Soluções no campo

Agroecologia e agricultura familiar cada vez mais fortes

Sebrae-GO tem fomentado este tipo de produção, cada vez mais demandada pelo consumidor
Por: -Marcelo Mariano
744 acessos

A agroecologia tem a finalidade de transformar a atividade rural em agronegócios rentáveis por meio do uso sustentável e da conservação dos recursos naturais. Dessa forma, expande-se o número de pessoas ocupadas na produção e, consequentemente, aumenta-se o faturamento bruto.

Responsável pela maioria dos alimentos que chegam às mesas dos brasileiros, a agricultura familiar pode ter, vez ou outra, sua presença tão marcante passada despercebida, se lembrarmos que 87% da mandioca, 70% do feijão, 58% do leite, 50% de aves, 59% dos suínos, 46% do milho, 38% do café e 34% do arroz consumidos por nós são oriundos desta prática.

A fim de facilitar a abertura de mercado para agricultores familiares goianos, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Goiás (Sebrae-GO) desenvolve diversas ações voltadas para o tema, como a Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (Pais) e o programa Negócio Certo Rural.

Casos concretos

Para Vitorino Ferreira, de Aná­polis, o brasileiro está se tornando cada vez mais consciente dos prejuízos à saúde causados pelo uso de adubo químico e, com isso, acaba passando a respeitar a natureza. Os Produtos do Vito, como são conhecidos, consistem em alimentos como rapadura, açúcar mascavo, açafrão e ovo caipira.

Vitorino Ferreira já participou de cursos do Sebrae-GO de capacitação do agricultor, além de oficinas sobre pequenas empresas e empreendedorismo rural. “Tem surtido resultado”, garante.

A?empresa Delícias Verdes, de Paulo Aparecido de Oliveira, produz praticamente todas as variedades de hortaliças, como cheiro verde, cebolinha, batata e mandioca. Ele conta que já chegou a oferecer 32 variedades em uma feira. Mas, devido ao ciclo da planta e ao pouco espaço de que dispõe, a sua produção gira em torno de 20 a 25.

Também de Anápolis, Paulo Aparecido de Oliveira já esteve presente em rodadas de negócios do Sebrae, que, segundo ele, o ajudaram de maneira significativa.
Paulo ressalta que, além dos benefícios à saúde do consumidor, a agroecologia ajuda o próprio produtor, uma vez que não há contato com agrotóxicos. “Já fui plantador de tomate e, nessa época em que mexi com a produção convencional, cheguei a ficar intoxicado”, relata.

Crise

Há cerca de cinco anos no ramo, Vitorino Ferreira afirma que a agroecologia está em ascensão. Mesmo no contexto da atual crise econômica, a sua produção não diminuiu e o agricultor continua fazendo entregas e participando de feiras ecológicas.

Paulo Aparecido de Oliveira, por sua vez, está há quase quatro anos no segmento. A crise, de acordo com ele, não teve um efeito muito evidente, mas, de uma certa forma, o afetou indiretamente, pois o preço da gasolina, por exemplo, fez com que aumentassem os custos das entregas, o chamado delivery.

Na visão de Gustavo Toledo, gerente do Sebrae Regional Centro (Anápolis), alguns setores da economia foram afetados pela crise. Contudo, como a alimentação é básica e as pessoas não deixam de consumir, muitos resolvem evitar comer fora e preferem comprar, por um preço mais barato, do pequeno produtor em feiras.

Analista do Sebrae de Goiás, Arildo Francisco Costa argumenta que a agricultura tradicional está reclamando da falta de mão de obra para trabalhar no campo, uma vez que os custos dos insumos subiram e eles não estão conseguindo repassar o suficiente para o produtor final.

Já na agroecologia, os produtos estão sendo 90% bem comercializados. Mas Arildo alerta que não adianta somente produzir. “É necessário conhecer uma estrutura de custos e o Sebrae tenta fazer esse papel de conscientização”, pontua. Segundo Gustavo Toledo, os pequenos produtores têm procurado as soluções da organização e a adesão aos programas tem sido extremamente positiva.

Joel Rodrigues Rocha, gerente Sebrae de Atendimento Coletivo, orienta os produtores rurais a buscarem apoio para suprir suas necessidades. “O trabalho do Sebrae consiste em prestar consultoria, ajudar a planejar e capacitar, proporcionar acesso à tecnologia e à inovação sempre com o intuito de melhorar a gestão”, frisa.

Além disso, o Sebrae-GO atua de maneira alinhada aos programas do governo federal, como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Conheça:

PNAE: financia a aquisição de gêneros alimentícios oriundos da agricultura familiar para a alimentação dos alunos matriculados nas redes públicas de ensino. Além de contribuir para o desenvolvimento local, o programa também incentiva as práticas saudáveis de alimentação.

PAA: executado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e pelo Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA), o programa contribui para a erradicação da fome, estimula a produção local sustentável e promove a inclusão social e econômica do homem do campo.

Ademais, no Brasil, é obrigatório destinar à alimentação escolar no mínimo 30% dos recursos financeiros repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) aos entes federativos e municípios. Só em 2016, 3 bilhões e 780 milhões de reais do repasse do FNDE foram diretamente para a alimentação escolar. Abre-se, assim, mais uma grande oportunidade de comercialização dos produtos da agricultura familiar.

Seminário

Realizou-se, no dia 27 de outubro, o 5º Seminário Agroecológico de Anápolis, que contou com a presença de mais de 200 pessoas e cujo tema foi “Agroecologia: Construindo um Futuro Sustentável”.

Evento anual desde 2013, a edição deste ano foi concretizada através de uma parceria entre a Associação de Produtores Agro­ecológicos de Anápolis e região (Aproar), a Cooperativa de Crédito Sicoob Credicapa, a Empresa Brasi­leira de Pesquisa Agropecuária (Em­bra­pa), o Serviço Social do Co­mércio (Sesc), a Prefeitura Municipal de Anápolis e o Sebrae-GO.

Dentre as atividades propostas pelo Seminário, constaram a exposição de casos de sucesso e palestras que versam a respeito do acesso à tecnologia e à inovação e como reconhecer os insetos amigos.

Tanto Vitorino Ferreira quanto Paulo Aparecido de Oliveira participaram do Seminário. Ambos destacaram a riqueza dos conteúdos abordados, que facilitaram o aprendizado no que concerne à agroecologia, aos insetos amigos e inimigos e à valorização do produto, do manejo e da preservação do meio ambiente.

“O Sebrae cumpre a missão de promover o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios”, diz diretor

Confira a nota de Wan­der­son Portugal Lemos, diretor técnico do Sebrae-GO, sobre as ações da instituição voltadas para a agroecologia:

“Os produtores rurais que produzem alimentos orgânicos e os que fazem parte do programa de agricultura familiar são responsáveis por quase a totalidade da produção de alimentos que chegam à mesa dos brasileiros. E, em Goiás, esta realidade é percebida de forma cada vez mais promissora. O Sebrae tem programas e projetos inovadores e de sustentabilidade voltados para atender o produtor rural. Ações de capacitação e de mercado, bem como a realização de um evento como o Seminário Agroecológico de Anápolis, que traz a pauta da agroecologia e agricultura familiar, são fundamentais para o aprimoramento e troca de conhecimentos entre os produtores e técnicos.

Para a agroecologia, o Sebrae atua junto com o produtor rural com o propósito de transformar a atividade rural em ações rentáveis com práticas de conservação e uso sustentável de recursos naturais, aumentando o número de pessoas ocupadas na produção e ampliando o faturamento dos produtores atendidos.

Em relação à agricultura orgânica, a instituição oferece um sistema de produção que tem por objetivo preservar a saúde do meio ambiente, a biodiversidade, os ciclos e as atividades biológicas do solo. Esta é uma prática que encontra cada vez mais mercado consumidor.

O Sebrae oferece, desde 2005, uma tecnologia que une a criação de animais à produção orgânica com técnicas sustentáveis e de preservação animal. Trata-se da Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (Pais). Um modelo de tecnologia que melhora a qualidade de vida de trabalhadores rurais, pois promove inclusão social e geração de renda para as comunidades rurais. Esta técnica de produção baseia-se na preservação ambiental, evita o uso de produtos ou ações que agridam o meio ambiente e alia a criação de animais à produção orgânica. O principal objetivo é possibilitar o cultivo de alimentos mais saudáveis, sem uso de agrotóxicos, tanto para o consumo das famílias dos agricultores como para comercialização.

Outro destaque é o programa Negócio Certo Rural, voltado para a capacitação em planejamento e administração de pequenos negócios rurais. Ele auxilia os produtores na melhoria de negócios, assim como na implantação de novas atividades. O objetivo é estimular os empreendedores rurais a inovarem em produtos e serviços já existentes nas propriedades e até mesmo na criação de novas oportunidade, como, por exemplo, investir no turismo rural, que é um negócio estratégico para o campo.

Com este trabalho em Anápolis, o Sebrae pôde cumprir com a sua missão de promover o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios. Estejam eles na cidade ou no campo.” l

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink