Alemanha tenta reverter proibição chinesa de importação de carne suína
CI
Imagem: Pixabay
IMPORTAÇÃO

Alemanha tenta reverter proibição chinesa de importação de carne suína

Governo alemão continua conversando intensamente com a China sobre o relaxamento das proibições
Por:

O governo alemão continua conversando intensamente com a China sobre o relaxamento das proibições de importação de carne suína alemã impostas após a descoberta da peste suína africana (PSA) no país neste outono, disse o ministério da agricultura da Alemanha na quinta-feira.
 
A China e outros compradores de carne suína asiáticos proibiram as importações de carne suína alemã em setembro, depois que o primeiro caso PSA foi confirmado na Alemanha em javalis, fazendo com que os preços da carne suína chinesa subissem e os preços alemães caíssem.
 
Cerca de 240 casos de PSA foram confirmados na Alemanha desde o primeiro dia 10 de setembro. Todos foram em animais selvagens, com porcos de fazenda não envolvidos.
 
A Alemanha continua pressionando a China por um acordo de regionalização sobre as importações de carne suína, disse o ministério da agricultura em Berlim em um comunicado.
 
Isso envolve interromper as importações de carne de porco apenas da região de um país onde o ASF foi encontrado e não uma proibição geral de vendas de todo o país.
 
O ministério disse ter enviado recentemente às autoridades chinesas um extenso catálogo de respostas às perguntas da China sobre as medidas da Alemanha para evitar que a PSA se espalhe dentro do país, para prevenir a chegada de novas infecções e a detecção precoce de PSA em animais selvagens e caso ocorram casos em fazendas.
 
A China ainda não respondeu, disse o ministério.
 
O ministro da Agricultura da Alemanha, Beate Kasch, tem conversado com as autoridades chinesas, e a China concordou que as negociações devem continuar entre os veterinários-chefes dos dois países, disse o ministério de Berlim.
 
A ASF não é perigosa para os humanos, mas é fatal para os porcos. Um surto massivo na China exterminou pelo menos 40% dos porcos da China em 2019 e criou uma grande necessidade de importação.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink