Sulfato de amônio - vantagens e manejo do adubo
CI
Fertilizantes

Sulfato de amônio - vantagens e manejo do adubo

Tudo que você precisa saber sobre o fertilizante sulfato de amônio.
Por:

O sulfato de amônio é um fertilizante que possui, no mínimo, 20% de nitrogênio, na forma amoniacal e 22% de enxofre sulfatado (para ler mais sobre estes elementos, clique neles). As formas com que estes nutrientes estão presentes no fertilizante favorece a absorção rápida pelas plantas, sendo favorável em situações de necessidade imediata no solo.

Como qualquer outro fertilizante, o sulfato de amônio possui vantagens e desvantagens:

  • Como vantagem deste fertilizante, temos a menor salinidade quando comparado à outros fertilizantes nitrogenados. O sulfato de amônio tem um índice salino de 69%, enquanto a ureia possui 75% e o nitrato de amônio 102%. A salinidade afeta diretamente a microbiota do solo, prejudicando microrganismos benéficos para o solo e para as plantas. Além disso, diminui o desenvolvimento das raízes e pode ser fitotóxica para as plantas, dependendo da quantidade.
  • Outra vantagem é que, neste fertilizante, ocorrem menores perdas com lixiviação por chuva (a lixiviação é menor pois sua carga positiva faz com que este fertilizante seja retido na CTC do solo) e por volatilização (o nitrogênio não passa pelo mesmo processo de transformação que a ureia, que é mais suscetível à lixiviação).
  • Outro aspecto positivo do sulfato de amônio é que ele possui um melhor armazenamento e melhor mistura quando comparado à ureia.
  • Como ponto negativo, o custo por ponto de nitrogênio e enxofre é mais caro do que em outros fertilizantes mais convencionais. Assim, percebe-se que em situações onde não ocorrem grandes perdas por lixiviação, não se justifica financeiramente o uso do sulfato de amônia.

Este fertilizante é interessante de ser usado em culturas que necessitam de enxofre, como por exemplo a cana-de-açúcar, batata, milho e algodão. No caso do algodão, dependendo das condições, pode necessitar de aproximadamente 35 kg de enxofre por hectare, aplicados no plantio ou na cobertura em cerca de 30 dias após a emergência. Como esta cultura também necessita de uma dose semelhante de nitrogênio em cobertura (dependendo das condições locais e da quantidade que já foi aplicada no plantio), o sulfato de amônio pode suprir as duas necessidades do algodão.

 

O sulfato e o ácido sulfúrico

Ao aplicar sulfato de amônio ou qualquer outro sulfato, é importante que o nível de ferro no solo esteja adequado. Esta necessidade se deve pelo fato de que o sulfato no solo interage com a matéria orgânica, formando ácido sulfúrico (H2SO4), que é prejudicial, inibindo a absorção de outros nutrientes pelas plantas. Porém, se houver ferro em um nível adequado no solo, este reage com o ácido sulfúrico, formando pirita (FeS), que não são prejudiciais às plantas.

 

Anderson Wolf Machado - Engenheiro Agrônomo


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.