Agrishow vende R$ 510 milhões


Agronegócio

Agrishow vende R$ 510 milhões

Por:
1 acessos

Agrishow Cerrado representou um novo marco na relação do governo do estado com o empresariado do agronegócio

movimentação do Agrishow Cerrado superou à expectativa de seus organizadores. A previsão era de um volume de vendas de R$ 500 milhões. Ontem, antes do encerramento da feira, o balanço parcial registrava R$ 510 milhões sem computar operações feitas com recursos próprios, propostas em fase elaboração e vendas isoladas de insumos. Na última parcial divulgada pelo Banco do Brasil o montante financiado, de R$ 160 milhões, era o maior registrado nas feiras e similares do país, incluindo o Agrishow de Ribeirão Preto (SP), no ano passado.

O gerente da agência Centro – gestora dos negócios na feira - do BB de Rondonópolis, Marcos Pachiega, adiantou que até no fechamento do expediente na sexta-feira o banco tinha financiado R$ 160 milhões, basicamente em FCO, em aproximadamente 1.200 contratos para clientes locais, de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Paraná.

Na sexta, o Bradesco fechou o expediente daquele dia com R$ 76 milhões em financiamento, com predominância do Moderfrota, revelou o assessor de Negócios da Diretoria Regional do banco, Raniery Queiroz.

Juntando-se aos financiamentos do Banco do Brasil e do Bradesco o montante financiado diretamente por bancos de fabricantes de tratores a exemplo da New Holland, com R$ 50 milhões, e Case IH com R$ 30 milhões, o presidente do Agrishow Cerrado e da Fundação Mato Grosso, Gilberto Goellner chegou à cifra de R$ 510 milhões.

Mas, o Agrishow que se realizou pela segunda vez em Rondonópolis não se caracterizou somente pelo gigantismo de suas vendas. Ele também representou um novo marco na relação do governo do estado com o empresariado do agronegócio. Na abertura do evento, no dia 8, o governador Blairo Maggi anunciou oficialmente a criação do Programa de Desenvolvimento de Mato Grosso, direcionado ao incentivo à instalação de indústrias no estado.

A evolução tecnológica colocada a serviço do homem do campo também ocupou lugar de destaque no Agrishow. A Case IH lançou nacionalmente naquela feira o modelo MXM Maxxum, um trator médio com tração 4X4. Na área agrícola a empresa Agro Norte, de Sinop (500 km ao norte de Cuiabá) apresentou a primeira variedade de arroz híbrido do mundo para cultivo em terras altas. O lançamento oficial desse arroz acontecerá em setembro, em Pequim, na China.

Na esfera política o Agrishow Cerrado também produziu resultados consensuais de interesse da agropecuária. Na sessão itinerante realizada naquela feira pela Assembléia Legislativa, o primeiro secretário da Mesa Diretora do legislativo, deputado Silval Barbosa (PMDB), assumiu compromisso público em “apoiar irrestritamente” o governador Blairo Maggi na execução e na regulamentação do programa de desenvolvimento.

Para demonstrar o reconhecimento do Banco do Brasil ao Agrishow, o superintendente do banco em Mato Grosso, Sidney Senhorini, despediu-se de suas funções e apresentou seu sucessor, Dan Conrado, aos participantes. Senhorini foi transferido para a Bahia, Dan é oriundo de Mato Grosso do Sul e assumeiu o cargo ontem (13).


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink