Bula Veget Oil - Oxiquímica

Bula Veget Oil

CI
Óleo vegetal
2495
Oxiquímica

Composição

Óleo vegetal 930 g/L

Classificação

Terrestre
Inseticida
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato

Embalagens: 100, 200, 250 e 300 ml; 1, 5, 20, 50, 100, 200 e 1.000 litros. Caminhões tanques de aço inox para 10.000, 15.000 e 27.000 litros.
Frasco pead: 2, 3, 4 litros
Bambona pead: 20 litros

INSTRUÇÕES DE USO

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

Efeturar uma aplicação com o surgimento da forma jovem da cochonilha. Volume de calda: 1000 – 2000 L/ha.
Deve-se utilizar um volume médio de 3-5 litros de calda por planta jovem (até 5 anos) e de 8-10 litros para plantas adultas.

MODO DE APLICAÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO

MODO DE APLICAÇÃO

INSETICIDA

Veget’Oil deve ser diluído em água limpa e aplicado na forma de pulverização sobre as plantas, nas doses recomendadas.

EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO

- Utilizar pulverizador tratorizado com jato dirigido, com pressão de 100 a 150 libras ou utilizar pulverizador costal com pressão de 50 libras, com bico X-2 ou X-3 ou ainda, utilizar atomizador com pressão de 250 libras.
- Em todas as formas de aplicação deve-se observar que esteja ocorrendo uma boa cobertura de pulverização nas plantas. Observações locais deverão ser efetuadas visando evitar a deriva e a evaporação do produto.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Aplicação isolada de VEGET’OIL como inseticida na cultura de Citros: sem restrições.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

- Se usado sozinho, devido a sua baixa toxicidade, não há restrições para reentrada de pessoas na área tratada, desde que devidamente trajada.

LIMITAÇÕES DE USO

- O uso de Veget’Oil estão restritos aos indicados no rótulo e bula.
- Evitar mistura com produtos à base de estanho.
- Observar limitação de uso dos agrotóxicos a serem misturados com Veget’Oil.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

- Outros métodos de controle de insetos (Ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas quando disponível.

Desenvolvimento de Resistência dos Insetos: Qualquer agente de controle de insetos pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de manejo de resistência à inseticidas (MRI) pode-se prolongar a vida útil dos inseticidas.
• Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações sucessivas da mesma praga;
• Utilizar somente as dosagens recomendadas no rótulo/bula;
• Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o manejo de resistência a inseticidas (MRI).