Algodão MT: Imea revisa projeções
CI
Agronegócio

Algodão MT: Imea revisa projeções

Volume para este ciclo manterá o Estado como maior produtor de fibra do país
Por:

Superfície chega a 605 mil ha, expansão anual de 33,7% em relação à safra passada, marcada por significativo recuo

A recuperação de área de algodão em Mato Grosso foi ainda maior do que o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), havia projetado nos levantamentos anteriores. Superfície chega a 605 mil hectares, expansão anual de 33,7% em relação à safra passada, que foi marcada por um recuo espacial de mais de 26%. 

A primeira estimativa para esta safra, divulgada em janeiro apontava para uma área plantada de 581 mil hectares, o que já apresentava aumento de 28,7% em relação à safra passada. Com a manutenção do cenário otimista de mercado para o decorrer do ano, os produtores aumentaram a área para 605 mil hectares, incremento de 33,7% em relação à safra 2012/13. 

Os ‘tipos de safra’ devem continuar semelhantes à safra 2012/13, sendo 29,9%, aproximadamente 181 mil hectares semeados em primeira safra, ou seja em dezembro de 2013, e, o restante - 70,1% -, equivalente a 423 mil hectares, coberto em segunda safra, usados como opção de safrinha no Estado. Desta forma, a expectativa de produtividade também é parecida com a safra passada, com uma queda de apenas 1,7%, ficando em 3.828 kg/ha ou 255 @/ha. “A queda é justificada por questões climáticas, pois devido às fortes chuvas do início do ano, alguns produtores foram forçados a plantar seus últimos hectares após o encerramento da janela ideal de plantio, o que pode acarretar em falta de chuvas para a parte final do desenvolvimento da pluma”, avaliam os analistas do Imea. 

A produção de pluma deve chegar a 902 mil toneladas, um aumento de 31,1% em relação à safra passada. Com 2,3 milhões de toneladas de algodão em caroço, considerando o rendimento da fibra de 39%. “Com isso, o Estado deve colocar em torno de 215 mil toneladas de pluma a mais no mercado em 2014 do que colocou em 2013”. O volume deste ciclo mantém o Estado como o maior produtor de fibra do país. 

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink