize equipamento de protegao individual — EPI: macacao de algodao hidrorrepelente corn mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calgas por cima das botas; botas de borracha; mascara corn filtro combinado (filtro quimico contra vapores organicos e filtro mecanico classe P2/ ou P3 quando necessario); óculos de seguranga corn protegao lateral; touca arabe e luvas de nitrila.

PRECAUCOES APOS A APLICAÇÃO
- Sinalizar a area tratada corn os dizeres: "PROIBIDA A ENTRADA. ÁREA TRATADA" e manter os avisos até o final do periodo de reentrada.
- Caso necessite entrar na area tratada corn o produto antes do termino do intervalo de reentrada, utilize os equipamentos de protegao individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicagao.
- Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local trancado, longe do alcance de criangas e animals.
- Antes de retirar os equipamentos de protegao individual (EPI), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
- Os equipamentos de protegao individual (EPIs) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem:
touca arabe, óculos, avental, botas, macacão, luvas e mascara.
- Tome banho imediatamente apos a aplicação do produto.
- Troque e lave as suas roupas de protegao separado das demais roupas da familia. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeavel.
- Faga a manuteção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicagao do produto.
- Fique atento ao tempo de uso dos filtros, seguindo corretamente as especificacoes do fabricante.
- Nao reutilizar a embalagem vazia.
- No descarte de embalagens utilize equipamento de protegao individual — EPI : macacao de algodao hidrorrepelente corn mangas compridas, luvas de nitrila e botas de borracha.

PRIMEIROS SOCORROS: procure logo urn servigo medico de emergencia levando a embalagem, rotulo, bula e/ou receituario agronomico do produto.
Ingestao: Se engolir o produto, não provoque vômito. Caso o vômito ocorra naturalmente, deite a pessoa de lado. Nao de nada para beber ou corner.
Olhos: Em caso de contato, lave corn muita agua corrente durante pelo menos 15 minutos. Evite que a água de lavagem entre no outro olho.
Pele: Em caso de contato, tire a roupa contaminada e lave a pele corn muita agua corrente e sabao neutro.
Inalação: Se o produto for inalado ("respirado"), leve a I e-soa para urn local aberto e ventilado.
A pessoa que ajudar deve proteger-se da contaminação usando luvas e avental impermeaveis, por exemplo.

INTOXICAOES POR AZOXISTROBINA E FLUTRIAFOL - INFORMAOES MEDICAS

Grupo químico: Estrobilurina (Azoxistrobina) N Triazol (Flutriafol).
Vias de exposição: Oral, dermica, ocular e inalatória.
Toxicocinética:Flutriafol: Absorcao: Oral, inalatOria e dermica.
Metabolismo: Nao se detectou FLUTRIAFOL inalterado no sangue, nos tecidos, ou na urina dos ratos, caes e macacos. 0 principal metabolito detectado foi tetraidroftalimida no sangue, nas fezes e na urina. Nenhum epexido do FLUTRIAFOL foi detectado.
Em mamiferos, após a administragao oral, o FLUTRIAFOL e hidrolisado em tetraidroftalimida e em acido dicloroacetico. A tetraidroftalimida é degradada ao acido tetraidroftalimidico e mais adiante ao acido ftalico e a amónia ftálica.
Excreção: Quase que totalmente pela urina. Nao foi detectado FLUTRIAFOL inalterado no sangue, nos tecidos ou na urina.
Azoxistrobina : Entre 86% a 86% do total da dose admonistrada de azoxistrobina foi excretada em 48 horas. A maior parte do produto foi excretada pelas fezes (via biliar) corn cerca de 17% pela urina. 0 ingrediente ativo foi extensiva e completamente metabolzado tendo sido identificados pelo menos 15 diferentes metabOlitos. A biotransformagao nao foi afetada pela dose. Os autores sugerem que a absorgao e dose-dependente. A absorgao oral na dose de 1mg/Kg p.c. foi praticamente completa (100%) desde que nao foi detectado o composto parental. A absorgao oral da maior dose (100mg/Kg p.c.) foi estimada em cerca de 74-81% desde que cerca de 19-26% da dose do composto parental foi detectado. Ha 2 principais vias metabolicas hidrólise a metoxiacido, seguido da conjugagao do acido glucurônico e conjugagao da glutationa do anel do cianofenil seguido de outros metabolismos ao metabOlito do acido mercaptúrico. Os maiores niveis de residuos foram encontrados nos rins e figado. Nao ha evidencia de bioacumulagao.
Mecanismos de toxicidade:
Azoxistrobina : Os mecanismos de toxicidade em humanos nao sao conhecidos, nos fungos atua inibindo a respiragao mitocondrial pelo bloqueio da transferencia
de eletrons entre o citocromo b e citocromo C1.
Sintomas e sinais clinicos:
Os triazóis são irritantes dos olhos, sensibilizante da pele e das membranas mucosas. Pode provocar salivagao; convulsao; letargia; redugao na atividade motora; tremor; diarreia; ataxia; dor de cabega; nausea; fraqueza; falta de sensibilidade dos membros superiores e dor no esterno.
Gastrintestinal:
Nausea, vômito e diarreia podem seguir da ingestão.
Hepatica:
Pode causar depressão hepatica e hepatotoxicidade.
Genitourinario:
Pode causar diminuigao do pH urinário e prejuizo renal.
urina.
Dependendo do grau de dermatite, pode acarretar proteinuria e urobilinogenio na Dermatológico
O contato repetido ou prolongado corn a pele pode acarretar sensibilizagao; reagoes alergicas; dermatite de contato aguda; dermatite eritematosa; dermatite fotoalergica; rash cutaneo; erupgoes fotoalergicas; edema; urticaria; hipersensibilidade imediata e tardia.
Oftalmico:
Este produto e corrosivo e irritante aos olhos. Pode ocorrer conjuntivite alergica e edema periorbital.
Resultados Laboratoriais:
Mostraram elevada concentragao de celulas sangOineas brancas, de creatina quinase e de aspartato aminotransferase.
Exposicao crônica: Estudos de 90 dias realizados em ratos, na mais alta dose (100 mg/kg), os animais apresentaram decrescimo no peso corporeo acompanhado de uma redugao no consumo alimentar, bem como hipertrofia associada a mudanga ultra-estruturais e dos niveis enzimaticos do figado, tambem foram notadas alteragOes na bioquimica do sangue e nos parametros hematológicos. Estudo de 90 dias em caes, na mais alta dose (15 mg/kg), houve
Azoxistrobina:
Intoxicação aguda:
Há relatos limitados sobre efeitos clinicos de individuos expostos ao Azoxistrobina. Foram descritos irritagao ocular, prurido, eritema, fraqueza, cefaleia, tontura e dores no trato respiratório (apos inalação).
Exposição crônica:
em estudos crônicos em animais, o orgao-alvo foi o figado, houve redução do ganho de peso corporal em caes e ratos e alterações nos ductos biliares (ratos machos). No estudo de toxicidade reprodutiva foi relatado redução no ganho de peso corporal de mães e filhotes. Nos estudos de teratogenese foi observado retardamento na ossificação dos filhotes de ratos.
Diagnóstico:
O diagnóstico é estabelecido pela confirmação da exposição e de quadro clínico compatível.
Obs:em caso se apareção sinais e sintomas indicativos de intoxicação compatível, trate o paciente imediatamente.
Tratamento:
TRATAMENTO:remoção da fonte de exposição, descontaminação, proteção das vias respiratórias, de aspiração; tramento sintomático e de suporte.
Exposição Oral:
• Lavagem gastrica: na maioria dos casos nao é necessario.
1. Considere logo após ingestão de uma grande quantidade do produto (ate 1 hora). Proteger as vias aereas em posição de Trendelenburg e decúbito lateral esquerdo ou por intubação endotraqueal.
2. Contra-indicações: perda de reflexos protetores das vias respiratórias ou alteração de consciencia em pacientes nao-intubados; corrosivos e hidrocarbonetos; risco de hemorragia ou perfuracão gastrointestinal.
• Carvao ativado: se liga a maioria dos agentes tóxicos e pode diminuir a
absorção sisternica dales, se administrado logo após a ingestão (1 h)
1. Dose: suspensk (240 ml de agua/30 g de carvao). Dose: 25 a 100 g em
adultos, 25 a 50 g em criancas de (1-12)a e 1 g/kg em < 1 a;
• Não provocar vômito, caso ocorra espontaneamente nao deve ser evitado; deitar o paciente de lado para evitar que aspire resíduos.
• Fluidos intravenosos e monitorizack laboratorial.
• Corrija os distúrbios hidroeletroliticos e metabólicos. Monitore as funções renal e hepática.
• Manter internação por no mínimo 24 horas após o desaparecimento dos sintomas.
Exposicao Inatatoria:Se ocorrer tosse/dispneia, avalie quanto a irritação, bronquite ou
pneumonia. Administre oxigenio e auxilie na ventilação. Trate
broncoespasmos.
Exposição ocular: Lave os olhos expostos corn quantidades copiosas de agua ou
salina 0,9%, a temperatura ambiente, por pelo menos 15
minutos. Se os sintomas persis irem, encaminhar o paciente para o es ecialista.
Exposição dermica:Remova as roupas contaminadas e lave a area exposta corn abundante agua e sabão. Encaminhar o paciente para o especialista caso a irritação ou dor persistirem.

CUIDADOS para os prestadores de primeiros socorros:
• EVITAR aplicar respiração boca-boca em caso de ingestk do produto; usar equipamento de reanimação manual (Ambú).
• Usar equipamentos de PROTECÃO: para evitar contato cutâneo, ocular e inalatório com o produto.
A indução do vômito e contra-indicada em razao do risco de aspiração e de pneumonite química.
Não relatados em humanos
Ligue para o Disque-Intoxicack: 0800-722-6001 para notificar o caso e obter
informações especializadas sobre o diagnostico e tratamento.
Rede Nacional de Centros de Informação e Assistencia Toxicológica
RENACIAT — ANVISA/MS
Notifique ao sistema de informação de agravos de notificação.
ATENÇÃO
Telefones de emergencia da empresa
0800 70 20 ou (0XX11)5189-2100
Disque-Intoxicação: 0800-722-6001

1. PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS

PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE:

Este produto é:
- Altamente Perigoso ao Meio Ambiente (Classe I).
[II]- MUITO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE II).
- Perigoso ao Meio Ambiente (Classe III).
- Pouco Perigoso ao Meio Ambiente (Classe IV).
- Este produto é ALTAMENTE TOXICO para organismos aquaticos: Microcrustaoebge -albTs-
- Este produto a ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente.
- Evite contaminagao ambiental - Preserve a Natureza.
- Nao utilize equipamento corn vazamento.
- Nao aplique o produto na presenga de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
- Aplique somente as doses recomendadas.
- Nao lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos
d'agua. Evite a contaminagao da água.
- A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do
solo, da ague e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

2. INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E
PREVENÇAO CONTRA ACIDENTES:
- Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
- O local deve ser exclusivo para produtos toxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas,
racões ou outros materiais.
- A construgao deve ser de alvenaria ou de material nao combustivel.
- O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeavel.
- Coloque place de advertencia corn os dizeres: CUIDADO VENENO.
- Tranque o local, evitando o acesso de pessoas nao autorizadas, principalmente criancas.
Deve haver sempre embalagens adequadas disponiveis, para envolver embalagens
rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
- Em caso de armazens, deverao ser seguidas as instrugOes constantes da NBR 9843 da
Associagao Brasileira de Normas Tecnicas - ABNT.
- Observe as disposigoes constantes da legislagao estadual e municipal.

3. INSTRUÇOES EM CASOS DE ACIDENTES:
- Isole e sinalize a area contaminada.
- Contate as autoridades locais competentes e a empresa CHEMINOVA BRASIL LTDA. -
Telefone de emergencia 0800 111 767.
- Utilize equipamento de protegao individual - EPI (macacao impermeavel, luvas e botas de
borracha, óculos protetor e mascara corn filtros).
- Em caso de derrame, estanque o escoamento, nao permitindo que o produto entre em
bueiros, drenos ou corpos d'agua. Siga as instrucoes abaixo:
• Piso pavimentado: absorva o produto corn serragem ou areia, recolha o material corn auxilio
de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado
nao deverá mais ser utilizado. Neste caso, consulte o registrante atraves do telefone indicado no rótulo para s sua devolução e destinação final.
• Solo: retire as camadas de terra contaminada ate atingir o solo nao contaminado, recolha
esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a
empresa registrante pelo telefone indicado acima.
• MIND VA Chuminova Brasil Ltda.
• Corpos d'agua: interrompa imediatamente a captação de água para o consumo humano e
animal, contate o orgão ambiental mais proximo e o centro de emergência da empresa, visto
que as medidas a serem adotas dependem das proporgbes do acidente, das caracteristicas
do corpo hidrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
- Em caso de incendio, use extintores DE AGUA EM FORMA DE NEBLINA, CO2 ou PO
QUÍMICO, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

4. PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLÇÃO, TRANSPORTE
E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPROPRIOS
PARA A UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
Para embalagem RÍGIDA LAVAVEL
- LAVAGEM DA EMBALAGEM:
Durante o procedimento de lavagem o operador devere estar utilizando os mesmos EPIs -
Equipamentos de Protegao Individual - recomendados para o preparo da calda do produto.
• Triplice Lavagem (Lavagem Manual):
Esta embalagem devere ser submetida ao processo de triplice lavagem, imediatamente
apes o seu esvaziamento, adotando-se os seguintes procedimentos:
- Esvazie completamente o conteúdo da embalagem no tanaue do pulverizador,
mantendo-a na posigao vertical durante 30 segundos;
- Adicione agua limpa a embalagem ate 1/4 do seu volume;
- Tampe bem a embalagem e agite-a por 30 segundos;
- Despeje a agua da lavagem no tanque do pulverizador;
- Faga esta operação três vezes
- Inutilize a embalagem plásticas ou metelica perfurando o fundo;
• Lavagem sob Pressão:
Ao utilizar pulverizadores dotados de equipamentos de lavagem sob pressão seguir os
seguintes procedimentos:
- Encaixe a embalagem vazia no local apropriado do funil instalado no pulverizador;
- Acione o mecanismo para liberar o jato de água;
- Direcione o jato de agua para todas as paredes internas da embalagem, por 30
segundos;
- A agua de lavagem deve ser transferida para o tanque do pulverizador;
- Inutilize a embalagem plastics ou metalica, perfurando o fundo;
Ao utilizar equipamento independente para lavagem sob pressão adotar os seguintes
procedimentos:
- lmediatamente após o esvaziamento do contetido original da embalagem, manta-la
invertida sobre a boca do tanque de pulverização, em posição vertical, durante 30
segundos;
- Manter a embalagem nessa posição, introduzir a ponta do equipamento de lavagem sob
pressão, direcionando o jato de agua para todas as paredes internas da embalagem, por 30
segundos;
- Toda a agua de lavagem é dirigida diretamente para o tanque do pulverizador;
- Inutilize a embalagem plestica ou metálica, perfurando o fundo.
-E PROIBIDO AO USUARIO A REUTILIZAÇÃO E RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM
VAZIA OU FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO.
- EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO
INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS:
A destinagao inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente
causa contanninagao do solo, da agua e do ar prejudicando a fauna, a flora e saude das
pessoas.
- PRODUTOS IMPROPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
Caso este produto venha a se tornar improprio para utilizacao ou em desuso, consulte o
registrante atraves do telefone indicado no rotulo para sua devolugao e destinacao final.
A desativacao do produto e feita por incineragao em forno rotativo/camara de combustao,
corn temperatura do forno a 900° C, temperatura da camara de Os combustao
de 1.200° C, corn tempo de residencia dos sOlidos no formo rotativo de 30 minutos.
- TRANSPORTE DE AGROTOXICOS, COMPONENTES E AFINS:
O transporte esta sujeito as regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação
especifica, que inclui o acompanhamento da ficha de emergencia do produto, bem como
determina que os agrotOxicos nao podem ser transportados junto de pessoas, animais,
rações, medicamentos ou outros materiais.
RESTRIOES ESTABELECIDAS POR ORGÃO COMPETENTE DO ESTADO OU DO
DISTRITO FEDERAL:
(De acordo corn as recomendagoes aprovadas pelos orgãos responsáveis).

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

Qualquer agente de controle de doengas pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido a selegao de resistencia. O Comite Brasileiro de Agao a Resistencia a Fungicidas (FRAC-BR) recomenda como estrategias de manejo de resistencia visando prolongar a vida Otil dos fungicidas:
- Utilizar a rotacao de fungicidas corn mecanismos de agao distintos.
- Utilizar o fungicida somente na epoca, na dose e nos intervalos de aplicagao recomendados no rótulo/bula.
- Incluir outros metodos de controle de doengas (ex. resistencia genetica, controle cultural, biologico, etc)
dentro do programa de Manejo Integrado de Doengas (MID) quando disponiveis e apropriados.
- Sempre consultar urn Engenheiro Agronomo para orientação sobre as recomendageies locais para o manejo da resistencia. Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das doengas, envolvendo todos os principios e medidas disponiveis e viaveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotagao de culturas, epoca adequada de semeadura, adubagao equilibrada, fungicidas, manejo da irrigagao, entre outros, visam o melhor equilibria do sistema e colaboram no controle dos patogenos.