Abate de bovinos cai 11,1% no primeiro trimestre

Agronegócio

Abate de bovinos cai 11,1% no primeiro trimestre

De acordo com o levantamento, o resultado foi influenciado pela “recessão da economia mundial”
Por:
139 acessos

O abate de bovinos caiu 11,1% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2008. Ao todo, foram abatidas neste período 6,446 milhões de cabeças de gado. Já na comparação com o último trimestre do ano passado, a queda foi menor, de 3,6%. Os dados fazem parte da Pesquisa Trimestral do Abate de Animais, divulgada hoje (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o levantamento, o resultado foi influenciado pela “recessão da economia mundial”. Segundo a pesquisa, a crise não permite ainda uma retomada de crescimento dessa atividade, que demonstra uma fase de adaptação a esta nova realidade, interferindo nos negócios no mercado interno e externo.

O estado de Mato Grosso é apontado como o principal produtor nacional, tendo respondido por 13,6% de toda o abate no país. Em seguida, aparecem São Paulo (13,3%), Mato Grosso do Sul (12,2%) e Goiás (9,2%).

Ainda segundo o documento divulgado pelo IBGE, dados da Secretaria do Comércio Exterior (Secex) apontam que a exportação da carne bovina nos três primeiros meses deste ano sofreu redução de 19% em volume e de 34,1% em faturamento, ambos na comparação com o mesmo período de 2008.

O levantamento revela que também caiu o abate de frangos. De janeiro a março deste ano, o volume dessa atividade teve queda de 5,8% em relação ao primeiro trimestre do ano passado, e de 10,8% na comparação com o trimestre imediatamente anterior, o quarto de 2008. No primeiro trimestre deste ano, foram abatidas 1,122 bilhão de unidades de frango.

A atividade teve maior expressão na Região Sul (60,6%), seguida pela Sudeste (22,9%). O Paraná foi o estado que respondeu pelo maior volume de abate (26,5%), à frente de Santa Catarina (18,8%) e Rio Grande do Sul (15,3%).

Também apresentando queda no primeiro trimestre, as exportações de carne de frango tiveram redução de 3,9% em volume e de 21,9% em faturamento quando comparadas com o mesmo período do ano anterior.


“Sob o impacto da crise financeira mundial, alguns importantes compradores do produto brasileiro reduziram o ritmo de compras, como é o caso da União Europeia, Estados Unidos e Rússia”, diz a nota. Ainda segundo o documento, diante desse cenário, os produtores brasileiros estão buscando novos mercados ou ampliando as vendas para destinos como Hong Kong e Oriente Médio.

Em movimento oposto, o estudo revela que o abate de suínos foi o único a crescer entre os dois primeiros trimestres (7,1%), totalizando 7,322 milhões de unidades. Já na comparação com o último trimestre do ano passado, houve queda de 1,2%. A atividade ficou concentrada na Região Sul (68,3%), principalmente em Santa Catarina (28,3%).

O levantamento indica, com base em informações da Secex, que a comercialização externa de carne suína aumentou 19,0% em relação a igual período de 2008.

Os dados relativos à captação e industrialização do leite revelam que os estabelecimentos industriais adquiriram 4,954 bilhões de litros no primeiro trimestre de 2009. Esse resultado mostra estabilidade nos dois tipos de comparação. Minas Gerais foi o estado com maior volume de aquisição (26,8% do total).

A produção de ovos de galinha somou 580,305 milhões de dúzias, o que representa um aumento de 3,6% em relação ao primeiro trimestre de 2008 e leve queda (-1,0%) na comparação com o trimestre imediatamente anterior. São Paulo é o principal produtor, sendo responsável por 31,0% do total nacional.

Por último, o estudo revela que houve queda na aquisição do couro cru bovino tanto na comparação com igual trimestre do ano passado (20,5%) quanto em relação ao quarto trimestre de 2008 (4,1%). A atividade totalizou 7,702 milhões de unidades entre os meses de janeiro e março. São Paulo liderou o ranking nacional de comprador de couro, ficando com 18,5% do total.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink