Alta no preço do adubo chega a 25% em relação a 2006

Agronegócio

Alta no preço do adubo chega a 25% em relação a 2006

Dados da Anda apontam que até julho foram vendidos 1.944 mil toneladas de fertilizantes no PR, o que significa um aumento de 64%
Por:
206 acessos

A queda no valor do dólar registrada nos últimos meses não teve reflexos no mercado de adubos. Os produtores brasileiros sentiram no bolso reajustes em torno de 25% em relação à safra de 2006. "Houve um aumento na demanda; os produtores voltaram a fazer investimentos que tinham abandonado por causa da crise enfrentada pela agricultura", avalia o agrônomo Ricardo França Cardoso, supervisor regional de uma empresa que comercializa fertilizantes.

Dados da Associação Nacional de Difusão de Adubos (Anda) apontam que de janeiro a julho deste ano foram comercializadas 1.944 mil toneladas de fertilizantes no Paraná, o que significa um aumento de 64% em relação ao mesmo período do ano passado e 67,5% ao se comparar à safra de 2005, quando foram vendidas 1,160 mil toneladas. No Brasil o volume de vendas alcançou 11.596 mil toneladas, 55% a mais que a safra de 2006.

Segundo Ricardo Cardoso outros fatores foram decisivos na alteração dos preços. Ele cita a alta nos preços da soja, milho, café e outras commodities, além da estabilidade da cana-de-açúcar. A dependência da importação de matéria-prima para a indústria de fertilizantes também exerce influência importante. "O Brasil importa 90% do cloreto de potássio. Como houve problemas na Rússia, um dos principais fornecedores, tivemos alta nos preços", relata. De acordo com o agrônomo, na safrinha também houve redução na oferta de sulfato de amônio e cloreto de potássio.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink