Agronegócio

'País corre atrás do prejuízo', diz Dilma ao inaugurar ferrovia em MT

Presidente participou de inauguração de terminal em Rondonópolis (MT)
Por: -Renê Dióz
1683 acessos
Presidente participou de inauguração de terminal em Rondonópolis (MT)

A presidente Dilma Rousseff (PT) participou na manhã da quinta-feira (19) da inauguração do Complexo Intermodal de Rondonópolis, a 212 km de Cuiabá, empreendimento considerado o maior investimento em estrutura ferroviária da América Latina, e declarou que a iniciativa é parte do esforço do governo federal para compensar um atraso de cerca de dois séculos em sua estrutura logística.


"Euclides da Cunha, em 1900, já falava da necessidade de ligar essa região ao litoral. Nós estamos correndo atrás para eliminar essa fragilidade da estrutura logística do Brasil", afirmou a presidente - fazendo referência ao autor de "Os Sertões"- durante a solenidade de inauguração, ao lado do ministro dos Transportes, César Borges, do governador de Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB), e outras autoridades locais e do governo federal.

Dilma lembrou que países de territórios vastos como o do Brasil perceberam a necessidade de investimento na expansão ferroviária no século 19. O Brasil, por sua vez, só se deu conta desta necessidade no século 21. "O Brasil é grande e diversificado e nos obriga a pensar em todas as soluções possíveis", argumentou.


Ferrovia em Mato Grosso

Primeira visita de Dilma a Mato Grosso como presidente, a solenidade em Rondonópolis marcou a conclusão de um plano do qual ela participava desde quando era ministra do governo Lula: a expansão da malha ferroviaria na região Centro-Oeste. Localizado na rodovia federal BR-163, o Complexo Intermodal de Rondonópolis (CIR) é o ponto final de uma malha de 260 quilômetros de extensão com início em Alto Araguaia.

Financiado pela iniciativa privada, o projeto de R$ 880 milhões inaugurado por Dilma contempla não só a instalação dos trilhos até Rondonópolis, um dos polos do agronegócio em Mato Grosso, mas a estrutura do terminal ferroviário com capacidade de carregar 120 vagões a cada 3,5 horas com a safra do maior produtor de grãos do país para exportação a partir do porto de Santos (SP).


Além do escoamento da produção rural e do desenvolvimento econômico ligado a ela, a presidente defendeu a expansão da malha na região de forma a retirar das rodovias o tráfego de carga pesada, preservando as próprias pistas e aliviando o fluxo de veículos nos centros urbanos. "A ferrovia não só reduz custos, mas melhora também a qualidade de vida nas cidades. Precisamos tirar o tráfego pesado das cidades", afirmou durante discurso.

Conhecida também como Ferronorte, a ferrovia inaugurada nesta quinta foi idealizada pelo já falecido senador Vicente Vuolo. Seu filho, Francisco Vuolo, atua hoje como secretário de estado de Logística e recebeu aplauso da presidente durante a solenidade.


A ferrovia foi licitada em 1989, mas apenas em 1999 foi inaugurado o primeiro terminal, em Alto Taquari. Em 2001, foi inaugurado o terminal de Alto Araguaia. No ano de 2006, a empresa América Latina Logística (ALL) assumiu a concessão da malha, cujo penúltimo trecho inaugurado, em 2012, foi a chegada dos trilhos a Itiquira, no ano passado. Ainda se estuda a chegada dos trilhos até Cuiabá.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink