Agricultores sofrerão escassez de água com mudança climática, alerta FAO

Agronegócio

Agricultores sofrerão escassez de água com mudança climática, alerta FAO

Os produtores precisam adotar padrões de cultivo mais eficientes
Por:
5739 acessos
MILÃO (Reuters) - Fazendeiros, governos e agências reguladoras devem tomar medidas preventivas para melhorar o controle da água, porque a mudança climática restringirá os suprimentos de água para a agricultura, recomendou a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

A mudança climática trará temperaturas mais elevadas e secas mais frequentes, reduzindo a disponibilidade de água especialmente nas regiões mais secas. Ao mesmo tempo, o derretimento das geleiras também acabará por reduzir os suprimentos de água em áreas produtoras importantes, disse a FAO na quinta-feira (9).

"A subsistência de comunidades rurais e a segurança alimentar das populações urbanas estão sob risco", disse o diretor-geral assistente da FAO para Recursos Naturais, Alexander Mueller, num comunicado.

Os países devem melhorar a administração de seus recursos de água antes das mudanças esperadas e os produtores precisam adotar padrões de cultivo mais eficientes, afirmou a FAO no relatório Mudança Climática, Água e Segurança Alimentar.

Os agricultores podem reduzir o uso de água e otimizar a irrigação optando por um plantio antecipado ou posterior ao habitual, enquanto a colheita e a produtividade podem ser melhoradas com a adoção de práticas de conservação da umidade do solo, disse o relatório.

A plantação de culturas de raízes profundas permite que os produtores explorem melhor a umidade disponível do solo.

Sistemas agro-florestais mistos também representam uma promessa, porque sequestram carbono e oferecem proteção ao vento, melhor conservação do solo e sombras, que reduzem as temperaturas do solo e a evaporação.

Pequenos agricultores nos países em desenvolvimento, que já produzem bem abaixo do potencial, enfrentarão cada vez mais dificuldade para adotar essas estratégias por causa do acesso limitado ao capital, disse o relatório.

"Os pobres da zona rural, que são os mais vulneráveis, provavelmente serão afetados de forma desproporcional", afirmou Mueller.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink