Bula Veget Oil

acessos
Óleo vegetal
2495
Oxiquímica

Composição

Óleo vegetal 930 g/L Ésteres de ácido graxo com glicerol

Classificação

Inseticida, Adjuvante
IV - Pouco tóxico
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não Classificado
Não Classificado
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato, Adjuvante
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cochonilha pardinha
(Selenaspidus articulatus)
1 a 2 L p.c. / 100 L de água 1000 a 2000 L de calda/ha - Único. Não determinado. Quando houver surgimento da forma jovem da praga

Embalagens: 100, 200, 250 e 300 ml; 1, 5, 20, 50, 100, 200 e 1.000 litros. Caminhões tanques de aço inox para 10.000, 15.000 e 27.000 litros.
Frasco pead: 2, 3, 4 litros
Bambona pead: 20 litros

INSTRUÇÕES DE USO:

a) INSETICIDA

CULTURAS:Citros
PRAGA: Cochonilha-pardinha (Selenaspidus articulatus): Dose: 1 litros do produto comercial ou 0,93 L i.a/100 L de água. Volume de calda: 1000-2000 L/ha.

b) ADJUVANTES
Dose do Produto Comercial: 500 ml/100 L de calda.
Dose do Ingrediente Ativo: 465 ml/100 L de calda.

Modo de ação do produto em relação ao alvo biológico:
- Como inseticida: o produto age por contato,provocando asfixia no alvo biológico.
- Como adjuvante: o produto quebra a tensão superficial da água, diminuindo o tamanho das gotas, proporcionando melhor cobertura vegetal e envolve as moléculas dos defensivos, formando uma fina película sobre eles, proporcionando maior aderência à superfície pulverizada e menor perda por evaporação e foto-decomposição.


NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:

a) INSETICIDA:
- A aplicação deve ser iniciada com o surgimento da forma jovem da cochonilha.
- Deve-se utilizar um volume médio de 3-5 litros de calda por planta jovem (até 5 anos) e de 8-10 litros para plantas adultas.

b)ADJUVANTE
O produto deve ser adicionado nestas dosagens em caldas de inseticidas, fungicidas, herbicidas e acaricidas.

MODO DE APLICAÇÃO:

a) INSETICIDA:
Citros: O produto deve ser diluído em água limpa e aplicado na forma de pulverização sobre as plantas.

b) ADJUVANTE:
O produto deve ser adicionado ao agrotóxico na sua pré-mistura. Utilizar volume de calda recomendado para o agrotóxico ao qual o produto é misturado.


EQUIPAMENTOS:

-Utilizar pulverizador tratorizado com jato dirigido, com pressão de 100 a 150 libras ou utilizar pulverizador costal com pressão de 50 libras, com bico X-2 ou X-3 ou ainda, utilizar atomizador com pressão de 250 libras.
-Em todas as formas de aplicação deve-se observar que esteja ocorrendo uma boa cobertura de pulverizaçao nas plantas. Observações locais deverão ser efetuadas visando evitar a deriva e a evaporação do produto.

INTERVALO DE SEGURANÇA:

- Aplicação isolada do VEGET'OIL em partes aéreas em culturas de citros: sem restrição.
- Aplicaçao de VEGET'OIL como espalhante adesivo: de acordo com o agrotóxico ao qual o produto é misturado.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana- ANVISA/MS).

LIMITAÇÃO DE USO:

- Evitar mistura com produtos a base de estanho.
- Observar limitações de uso do agrotóxico à mistura com VEGET'OIL.

PRECAUÇÕES GERAIS: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilize equipamentos com vazamento. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: use protetor ocular. Produto não diluído pode ser irritante para os olhos. Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente. Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado. Use luvas de borracha. Produto não diluído pode ser irritante para pele. Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente. Use macacão com mangas compridas, luvas e óculos.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Não aplique o produto contra o vento. O produto produz neblina, use máscara cobrindo o nariz e a boca. Use macacão com mangas compridas, luvas e botas durante a aplicação.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia. Mantenha o restante do produto adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. Tome banho, troque e lave bem suas roupas, ao final de cada dia de trabalho.

PRIMEIROS SOCORROS: Ingestão: Se ingerido, beba água e induza o vômito e dê água até o líquido estomacal se tornar claro. Se a vítima estiver inconsciente, não induza ao vômito, procure um médico levando o rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Olhos: Lave os olhos com água corrente por 15 minutos e procure um médico levando o rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. PELE: Lave as partes atingidas com água e sabão em abundância por alguns minutos. Remova as roupas e sapatos contaminados. Se houver irritação procure um médico levando o rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Inalação: Se inalado, remova a pessoa para local arejado. Se houver irritação ou dificuldade respiratória, procure um médico levando o rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.

ANTÍDOTO: Não há antídoto específico. Tratamento médico: Tratamento sintomático.

MECANISMOS DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO: O produto pode entrar no organismo humano através da pele, boca e nariz, agindo sobre o sistema nervoso central, e deve ser retirado do organismo através de lavagem gástrica com Ferricianeto de Potássio ou suspensão de carvão animal ativado.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: Náuseas e vômitos, diarréias. Efeitos colaterais: os mesmos relatados para Efeitos Agudos e Crônicos.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIA QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: este produto é PERIGOSO ao meio ambiente. Evite a contaminação ambiental - PRESERVE A NATUREZA. Não utilize equipamentos com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes do dia. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Não execute aplicações em aéreas de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância mínima de 500 (quinhentos) metros de povoados e de mananciais de captação de água para abastecimento público; e de 250 (duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e culturas suscetíveis a danos. Observe as disponibilidades constantes na legislação estadual e municipal concernentes às atividades aeroagrícolas. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto. Siga as instruções da bula. Em caso de acidentes, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTOS: Mantenha o produto em sua embalagem original. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A Construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre sacos plásticos disponíveis, para envolver adequadamente embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns maiores, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Contate as autoridades locais competentes e a Empresa. Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas, botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Isole e sinalize a área contaminada. Em caso de derrame, estancar o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou cursos de água naturais, siga as instruções: Em piso pavimentado: Absorver o produto derramado com terra ou serragem. Recolher o material com auxílio de uma pá e colocar em tambores ou recipientes devidamente lacrados e identificados. Remover para área de descarte de lixo químico. Lave o local com grande quantidade de água. Solo: Retirar as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adotar os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada. Corpos d'água: Interromper imediatamente o consumo humano e animal e contactar o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido. Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

INFORMAÇÕES SOBRE DESTINO FINAL DE EMBALAGENS E DAS SOBRAS DOS PRODUTOS: As embalagens deverão ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada á preparação para ser pulverizada (tríplice lavagem). Não reutilize embalagens vazias. As embalagens devem ser destruídas e enterradas em fosso para lixo tóxico. O local para construção do fosso deve ser distante de casas, de instalações ou de qualquer fonte de água, fora do transito de pessoas ou animais, porém de fácil acesso e onde não se preveja o aproveitamento agrícola, mesmo em longo prazo. O local não deve ser profundo, de permeabilidade média para permitir uma percolação lenta e degradação biológica do agrotóxico. Abrir um fosso de 1 a 2 m de profundidade, comprimento e largura, não devendo exceder a 3 m, de acordo com as necessidades. Distribuir no fundo do fosso uma camada de pedras irregulares e uma camada de pedra brita. Ao redor do fosso cavar uma valeta, com escoadouro, para impedir a penetração de enxurradas. Reservar uma área suficiente para instalação de mais fossos, de acordo com a necessidade. Isolar a área com cerca de tela, para impedir a entrada de animais e dificultar a entrada de pessoas. Colocar uma placa de advertência (CAVEIRA) com os dizeres: CUIDADO LIXO TÓXICO. Antes de iniciar o uso do fosso, e após cada 15 cm de material descartado, colocar camadas de cal virgem e calcário para ajudar a neutralização. Completada a capacidade do fosso, cobrir com uma camada de 50 cm de terra e compactar bem. Uma camada adicional de 30 cm de terra deve ser colocada sobre o aterro, para que este fique acima do nível do terreno. Observar legislação Estadual e Municipal específica. Fica proibido o enterrio de embalagens em áreas de abrangência do PROGRAMA NACIONAL DE RECOLHIMENTO E DESTINAÇAO ADEQUADA DE EMBALAGENS DE AGROTÓXICOS, consulte o órgão estadual do meio ambiente.

- Outros métodos de controle de insetos (Ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas quando disponível.

Desenvolvimento de Resistência dos insetos
- Qualquer agente de controle de insetos pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticidas (MRI) pode-se prolongar a vida útil dos inseticidas.
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações sucessivas da mesma praga.
- Utilizar somente as doses recomendadas no rotúlo/bula
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomedações locais para o Manejo de Resistências a Inseticidas .
- Incluir outros métodos de controle de insetos (Ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas quando disponível.