Agricultores do Ceará reiniciam culturas de sequeiro
CI
Agronegócio

Agricultores do Ceará reiniciam culturas de sequeiro

A chuva caída nos últimos dias deixou a terra propícia para o plantio das sementes para a safra de inverno de 2007
Por:

De olho no céu e com a esperança de bom inverno, os agricultores de Várzea Alegre (CE) recomeçaram o plantio das culturas de sequeiro, arroz, milho e feijão. A chuva caída nos últimos dias deixou a terra molhada, propícia para o plantio das sementes para a safra de inverno de 2007.

O casal de agricultores Luiz Ivan Souza e Maria Custódio, do Sítio Caraíbas, no distrito de Canindezinho, tiveram prejuízo com o plantio feito no início de janeiro. Eles fizeram o cultivo de milho e feijão, animados com a chuva fora de época. Perderam 100% da lavoura. Mas, agora, com a retomada das precipitações já estão de volta ao campo.

Com a esperança de início da quadra invernosa, Ivan e Maria Custódio retornaram à roça para o plantio de um hectare de milho e feijão. “A gente acredita que a chuva agora veio pra valer”, disse Luiz Ivan. “O jeito é arriscar e plantar novamente”. Enquanto ele faz a escavação das covas, a mulher coloca as sementes, que tinham guardadas em casa.

No distrito de Riacho Verde, os agricultores Francisco Bezerra e Paulo Ribeiro passaram o fim de semana fazendo a limpeza da roça de milho de dois hectares. Eles também vivem a expectativa de um inverno regular que garanta a produção da lavoura. “Espero que as chuvas recomecem logo”, disse Bezerra. “A expectativa da maioria dos produtores é de que as precipitações aumentem a partir da segunda quinzena deste mês de fevereiro”.

Segundo o escritório local da Ematerce, foram distribuídas 35 toneladas de sementes selecionadas de milho, feijão e arroz. Neste ano, houve um incremento de dez toneladas de milho híbrido em relação a 2006. “A maioria só quer plantar milho”, comentou o gerente do Centro de Atendimento ao Cliente (Ceac), José Pinheiro de Almeida. “É a cultura de sequeiro que ainda compensa, cobre os custos de produção”.

E 2007, foram distribuídas 25t de milho híbrido. Estima-se que 10% já foram cultivadas. A maioria dos pequenos produtores ainda aguarda a consolidação da quadra invernosa. Segundo estimativa dos técnicos da Ematerce, a cultura de arroz é a que está com plantio mais avançado, em torno de 50%.

O gerente do Ceac mostra-se preocupado com a situação da agricultura de sequeiro. Pinheiro lembra que no fim de dezembro e início de janeiro passados foram registrados 270 milímetros, mas as chuvas cessaram. “Houve um veranico de mais de 30 dias e quem plantou cedo perdeu toda a lavoura”, observou. “Agora em fevereiro choveu 68 milímetros, e os agricultores estão voltando a plantar, mas há uma semana que não há precipitação”, ressaltou ele.

Custo

Além da irregularidade das chuvas, o elevado custo de produção e a queda do preço dos grãos, no período invernoso, desestimulam os agricultores. A saca de feijão de 60 quilos, no ano passado, caiu de R$ 150,00 para R$ 30,00, no fim da quadra chuvosa. A cultura de arroz é de alto custo. Isto é, mesmo que ocorra safra, os produtos da agricultura tradicional de sequeiro mal cobrem as despesas. A exceção é para a cultura do milho. As demais destinam-se a sobrevivência da agricultura familiar.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink