Amaggi: Companhia inicia processo de transição no próximo ano

Agronegócio

Amaggi: Companhia inicia processo de transição no próximo ano

Transição tranquila e transparente
Por:
619 acessos

Para comemorar seus 40 anos de fundação, a gigante do agronegócio, a mato-grossense Amaggi, passará por mudanças em sua diretoria executiva no próximo ano, a partir de janeiro. Entre as mudanças estão a sucessão na presidência da multinacional com a saída de Waldemir Ival Loto. O cargo será ocupado pelo atual diretor geral da Amaggi Commodities, Judiney Carvalho, enquanto o atual presidente tomará posse no Conselho de Administração.

Natural de Poxoréo (MT), Judiney é advogado e está na empresa há 29 anos. As mudanças foram anunciadas no último dia 9 pelo presidente do Conselho de Administração, Pedro Jacyr Bongiolo, por meio de carta e comunicados oficiais a colaboradores, clientes, parceiros e instituições com as quais a Amaggi se relaciona.

Conforme o planejamento do processo de sucessão, o ano de 2017 será de transição na diretoria executiva: em janeiro, Judiney Carvalho assumirá o cargo de vice-presidente da empresa, posição que ampliará a abrangência de sua gestão.

Já o cargo de diretor geral da Amaggi Commodities passará a ser ocupado pelo seu atual diretor de vendas, Gunnar Nebelung, em substituição a Judiney Carvalho.

A partir de janeiro de 2018, Waldemir – que já acumula 27 anos de experiência na Companhia, sendo os últimos cinco na presidência - assumirá uma cadeira no Conselho de Administração da Amaggi, sendo substituído definitivamente na presidência por Judiney Carvalho.

De acordo com o presidente do Conselho, Pedro Jacyr Bongiolo, estas mudanças têm como premissa o reconhecimento das experiências e dos resultados obtidos pelos profissionais da Companhia. Deste modo, o remanejamento também expressa, segundo ele, a confiança do Conselho na alta direção e em todos os mais de cinco mil colaboradores.

“Além disso, fazemos questão de iniciar uma transição tranquila e transparente, para que continuemos crescendo de forma sustentável, com respeito às comunidades onde atuamos, ao meio ambiente e a todos os nossos stakeholders (público estratégico/de interesse)”, declarou o presidente do Conselho.

 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink