Agricultura de precisão amplia espaço para cooperação com pesquisa nos Estados Unidos

Agricultura de precisão

Agricultura de precisão amplia espaço para cooperação com pesquisa nos Estados Unidos

Aplicação técnica da fotônica na agricultura, que permite realizar análises de solos de forma rápida, limpa e economicamente acessível ao produtor
Por:
66 acessos

A aplicação técnica da fotônica na agricultura, que permite realizar análises de solos de forma rápida, limpa e economicamente acessível ao produtor, é uma das linhas de pesquisa que podem ampliar e fortalecer a cooperação científica entre a Embrapa e o Serviço de Pesquisa Agrícola (ARS) do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

A possibilidade ocorre após passagem, pelo Brasil, dos pesquisadores do USDA Kenneth A Sudduth, especialista em Agricultura de Precisão (AP), e a cientista de solo Kristen Veum. Nesta semana eles conheceram tecnologias da Embrapa na região Sudeste e sistemas de cultivo no Centro-Oeste do País.

Sudduth é reconhecido internacionalmente por suas pesquisas com AP, como o desenvolvimento de melhores abordagens e novos sistemas de sensores para medir o carbono e a umidade do solo, baseado em espectroscopia de reflectância difusa no infravermelho próximo. O pesquisador é um dos primeiros a aplicar ferramentas para estimar a produtividade do solo e as variações das culturas no campo.

De acordo com o pesquisador Ladislau Martin Neto da Embrapa Instrumentação (São Carlos, SP) e ex-coordenador do Laboratório Virtual da Embrapa - Labex Estados Unidos, entre 2009 e 2011, os norte-americanos demonstraram grande interesse nas pesquisas que analisam a matéria orgânica, textura, pH, e conteúdo de macro e micronutrientes dos solos com o emprego da técnica baseada em laser, conhecida como LIBS, sem tratamento químico nas amostras.

A metodologia LIBS, sigla para espectroscopia de emissão óptica com plasma induzido por laser, cujas pesquisas são lideradas pela pesquisadora e chefe-adjunta de Transferência de Tecnologia, Débora Milori, deverão ser objeto de projeto conjunto para validar o LIBS para as análises de solos no estado de Missouri, nos Estados Unidos.

“A articulação da visita realizada pelo atual coordenador do Labex EUA, Geraldo Martha Junior, e pelo líder da Rede de Agricultura de Precisão, Ricardo Inamasu, está gerando a possibilidade de uso do LIBS para análises de solos também internacionalmente, o que dá a dimensão do que estamos fazendo por aqui”, disse Débora Milori.

Pesquisadores conhecem tecnologias para agricultura digital

Sudduth e Kristen, depois de participarem do Congresso Brasileiro de Agricultura de Precisão, realizado no início de outubro, em Curitiba, estiveram nas duas Unidades da Embrapa, em São Carlos - Instrumentação e Pecuária Sudeste - e, em Campinas, na Embrapa Informática Agropecuária.

Acompanhados por Inamasu, os pesquisadores visitaram os laboratórios da Embrapa Instrumentação, a infraestrutura e tecnologias do Laboratório de Referência Nacional em Agricultura de Precisão (Lanapre). No local, inaugurado em 2013 para pesquisar e desenvolver equipamentos, sensores, componentes mecânicos e eletrônica embarcada, os pesquisadores conheceram robôs, drones, sensores, entre outras ferramentas de AP.

Na Embrapa Pecuária Sudeste, os pesquisadores conheceram o sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), o GreenFeed, o GrowSafe e o Sistema de Leite, acompanhados do pesquisador Alberto Bernardi e do analista Wilson Malagó Junior.

Bernardi disse que a visita foi interessante porque a abordagem da pecuária de precisão adotada no ILPF tem como finalidade o manejo do sistema, e não apenas o uso de sensores e equipamentos. “Nossa pesquisa gera subsídios para intermediar o manejo. E eles também estão trabalhando nesta linha”, afirmou o pesquisador.

Pesquisas envolvendo agricultura 4.0, Internet das Coisas (do inglês, Internet of Things - IoT), entre outras, foram o foco da visita dos norte-americanos à Embrapa Informática Agropecuária nesta quinta-feira (11), acompanhados do pesquisador Ariovaldo Luchiari.

Os norte-americanos também estiveram em Cuiabá (MT). Sudduth, que é ex-presidente da Sociedade Internacional de Agricultura de Precisão, realizou palestra no começo da semana para convidados da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) e do Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt).

No estado, ainda teve a oportunidade de conhecer o sistema double crop, que é a prática de produzir duas ou mais culturas na mesma área, como é o caso em Mato Grosso, onde o algodão é cultivado após a colheita da soja, na mesma safra.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink