Adapec/TO capacita inspetores agropecuários em curso do Mapa
CI
Agronegócio

Adapec/TO capacita inspetores agropecuários em curso do Mapa

Com o curso, os inspetores agropecuários estarão aptos a realizar as auditorias nos Eras - Estabelecimentos Rurais Aprovados no Sisbov, de acordo com a Legislação vigente
Por: -Janice
Vinte e quatro médicos veterinários da Adapec – Agência de Defesa Agropecuária – participam a partir desta terça-feira (19), de um curso de Formação de Auditores do Sisbov – Serviço Brasileiro de Rastreabilidade da Cadeia Produtiva de Bovinos e Bubalinos. O treinamento é uma realização do Mapa - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - e ocorrerá no auditório da Superintêndencia Federal da Agricultura, em Palmas (TO), até a sexta-feira (22). A solenidade de abertura acontece às 8h, e contará com a presença do presidente da Agência, Humberto Camêlo.


"Com o curso, os inspetores agropecuários estarão aptos a realizar as auditorias nos Eras - Estabelecimentos Rurais Aprovados no Sisbov, de acordo com a Legislação vigente", explica Camêlo, acrescentando que com a adesão das propriedades tocantinenses ao Serviço, novos mercados consumidores poderão surgir.

Durante a parte teórica, os fiscais terão aulas sobre os aspectos legais e os procedimentos administrativos relacionados às auditorias do Sisbov. Os participantes do curso também receberão informações sobre as exigências para a rastreabilidade, que constam na Instrução Normativa nº 17, além de receberem orientações de como proceder nas auditorias que também serão realizadas nas empresas certificadoras.


Após as aulas teóricas, os médicos veterinários farão aulas práticas, realizando auditorias em Eras no Estado. Ao todo, o curso tem duração de 32 horas e ao final, os participantes terão direito a um certificado de formação e também um número de registro que será o número de habilitação do auditor.

Serviço

O Sisbov foi criado para registrar e identificar o rebanho bovino e bubalino do território nacional possibilitando o rastreamento do animal desde o nascimento até o abate. Com a rastreabilidade, será possível emitir relatórios de apoio a tomada de decisão quanto a qualidade do rebanho nacional e importado.


A adesão dos bovinocultores é voluntária, mas será obrigatória no caso de comercialização de carne bovina e bubalina para mercados que exijam a rastreabilidade. Países europeus e também o Chile já cobram esse requisito, entre outros critérios.

Atualmente, o Tocantins tem 24 propriedades rastreadas, mas nenhuma exporta para a União Européia. As informações são da assessoria da Adapec.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.