1ª Feira Pró-Genética e Pró-Fêmeas de Belo Horizonte apresentou novidades e divulgou a genética do rebanho de Minas

Agronegócio

1ª Feira Pró-Genética e Pró-Fêmeas de Belo Horizonte apresentou novidades e divulgou a genética do rebanho de Minas

Feira foi realizada durante a Exposição Estadual Agropecuária com objetivo de melhorar o rebanho mineiro
Por:
541 acessos

Uma das novidades da 56ª Exposição Estadual Agropecuária, encerrada no último domingo (dia 5),  em Belo Horizonte foi a realização da  1ª Feira Pró-Genética e Pró-Fêmeas, com a oferta de animais de alto padrão genético. Os números preliminares mostram que foram comercializados oito touros e oito fêmeas,  durante o evento. Além das vendas, a feira também serviu para apresentar as melhores raças disponíveis no mercado e que podem aprimorar rebanho estadual. A estimativa de comercialização foi divulgada pelo coordenador estadual de Bovinocultura da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), José Alberto de Ávila Pires.
 
O Pró-Genética e o Pró-Fêmeas são programas da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa). O primeiro foi criado em 2006, em parceria com a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) e é focado na comercialização de touros. O segundo foi criado em 2015, em parceria com várias associações de criadores de fêmeas matrizes. Ambos fazem parte das ações do programa de governo Minas Pecuária.
 
Em comum, os programas partilham o mesmo objetivo: melhoria da qualidade genética do rebanho bovino de Minas Gerais para fortalecer as cadeias produtivas de carne e leite do estado. A aquisição dos animais pode ser feita nas feiras e leilões, organizadas por associações de criadores de bovinos de genéticas melhoradas, com o apoio da Seapa, por meio da Emater-MG, Epamig e IMA, além de agentes financiadores, prefeituras, sindicatos e cooperativas.
 
Segundo o coordenador técnico José Alberto de Ávila, a mostra em Belo Horizonte foi mais uma oportunidade para mostrar, durante um importante evento da agropecuária mineira, os objetivos do programa. “A gente costuma dizer o seguinte: as entidades, as associações de criadores fazem o melhoramento genético. Já os programas transferem esses melhoramentos genéticos praticados pelas associações e criadores de raças para o rebanhos comerciais. Em última instância, facilita a melhoria genética do gado, com o uso de touros e de vacas melhoradas geneticamente”, explica.
 
Durante a feira do Pró-Genética e Pró-Fêmeas, os compradores tiveram acesso a touros e matrizes das raças zebuínas, Girolando e Senepol, garantidos pelas associações de criadores e com teste negativo de brucelose e tuberculose. Os vendedores defenderam o melhoramento genético como um investimento certo para produtores obterem  melhores resultados com o rebanho.
 
Criadores elogiam iniciativa
 
Os criadores que participaram da feira durante a Exposição Agropecuária elogiaram a iniciativa. Foi o caso, por exemplo, de Renato Martin, que veio de Teófilo Otoni para vender as novilhas meio sangue Girolando, todas prenhas. “Esses animais foram escolhidos especialmente para esse evento”, relatou. Martins revelou que é a segunda vez que participou do Pró-Genética. “O que deve motivar os compradores são os critérios do programa, pois eles são filtros que garantem a probabilidade de sucesso. A maior frustração de um comprador é adquirir um animal e depois chegar à conclusão de que ele não produz a contento. Essa feira tem como objetivo minimizar ou eliminar essa variável do processo”, garantiu.
 
Outros relatos obtidos durante a feira do Pró-Genetica e Pró-Fêmeas atestaram a garantia dos objetivos do programa de melhoramento genético do Estado. Para Rodrigo Debossan, que trouxe touros da raça Senepol, de Uberlândia “quando você pega um animal registrado, melhorado, você elimina o risco de perder o investimento, de ter problemas no futuro”. Opinião semelhante teve Érico Gabriel, da Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos Senepol, uma raça que tem apenas 16 anos no país, mas já apresenta grande potencial de expansão, com cerca de 44 mil cabeças no Brasil e 13 mil animais registrados em Minas Gerais. “Esse é um programa que vai ajudar na evolução da raça Senepol, com touros e fêmeas perfeitas”, disse.
 
Pela segunda vez participando da Exposição Agropecuária Estadual e pela primeira vez de uma feira do Pró-Genética, a Senepol foi considerada destaque e chamou atenção dos visitantes pela cor marrom e robustez dos touros e fêmeas apresentadas. A raça é resultado do cruzamento de uma raça africana e uma britânica. É considerada forte, resistente ao calor e a doenças, qualidades que têm atraído compradores no país, segundo Érico Gabriel.
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink