Agraer incentiva diversificação da produção em Bataguassu

Agronegócio

Agraer incentiva diversificação da produção em Bataguassu

Uma das alternativas encontradas para diversificar a produção no município é a produção de hortas
Por:
1614 acessos
Campo Grande (MS) - Visando à diversificação da produção no município de Bataguassu, a Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer) está desenvolvendo, junto aos agricultores locais, atividades de incentivo à produção diversificada de alimentos.


Uma das alternativas encontradas pelas gestoras da Agraer, Sônia Komori e Derly Castelo Branco, para diversificar a produção no município é a produção de hortas em assentamentos e propriedades de agricultores familiares tradicionais. “Além da assistência técnica, nós procuramos também, junto aos produtores, buscar diversidades e variedades que melhor se adaptem à nossa região e prestar informações sobre questões importantes como a comercialização. O trabalho vem sendo realizado não somente com os que pretendem iniciar na atividade, mas também junto àqueles produtores que possuem pequenas hortas e já comercializam em feiras e comércios locais”, explicam as gestoras.

Para auxiliar os produtores com a questão da comercialização, a Agraer vem concentrando esforços no município, para aumentar a participação das famílias no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), que prevê a aplicação de 30% dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação na compra de gêneros alimentícios produzidos pela agricultura familiar. “Como a nova lei dá preferência de compra para alimentos produzidos pela agricultura familiar, acreditamos que este seja o momento de incentivar aqueles produtores que estavam ‘adormecidos’ a produzirem alimentos para fornecer nas escolas, e, consequentemente, utilizarem o excedente para incrementar e diversificar o comércio local, gerando uma melhoria nas condições socioeconômicas dos produtores participantes deste projeto”, diz Komori.


Na avaliação das gestoras, os trabalhos de diversificação na produção de alimentos do município vêm apresentando bons resultados junto aos produtores locais. O produtor José Mendes Martins é um dos agricultores que abriu as portas de sua propriedade para que a Agraer pudesse acompanhar seu processo produtivo e prestar as orientações necessárias. “Nesta propriedade pudemos acompanhar o desenvolvimento e a produtividade de sete tipos diferentes de melancia. Ao mesmo tempo em que coletamos dados de viabilidade da cultura em nossa região, como peso dos frutos e produtividade, orientamos o produtor a participar do PNAE e ele está, atualmente, entregando as frutas para a merenda escolar. Conseguimos também incluir na alimentação escolar o caju, cultura antes abandonada por falta de opções de comercialização, bem como algumas frutas de época como a acerola e a manga, que têm ótima aceitação”, destaca a gestora Derlly Castelo Branco.

As gestoras explicam que em 2010 foram gastos pelas escolas do município apenas 15% do recurso da alimentação escolar com os agricultores familiares através do PNAE, beneficiando 13 famílias. “Pouco ainda em relação ao mínimo de 30% que deveriam ser gastos, mas significante dado o despreparo e a resistência que os produtores apresentavam em acreditar no programa. Agora os produtores, mais confiantes, estão se preparando, aumentando as hortas e diversificando os produtos. O PNAE é um grande aliado neste trabalho de diversificação da produção em Bataguassu e esperamos, diante deste trabalho, que a próxima colheita destes produtores seja farta e proveitosa”, apontam as gestoras.


Na avaliação do diretor-presidente da Agraer, José Antônio Roldão, o trabalho desenvolvido pela Agraer em Bataguassu vai ao encontro da política desenvolvida pelo governador André Puccinelli junto à agricultura familiar do Estado. “Trabalhamos sobretudo para que o agricultor obtenha renda e melhore sua qualidade de vida. E vemos a diversificação das propriedades, hoje em sua maioria concentradas na pecuária leiteira, como uma excelente alternativa para que este objetivo seja alcançado”, conclui Roldão. 

Carina Borges

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink