Agroceres e Assuvap: 25 anos de sucesso em parceria e tecnologia

Agronegócio

Agroceres e Assuvap: 25 anos de sucesso em parceria e tecnologia

Empresa e entidade comemoram 25 anos de uma história de superação com tecnologia e confiança
Por:
2555 acessos
Empresa e entidade comemoram 25 anos de uma história de superação com tecnologia e confiança

A Agroceres PIC e a Agroceres Multimix homenagearam a Associação dos Suinocultores do Vale do Piranga (Assuvap) pelos seus 25 anos com um quadro especial. A tela, que retratava a prosperidade da região, foi recebida pelo presidente da entidade, Fernando César Soares, das mãos do diretor superintendente da Agroceres PIC, Alexandre Rosa e do gerente nacional de suínos da Agroceres Multimix, Edmo Carvalho. “Pensamos em fazer uma homenagem diferente. Nosso relacionamento com a associação é tão profundo que as nossas histórias se cruzam ao longo destes 25 anos”, destacou Edmo Carvalho.
 
Alexandre Rosa também reforçou a história de amizade com os produtores da região. “Estamos muito contentes em homenagear essa entidade com tantas histórias de superação. Sempre teremos prazer em prestigiar os clientes da região, pois temos vínculos históricos muito importantes”, afirmou.
 
    Fernando César Soares, das mãos do diretor superintendente da Agroceres PIC, Alexandre
 Rosa e do gerente nacional de suínos da Agroceres Multimix, Edmo Carvalho

Ao receber a homenagem, Fernando Soares destacou a importância da empresa no desenvolvimento da suinocultura da região. “A Agroceres teve um papel fundamental no início da tecnificação da nossa suinocultura. As primeiras granjas modernas foram adquiridas da Agroceres, desde as plantas de construção, passando pela genética, nutrição e manejo”.

Uma história de tecnologia e confiança

Foi na década de 80 que começou o processo de tecnificação da suinocultura do Vale do Piranga. A Agroceres trazia ao mercado brasileiro uma genética muito diferente, mais voltada para a característica de importância econômica, o que significa uma carne mais magra. Os produtores da região apostaram na novidade e começava uma parceria que ia mudar a cara da suinocultura local e vida daquelas famílias.

Todo o processo de modernização da atividade foi impulsionado pela tecnologia da Agroceres, explicou um dos precursores da suinocultura na região, Hamilton Moreira Leite. “Foi a Agroceres que trouxe tecnologia para nós. A gente não tinha apoio técnico e existiam muitas doenças em nosso rebanho. Por isso, não é exagero dizer que este foi um trabalho muito importante para todos nós”, disse o suinocultor.

Nesta parceria, a empresa forneceu produtos, orientação técnica e preparação de recursos humanos. A partir daí, os produtores locais superaram enormes desafios, ressalta Edmo Carvalho. “Por estar distante da produção de grãos, os produtores precisaram ser mais competitivos e a aposta foi na tecnologia. Por outro lado, este desafio desenvolveu o empreendedorismo destes suinocultores”, completou o especialista.

Com o avanço tecnológico, a produção de suínos na região saltou de 20.000 para 60.000 matrizes em 25 anos. Para o suinocultor e diretor da Assuvap, João Leite, essa expansão foi bem sucedida em função do uso de tecnologia.
Os maiores suinocultores da região foram os que mais apostaram em tecnologia, lembrou Israel de Souza, da Elonutri. “É impressionante notar que as granjas que mais acreditaram naquela nova tecnologia são hoje as mais bem sucedidas da região”.

O suinocultor e diretor da Assuvap, Armando Carneiro, acredita que o desafio do produtor está no acesso a informação qualificada e no acompanhamento técnico, de maneira que possa ajudar na tomada de decisões. “É muito importante a gente saber o que está acontecendo no mercado e quais tecnologias podem nos ajudar, além de ter um bom apoio técnico na granja, pois são essas coisas que nos ajudam a definir qual caminho devemos seguir. E a Agroceres é muito forte no acompanhamento técnico e na difusão de informações relevantes”.

Raio-x da região

Cerca de 160 quilômetros de Belo Horizonte, a suinocultura é hoje a principal atividade do Vale do Piranga, região que fica ao norte da Zona da Mata mineira. A região tem 60.000 matrizes, é responsável por 30% da produção de toda a carne suína de Minas Gerais, gera cerca de 4.000 empregos diretos e seus produtores se reúnem todas as quintas na Bolsa de Suínos de Belo Horizonte.

Com perfil independente, os suinocultores se organizaram para ganhar escala e desenvolver a cadeia produtiva. Fundaram a Assuvap, hoje com 82 produtores associados, fizeram parceria com o Sebrae, criaram a Cooperativa dos Suinocultores de Ponte Nova e Região (Coosuiponte) e idealizaram o Frivap, o frigorífico Saudali, uma empresa S/A.

Alexandre Rosa destacou o empreendedorismo dos produtores da região. “Na década de 80, eles apostaram em uma genética muito nova. Depois investiram na qualificação da mão-de-obra e também na questão ambiental. Fizeram do advento do biodigestor uma nova oportunidade. Estes suinocultores ainda conseguiram equalizar as dificuldades com a distância dos grãos usando técnicas de gerenciamento de risco e estoque. Depois se organizaram e criaram um frigorífico, agregando valor ao produto. Por tudo isso, eles têm plenas condições de se manter altamente competitivos no futuro e seguir inovando com novas tecnologias”.

A suinocultura de Ponte Nova mudou de porte nos últimos 25 anos, disse o presidente do frigorífico Saudali, Tito Soares. “A atividade era voltada para atender pequenos açougueiros e pequenos frigoríficos. Gosto de destacar que tudo isso foi criado a partir de suinocultores e durante todo o processo de desenvolvimento do setor, todos trabalharam como voluntários na presidência da Assuvap, depois do Frivap”.

Para o suinocultor de Jequeri, Eustáqio Martins, o desenvolvimento da suinocultura aproximou as pessoas. “A suinocultura foi a atividade que mais cresceu na região”.

A suinocultora e médica veterinária, Maria Auxiliadora Machado Soares Lana, destaca a rapidez com que a região absorve novas tecnologias. “Estamos sempre recebendo muitas informações, sempre atualizados”.

Os produtores do Vale do Piranga conseguiram romper barreiras e trabalharam muito forte no intercâmbio de tecnologias com outras regiões. Primeiramente em parceria com a Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg) e depois com a Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), disse o vice-presidente da Asemg, José Arnaldo Penna.

“Esta facilidade de entrosamento elevou o nível da suinocultura na região e no Estado e a parceria com o Sebrae trouxe maior profissionalismo ao setor”, disse José Arnaldo, que ainda ressalta que “a região foi o primeiro núcleo no país a apoiar o Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS)”.

Na última quinta-feira, dia 2 de dezembro, a Assuvap e a Coosuiponte realizaram um jantar de encerramento das atividades de 2010 e comemoração dos 25 anos da Assuvap em Ponte Nova, Minas Gerais.

As informações são de assessoria de imprensa.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink