Amostragem de sementes: aumento no potencial produtivo das plantas
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,156 (0,78%)
| Dólar (compra) R$ 5,59 (-0,36%)


Agronegócio

Amostragem de sementes: aumento no potencial produtivo das plantas

Dr. Renato Mendes Guimarães, aborda as principais características da amostragem de sementes, seus usos e funções
Por:
8314 acessos
“A amostragem é uma tarefa de fácil execução, mas que necessita cuidado e atenção para que todos os detalhes prescritos sejam seguidos com rigor e as probabilidades de acerto aconteçam.” (Dr. Renato Mendes Guimarães).

Em entrevista exclusiva para a ABRATES, Dr. Renato Mendes Guimarães, professor da Universidade Federal de Lavras (UFLA), aborda as principais características da amostragem de sementes, seus usos e funções. Guimarães ministra o curso teórico-prático de amostrador de sementes promovido pela ABRATES.


1. Dr. Renato, quais são os princípios básicos da amostragem de sementes?

R: A amostragem é a primeira ação do processo de análise da qualidade de um lote de sementes. Uma falha nessa etapa desqualifica e descredencia todos os outros procedimentos da análise.

É fácil imaginar a precisão necessária para que em uma grande população, como por exemplo, um lote de sementes de milho de 40 mil quilos, seja representada fielmente por uma amostra de apenas 1kg. Deve-se considerar ainda que os componentes constituintes da população não formam mistura homogênea. Essa pequena amostra precisa ser representativa do lote, isto é, precisa ser o lote em miniatura.

Todos os componentes do lote devem estar na amostra na mesma proporção e distribuição em que estão no lote. Para que isso seja possível é necessário o estabelecimento de procedimentos técnicos baseados em pré-requisitos, como por exemplo: o lote deve ser bem definido e identificado; o lote não pode ser alterado depois de constituído; deve ter tamanho máximo regulamentado; deve ser homogêneo, ou seja, o conteúdo de cada recipiente ou parte do lote deve ser semelhante em seus constituintes e outros.

Com base nesses pressupostos e na forma, tamanho, características da cobertura da semente (palhenta ou não palhenta), bem como no tamanho e demais características das embalagens, é que, por meio de estudos de probabilidades, são definidos os procedimentos para amostragem.A amostragem é, portanto, uma tarefa de fácil execução, mas que necessita extremo cuidado e atenção para que todos os detalhes prescritos sejam seguidos com rigor e as probabilidades de acerto definidas em teoria, efetivamente aconteçam.

2. Quais são as principais responsabilidades do amostrador de sementes junto ao Ministério da Agricultura (MAPA)?

R: A amostragem para fins de identificação das sementes produzidas sob o processo de certificação deve ser efetuada por amostrador de sementes credenciado no RENASEM (Registro Nacional de Sementes e Mudas), ou pelo responsável técnico do certificador ou aindapor Fiscal Federal Agropecuário. A vinculação do amostrador com o Ministério é, portanto o seu registro no RENASEM, que deverá ser requerido junto ao MAPA, que exige documentação específica incluindo comprovante de qualificação técnica, reconhecida pelo Ministério. A partir do registro no RENASEM, o amostrador está apto a executar o serviço de amostragem, observando restrições específicas constantes na lei, e assume as responsabilidades legais quanto à lisura e qualidade técnica do serviço que está prestando.


3. Qual a importância da amostragem de sementes para a cadeia produtiva de grãos?

R: A semente é o insumo fundamental da agricultura. Nela estão contidas todas as características genéticas da planta, incluindo o potencial produtivo, eventuais mecanismos de resistência a pragas e doenças, qualidade do produto e muitas outras. Além disso, o sucesso da cultura depende da qualidade física, fisiológica e sanitária das sementes. É inútil investir em um avançado sistema de cultivo se a qualidade das sementes não for suficiente para a formação de um bom estande de plantas livres de doenças, pragas e ervas daninhas trazidas pelas sementes.

Neste contexto a análise de sementes é de importância definitiva. Conhecer antecipadamente a qualidade das sementes que serão utilizadas em uma cultura é garantia e segurança para todos os outros investimentos tecnológicos. A importância da amostragem está, portanto, na base da cadeia produtiva de grãos, porque o fornecimento de boas sementes depende das amostras fieis e representativas dos lotes.

4. Qual a importância da homogeneidade de um lote de sementes?

R: A homogeneidade do lote de sementes é um requisito limitante para a execução da amostragem. Durante o processo de retirada das amostras simples, ou seja, das amostras retiradas de cada embalagem do lote, o amostrador deve observar se os aspectos visuais de cada uma delas são constantes. Se for observada desuniformidade visível entre as amostras, o amostrador deve parar a amostragem e declarar que o lote não pode ser amostrado porque se apresenta heterogêneo. Esta não é uma tarefa fácil porque muitos atributos de qualidade das sementes não podem ser julgados por análise visual, por exemplo, a capacidade germinativa ou a presença de patógenos.

A análise, no momento da amostragem fica então restrita a cor das sementes, presença de impurezas, presença de outras sementes, aspectos gerais da cobertura protetora e outras diferenças perceptíveis. A heterogeneidade dos atributos não visíveis somente pode ser detectada depois da utilização das sementes e poderá ser comprovada por testes específicos no restante do lote quando houver.


A responsabilidade pela homogeneidade do lote deve ser atribuída ao produtor de sementes e as imperfeições nesse aspecto surgem geralmente por falhas no momento da constituição dos lotes ou eventualmente por misturas indevidas entre lotes.

5. O que são os testes de valor H e valor R?

R: Os testes do valor H e valor R podem ser realizados para verificação se a heterogeneidade de um lote é tecnicamente aceitável. Pelo teste do valor H pode-se verificar se embalagens com atributos de qualidade destoantes estão distribuídas aleatoriamente no lote e pelo teste do valor R pode-se constatar heterogeneidade em regiões definidas do lote. Para a realização destes testes amostras simples são retiradas e analisadas em laboratório para os atributos que se deseja testar. Por isso, são testes demorados e trabalhosos que não são indicados na rotina do processo de amostragem, mas, são muito eficientes para comprovação de heterogeneidade de lotes, principalmente em relação aqueles atributos de qualidade que não podem ser observados pela análise visual.

6. Qual a importância da metodologia na amostragem de sementes?

R: As metodologias para amostragem não são recomendações, são prescrições. Devem ser seguidas com rigor porque foram concebidas com base em diversas características dos lotes, de forma teórica, não permitindo, portanto, modificações, adaptações ou improvisações. Todo o processo de amostragem tem prescrições contidas nas Regras para Análise de Sementes e em instruções específicas emanadas pelo MAPA.Todo amostrador ou empresa certificadora deve se preocupar com a garantia da qualidade da amostragem. Para tanto, todo o processo deve ser escrito em procedimentos operacionais e rigorosamente seguidos no ato da amostragem. Ações com treinamento e educação, auditorias internas e externas como checagem da amostragem devem ser promovidas para evitar queda natural na qualidade da amostragem pelo desgaste próprio das metodologias executadas em rotinas.

7. A quem se destina o curso teórico-prático de amostrador de sementes promovido pela ABRATES?

R: O curso se destina a qualquer profissional que queira se habilitar ou reciclar como amostrador. Não é restrito nem recomendado somente para aqueles que querem se registrar no RENASEM, embora nesse caso, o curso seja condição limitante. Todas as pessoas que executam ou coordenam operações de amostragem podem se beneficiar com o treinamento que abrange aspectos teóricos e práticos com formato adaptado e conteúdo interessante para os diferentes níveis de conhecimento e envolvimento com a matéria.

8. Quais são as projeções sobre o mercado de trabalho para o amostrador de sementes?

R: O mercado deve se expandir fortemente ao longo dos próximos anos. Na medida em que os sistemas e empresas certificadoras de sementes forem se estabelecendo a demanda por esse profissional deverá crescer na mesma proporção. É possível inferir que haverá demanda por amostradores credenciados autônomos e contratações por empresas produtoras de sementes ou certificadoras de sementes.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink