Bula Tempest - Nufarm

Bula Tempest

acessos
Dibrometo de Diquate
18118
Nufarm

Composição

Dibrometo de diquate 374 g/L Bipiridílio
Equivalente íon Diquate 200 g/L Bipiridílio

Classificação

Herbicida
I - Extremamente tóxica
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Contato, Não seletivo

Soja Dessecação Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Saco de padre
(Cardiospermum halicacabum)
1,5 a 2 L p.c./ha 200 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação, em pré-colheita da cultura da soja. Aplicar a maior dose em condições de maior enfolhamento, porte e densidade das plantas
Soja
(Glycine max)
1 a 2 L p.c./ha 200 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na pré-colheita, quando a soja estiver fisiologicamente madura. Aplicar a maior dose em condições de maior enfolhamento, porte e densidade das plantas

MODO DE APLICAÇÃO:

Utilize sempre tecnologias de aplicação que ofereçam boa cobertura das plantas.
O volume de calda deve ser adequado ao tipo de equipamento aplicador e poderá ser alterada
considerando as especificações técnicas do mesmo.
Consulte sempre um Engenheiro Agrônomo responsável e siga as boas práticas para aplicação e as recomedações do fabricante do equipamento.

Preparo da Calda:
TEMPEST deve ser diluído em volume de água suficiente para uma distribuição uniforme e pulverização por meio de equipamento terrestre tratorizado ou por meio de equipamentos aéreos.

Ao preparar a calda, utilize os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) indicados para esse fim no item "Dados Relativos à Proteção à Saúde Humana". Antes de preparar,
verifique se o equipamento de aplicação está limpo, bem conservado, regulado e em condições adequadas para realizar a pulverização sem causar riscos à cultura, ao aplicador e ao meio ambiente. Adicionar a quantidade recomendada de TEMPEST no pulverizador contendo uma parte de água. Complementar o volume, não havendo necessidade de agitação durante a aplicação.

Cuidados durante a aplicação:
Independente do tipo de equipamento utilizado na pulverização, fechar a saída da calda do pulverizador durante as paradas e manobras do equipamento aplicador, de forma a evitar a sobreposição da aplicação.

Gerenciamento de deriva:
Não permita que o produto atinja culturas vizinhas, áreas habitadas, leitos de rios e outras fontes de água, criações e áreas de preservação ambiental. O potencial de deriva é determinado pela interação de muitos fatores relativos ao equipamento de pulverização e ao clima (velocidade do vento, umidade e temperatura). Independente do equipamento utilizado, o tamanho das gotas é um dos fatores mais importantes para evitar a deriva, assim, aplicar com o maior tamanho de gota possível, sem prejudicar a cobertura e eficiência. O aplicador deve considerar todos esses fatores quando da decisão de aplicar.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento da população de plantas infestantes resistentes a produtos com este mecanismo de ação. Como prática de manejo de resistência de plantas espontâneas, deverão ser aplicados, alternadamente, herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Os herbicidas deverão estar registrados para a cultura. Não havendo produtos alternativos, recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos consulte um Engenheiro Agrônomo.