Abiec e Apex investem mais R$ 3,8 milhões na promoção da carne brasileira

Agronegócio

Abiec e Apex investem mais R$ 3,8 milhões na promoção da carne brasileira

O convênio será assinado pelos presidentes das duas entidades, Pratini de Moraes e Alessandro Teixeira, respectivamente, às 11h30, no estande do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), na Expointer
Por: -Silvano
133 acessos

Aumentar a exportação da carne bovina brasileira é objetivo da parceria que a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec) e a Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) firmam na próxima terça-feira (28-08). O convênio será assinado pelos presidentes das duas entidades, Pratini de Moraes e Alessandro Teixeira, respectivamente, às 11h30, no estande do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), na Expointer.

A iniciativa integra o Projeto Setorial Integrado (PSI) e vai injetar mais R$ 3,8 milhões na promoção da carne brasileira no mercado internacional. "O PSI existe desde 2006 e vai liberar R$ 7,8 milhões até o próximo ano", destaca Pratini de Moraes. De acordo com ele, o convênio estabelece metas como aumentar de 22 para 24 o número de empresas participantes do projeto e ampliar de 90 mil para 100 mil o número de empregos diretos nas indústrias beneficiadas. Além disso, o volume das exportações deve subir de U$ 3,1 bilhões para U$ 3,4 bilhões até o final deste ano.

Projeto Imagem - Como parte das atividades de divulgação, a Abiec e a Apex trazem jornalistas estrangeiros ao Rio Grande do Sul no próximo dia 28 para conhecer a cadeia produtiva de carne. Os repórteres da França, Malásia, Rússia e Itália vão visitar frigoríficos e fazendas na Grande Porto Alegre, saboerear o tradicional churrasco de chão e participar da Expointer.

A finalidade da visista é mostrar à imprensa especializada a excelência da genética bovina gaúcha, que é hoje o carro-chefe dos eventos que a Abiec realiza no Exterior, principalmente nas feiras de alimentos. Eles terão ainda oportunidade de ver a forma como o gado é criado nos pampas gaúchos, o controle de qualidade adotado pelos frigoríficos que levam a marca Brazilian Beef e os seus critérios para a comercialização. Do Estado, a comitiva segue para a mesma empreitada no Mato Grosso do Sul.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink