Algodão será a cultura com maior crescimento na safra 2010/2011 em MG

Agronegócio

Algodão será a cultura com maior crescimento na safra 2010/2011 em MG

Aumento da produção pode chegar a 37%
Por:
2091 acessos
Aumento da produção pode chegar a 37%

A cultura do algodão é a que irá apresentar o maior crescimento de área plantada e produção no próximo ano em Minas Gerais. É o que indica o primeiro levantamento da safra 2010/2011 realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A pesquisa de intenção de plantio mostra que os produtores irão retomar a atividade animados com o grande aumento do preço do algodão no mercado interno e no exterior.

A produção de algodão a ser colhida no ano que vem em Minas Gerais será a maior das últimas três safras. Segundo a Conab, a colheita irá ficar entre 70 mil e 77 mil toneladas. Uma elevação que pode ser até 37% maior do que a colheita deste ano. Já a área plantada no Estado também terá um aumento de até 37% em relação ao que foi registrado na safra 2009/2010. Deverão ser cultivados entre 19 mil e 21 mil hectares.

Para o superintendente da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, João Ricardo Albanez, o cenário atual é de estímulo e uma alternativa para os agricultores na rotação de cultura com a soja e o milho. Mas ele alerta que é necessário conhecimento para investir na produção de algodão. “A atividade requer um bom manejo, pois o seu custo de produção é superior ao da soja e do milho. Não é cultura para novos produtores e, sim, para aqueles que já possuem uma estrutura montada, pois demanda investimentos diferenciados, como maquinários, por exemplo”, diz.

Bons preços

O preço atrativo do algodão é consequência dos baixos estoques mundiais de produto. O presidente da Associação Mineira dos Produtores de Algodão (Amipa), Inácio Carlos Urban, explica que o excesso de chuvas provocou uma quebra de 30% na safra da Turquia, quarto maior produtor de algodão do mundo. Além disso, baixos estoques mundiais, principalmente dos Estados Unidos, contribuíram para a atual cotação de algodão. “Não vai faltar produção de algodão para atender à demanda existente, mas irá faltar estoque”, alerta.

De acordo com Urban, os produtores terão boa lucratividade com a venda do algodão. Os estados da Bahia, Mato Grosso e Goiás, maiores produtores brasileiros, já estão com 60% da produção vendida para o mercado externo, sendo China, Turquia e Indonésia os principais compradores.

Segundo ele, o cenário deve se manter favorável até a safra de 2012 quando haverá a formação de novos estoques para atender à demanda mundial. A grande preocupação da associação é dar suporte aos produtores que quiserem investir na atividade, por meio de ações desenvolvidas por meio do Programa Mineiro de Incentivo à Cultura do Algodão (Proalminas), em parceria com a Secretaria de Estado de Agricultura.

O programa incentiva a produção de algodão no Estado com o pagamento da indústria para o produtor de 9% a mais do preço do algodão em pluma estipulado pela Bolsa Cepea/Esalq. Já a indústrias têm uma desoneração fiscal concedida pelo Governo de Minas de 41,66% do ICMS, desde que adquiram 100% da pluma produzida no Estado.

A região Noroeste responde por 55% da produção de algodão em Minas. O município de Unaí é o principal produtor estadual, seguido de Presidente Olegário e Coromandel. A cadeia de produção da indústria têxtil em Minas Gerais responde atualmente por cerca de 200 mil empregos, de acordo com o Sindicato das Indústrias de Fiação e Tecelagem no Estado de Minas Gerais (Sift-MG).

As i nformações são da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink