Agricultores do Paraná colhem primeira safra de mamona

Agronegócio

Agricultores do Paraná colhem primeira safra de mamona

No município de Roncador foram cultivados 80 hectares com a cultura
Por:
99 acessos

Os produtores de Roncador colheram a primeira safra de mamona. No município foram cultivados 80 hectares com a cultura. A atividade foi implantada em Roncador para proporcionar, principalmente aos agricultores familiares, uma alternativa de renda. Toda a produção será adquirida por uma empresa de biodiesel.

“A cultura da mamoneira é de grande importância para o agricultor familiar por ser de fácil cultivo. É resistente à seca, além de proporcionar ocupação e renda no meio rural. Essa cultura poderá num futuro bem próximo ser cultivada em uma área dez vezes maior em nosso município”, afirma o chefe da Emater de Roncador, Elzo Nunes Alves.

Ele explica que o óleo extraído das sementes da mamona, é de ampla utilização industrial e apresenta potencial para substituir alguns derivados do petróleo. Segundo Alves, o subproduto da extração do óleo é a torta que pode ser utilizada como adubo orgânico. “Esse produto, embora com alto poder protéico, somente poderá ser utilizado para alimentação animal, desde que desintoxicada através de processos químicos. Contudo, nesse momento o biodiesel merece destaque no cenário mundial por ser um produto de fontes renováveis e causar menos danos ao meio ambiente”, assinala.

O secretário de Agricultura de Roncador, Osvaldo Lavezzo, salienta que a produção do biodiesel é favorecida pelo baixo custo de produção e pelo alto preço do petróleo no mercado internacional. “A diversidade de plantas oleaginosas em nosso país, entre elas a mamona, é o futuro dos combustíveis”.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink