Além do Brasil, França também sofre com o trigo
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,042 (0,45%)
| Dólar (compra) R$ 5,57 (-1,24%)

Imagem: Pixabay

MUNDO

Além do Brasil, França também sofre com o trigo

“Fortes chuvas já atrapalharam a atividade de semeadura até a última metade de setembro"
Por: -Leonardo Gottems
186 acessos

Chuvas abundantes até o final de setembro e início de outubro podem prejudicar o desenvolvimento de plantações de inverno na França e repetir o início desastroso da campanha de semeadura de 2019, que levou a uma das menores colheitas do país já registradas, alertaram fontes comerciais na terça-feira. Foi o que afirmou a TF Agroeconômica. 

“Fortes chuvas já atrapalharam a atividade de semeadura até a última metade de setembro, com algumas partes do país enfrentando devastação, já que mais de 80 mm de chuva caíram apenas nos últimos 15 dias. Com mais chuvas ainda esperadas nos próximos dias, o País pode estar enfrentando um atraso significativo na safra de inverno, potencialmente prejudicando a safra do próximo ano”, comenta. 

Atualmente, o Ministério da Agricultura francês espera que a produção de trigo de  2020 caia para 29,4 milhões de toneladas, uma queda de 25,5% em relação ao ano anterior e de 16,5% em relação à média de cinco anos, depois que as lavouras foram atingidas por chuvas excessivas até o último trimestre do ano. “Isso foi depois agravado pela seca até o primeiro semestre de 2020. Para o sudoeste da França, os plantios geralmente continuarão até meados de novembro, o que significa que ainda há tempo para as lavouras se recuperarem, apesar da forte chuva”, completa. 

Mas no Norte, a principal região produtora de grãos do país, os plantios geralmente são concluídos mais cedo, o que significa que as culturas podem ter menos tempo para se recuperar se a chuva não parar. “A meteorologia espera chuva nos próximos 10 dias, com as perspectivas variando de 5,2 mm no noroeste da França até 88 mm ou mais no nordeste do país”, conclui, citando o Agricensus.  

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink