"Disputa na Acrissul só divide a classe e atrasa investimentos"

Agronegócio

"Disputa na Acrissul só divide a classe e atrasa investimentos"

Eleições estão marcadas para o dia 07 de junho
Por: -Joana
1313 acessos
Em entrevista ao site oficial da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), o presidente da entidade Francisco Maia ratificou a data marcada para as próximas eleições na associação – dia 7 de junho próximo – e aproveitou para avaliar o suposto quadro de disputa eleitoral para o próximo mandato, cujo candidato da oposição seria o pecuarista e ex-líder sindical José Lemos Monteiro, o Zeito. Para Maia, uma disputa nesse momento envolvendo a Acrissul é colocar em risco tanto a continuidade do trabalho de sua diretoria, que recuperou a entidade em todos os sentidos, assim como irá provocar rachas no setor rural, inclusive envolvendo outras entidades, e terminando por colocar em riscos futuros investimentos da Acrissul. “A atual diretoria é candidata à reeleição”, confirmou, e “já entramos em franca campanha a partir do dia 30, quando lançaremos oficialmente o Projeto “Acrissul Amanhã”.


Para Maia, a atual diretoria atuou nesses dois anos para recuperar as finanças da Acrissul “e principalmente a sua credibilidade como instituição ruralista”, avalia. Ao assumir a entidade, após o término de 10 anos do mandato de Laucídio Coelho Neto, havia uma dívida considerada impagável de R$ 3,2 milhões. “Negociamos e pagamos todas as dívidas da entidade e hoje ela ainda tem em caixa, após a exitosa Expogrande deste ano, mais de R$ 1 milhão de saldo, o que garante honrar compromissos durante o resto do ano”, diz ele. Junto com o crédito, a entidade recuperou também todas as suas certidões negativas. “Se fizemos parcerias com os políticos das mais diversas inspirações, foi por uma questão de democracia e razoabilidade,” diz Maia.

No próximo dia 30 a diretoria da Acrissul lança oficialmente o Projeto “Acrissul Amanhã”, que irá transformar o Parque de Exposições Laucídio Coelho num moderno shopping rural, com estabelecimentos comerciais, restaurantes e toda a infra-estrutura para que o produtor encontre de tudo um pouco num só lugar. O retorno da Iagro e da Agenfa, assim como a instalação de um posto de atendimento do Banco do Brasil no Parque já é produto desta iniciativa. “os primeiros passos já foram dados e, nesta caminhada, já inauguramos também a Praça da Sustentabilidade, dentro do parque, uma das mais charmosas da cidade.

Ações institucionais
No primeiro ano do mandato a nova diretoria criou a Expo MS, uma exposição destinada a mostrar um pouco de tudo do que o agronegócio sul-mato-grossense produz. Foi um sucesso e este ano vai para a terceira edição. Sensível ao problema gerado pela cobrança do Funrural, a Acrissul ingressou em 2009 com uma ação de inconstitucionalidade contra o Fundo e foi a primeira entidade no País a vencer e manter uma decisão judicial contra a cobrança, beneficiando todos os seus associados.


Além disso outras reivindicações foram levadas adiante e conseguiu-se a suspensão da cobrança de ICMS sobre gado controlado e não só sobre touros e matrizes registrados. A diretoria foi até o governo do Estado e conseguiu evitar que fosse liberada a importação de gado paraguaio para atender uma demanda criada em Porto Murtinho. O governador André Puccinelli entendeu a argumentação da Acrissul, que isso colocaria em risco o programa de sanidade animal e também o mercado local.

Para internacionalizar a Expogrande a Acrissul criou o Fórum Permanente de Sanidade Bolívia-Brasil, criando desta forma um canal aberto para que Mato Grosso do Sul e o país vizinho discutam alternativas para fomentar o comércio de embriões, sêmen e reprodutores.

Durante a Feicorte de 2009, focada na sustentabilidade, a Acrissul levou para São Paulo estudos então recentes da Embrapa e de ONGs mostrando que o Pantanal é um dos ecossistemas mais bem preservados do País, com 84% de sua vegetação nativa conservada intacta, convivendo de forma harmoniosa com a pecuária há cerca de 200 anos. A defesa do Pantanal sustentável chamou a atenção da mídia, o que rendeu manchete e 10 páginas na revista Globo Rural. Jamais a boa imagem do pecuarista pantaneiro havia sido tão levada em consideração.


A volta da Iagro e da Agenfa para o Parque de Exposições foi uma questão de honra. Hoje, o Banco do Brasil, dentro do Projeto “Acrissul Amanhã” já tem um posto de atendimento no local, devendo evoluir para transformar-se numa agência. Através, ainda, de um movimento da Acrissul, foi promovida uma palestra com o depurado federal Aldo Rebelo, que colocou 1.200 produtores rurais no tatersal de elite para discutir o relatório do novo Código Florestal.

Uma série de mudanças estruturais foram feitas no Parque de Exposições, que foi totalmente revitalizado, com novos espaços criados e outros receberam adequações. A principal delas, ainda dentro do Projeto “Acrissul Amanhã”, foi a inauguração durante a Expogrande deste ano da “Praça da Sustentabilidade”, uma das mais charmosas praças de Campo Grande, que contemplou a preservação de 11 figueiras centenárias. “Eu não faria o que fiz por dinheiro nenhum, a não ser pela paixão pela entidade”, finalizou Chico Maia.

As informações são da assessoria de imprensa da Acrisul

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink