"Fiol será realidade", diz Bolsonaro
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,782 (-0,26%)
| Dólar (compra) R$ 5,38 (2,78%)

Imagem: Pixabay

FERROVIA

"Fiol será realidade", diz Bolsonaro

Presidente assinou entrega da obra da ferrovia ao Exército, na Bahia
Por: -Eliza Maliszewski
2806 acessos

O presidente Jair Bolsonaro participou na manhã desta sexta-feira (11) de uma visita às obras da Ferrovia de Integração Oeste Leste (FIOL), em São Desidério (BA). No local ele assinou a Ordem de Serviço com o Exército para realização de obras no trecho II, cerca de 20 km. Esse é o ponto mais atrasado. O Exército fará a obra praticamente do zero e a previsão é de que a execução da construção dure dois anos, com um investimento inicial de R$ 110 milhões. 

A Fiol terá 1.527 km e ligará o futuro Porto Sul, em Ilhéus, à cidade de Figueirópolis, no Tocantins, com um investimento previsto de R$ 8,9 bilhões. Quando estiver concluída, a ferrovia atravessará, ao todo, 32 municípios baianos. Um dos principais objetivos da construção da ferrovia é baratear o custo do frete rodoviário. “Nós vamos conseguir ampliar o agronegócio, trazendo mais riquezas para o Brasil e mais riquezas significam mais investimento em infraestrutura”, destacou André Kuhn, presidente da Valec, empresa que realiza as obras no trecho.

O trecho I da ferrovia, que vai de Ilhéus a Caetité, tem pouco mais de 530 km, sendo que quase 80% das obras já foram concluídas. O esforço da Valec está concentrado na conclusão do trecho II, que vai de Caetité a Barreiras, com 485,4 km de extensão. De acordo com a estatal, a meta é que essa parte chegue a pelo menos 80% das obras concluídas até o final de 2022 para também ir à concessão. Hoje, o trecho está em 40% de avanço nas construções. O trecho III, de 512 km, entre Barreiras (BA) a Figueirópolis (TO) ainda não foi iniciado.

O processo de licitação da ferrovia está no Tribunal de Contas da União (TCU). No último relatório o órgão sugeriu restringir a concessão para a Vale e Rumo com “risco de concentração excessiva do setor”. O TCU também disse que não há condições para licitar ainda este ano. O objetivo inicial era conceder até 2022.

A Fiol foi concebida para dinamizar o escoamento da produção agrícola e de minérios, bem como, por meio da interligação com a Ferrovia Norte-Sul, para o transporte de grãos da Região Centro-Oeste. Ainda há outras obras de ferrovias no país como a própria a Norte-Sul, a Ferrogrão, que liga Sinop (MT) a Miritituba (PA), a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), que liga o município de Campinorte (GO) até Lucas do Rio Verde (MT) e a concessão da Malha Paulista, com R$ 6 bilhões de investimentos, entre Santa Fé do Sul/SP – na divisa com o Mato Grosso do Sul – e o Porto de Santos/SP. “Antes de investir massivamente vamos terminar as obras já começadas, isso demonstra zelo com o recurso público. Logo a Fiol será realidade graças ao nosso Exército. Temos como desafio fazer grandes obras com poucos recursos”, disse Bolsonaro.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink