Agroindústria de farinha e polvilho estimula produção no Vale do Mucuri/MG
CI
Agronegócio

Agroindústria de farinha e polvilho estimula produção no Vale do Mucuri/MG

Unidade de processamento implantada com o apoio da Emater beneficiou dezenas de famílias do município de Bertópolis
Por:
Unidade de processamento implantada com o apoio da Emater beneficiou dezenas de famílias do município de Bertópolis

A produção de farinha e polvilho de mandioca é tradicional no município de Bertópolis, Vale do Mucuri. A atividade tem sido importante fonte de renda para famílias de pequenos produtores. Recentemente, a produção do município ganhou mais estímulo com a implantação de uma unidade de processamento. Algo possível por meio de ações do Governo de Minas, com a participação da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG). A utilização de equipamentos modernos tem facilitado o trabalho e trouxe expectativas.


A implantação da agroindústria beneficiou 34 famílias, que antes faziam o processamento da mandioca de maneira artesanal. Com a instalação da fábrica da Associação Comunitária dos Moradores do Pradinho, o trabalho tornou-se mais simples e rápido. A unidade tem ajudado a aumentar a quantidade e a qualidade da produção. Em 2011, foram produzidas quatro toneladas de polvilho e oito de farinha. A expectativa para 2012 é de que a produção de polvilho chegue a seis toneladas e a de farinha de mandioca a 12. A unidade foi implantada com recursos do Minas Sem Fome e do Programa de Combate à Pobreza Rural (PCPR).

A matéria-prima para a fabricação de farinha e polvilho é cultivada pelas próprias famílias. As lavouras de mandioca são individuais. O mesmo acontece com o processamento da raiz. Cada família reserva um horário na unidade para produzir sua farinha e seu polvilho. O trabalho é feito em mutirão com a ajuda de outros produtores. Uma parte do que é produzido pelas famílias é destinada à associação para a manutenção da unidade. A comercialização dos produtos ainda é realizada individualmente.


Há 15 anos, Josemar José Caetano produz farinha de mandioca. Segundo ele, o trabalho era todo manual. “Tudo demorava mais. Era mais difícil”, conta o produtor. Com a implantação da agroindústria no município de Bertópolis, o trabalho ficou mais simples. “Além de agilizar a produção, a fábrica nos ajuda a produzir uma farinha com mais qualidade e a não desperdiçar material”, explica Josemar Caetano.

Segundo a extensionista da Emater-MG Selma Braun da Silva, a empresa tem estimulado o associativismo entre os produtores. Ela explica que o trabalho individual é um hábito na região, mas que, com a instalação da fábrica, isso pode mudar. “Será um desafio, mas estamos tentando. O associativismo fortalece o grupo e pode ajudar na conquista de mercado e na agregação de valor ao produto dos associados”, diz Selma Braun.


Recursos para a implantação da agroindústria

A unidade de processamento de mandioca do município foi implantada em 2011. Os recursos para a construção do prédio são provenientes do Programa de Combate à Pobreza Rural. O total do investimento foi de R$ 51 mil. O PCPR é desenvolvido pelo Governo de Minas, com apoio do Banco Mundial (Bird), e tem como objetivos reduzir a pobreza e buscar soluções para desenvolver as comunidades onde atua, nos vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas.

A Emater-MG participa ativamente de reuniões com o Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS) e com as associações para identificar as prioridades dos municípios. A partir dessas reuniões, são definidos quais subprojetos do PCPR serão implantados. A Emater-MG elabora os subprojetos técnicos, que são encaminhados aos CMDRS para aprovação e, posteriormente, ao Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene), que faz a análise da legitimidade, elegibilidade e viabilidade técnica e ambiental dos subprojetos. Após a implantação dos subprojetos, a Emater continua prestando assistência às famílias beneficiadas, acompanhando o desenrolar do processo.


Os equipamentos da unidade de processamento foram adquiridos com recursos as ordem de R$ 34 mil do Minas Sem Fome. A fábrica foi equipada com ralador automático, forno motorizado e prensa manual, entre outros.

O Minas Sem Fome é um projeto do Governo de Minas, executado pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), por meio da Emater-MG, com apoio das prefeituras. O objetivo é implementar ações que contribuam para a inclusão da população de baixa renda no processo produtivo, especialmente agricultores familiares. O programa incentiva a produção de alimentos, agregação de valor e geração de renda, visando à melhoria de suas condições de segurança alimentar e nutricional. A Emater-MG é responsável pela mobilização dos agricultores, assistência técnica, compra e distribuição dos insumos.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.