Animais e fungos melhoram desempenho das florestas
CI
Imagem: Eliza Maliszewski
ESTUDO

Animais e fungos melhoram desempenho das florestas

"Nossas análises mostram que a diversidade de espécies animais e fúngicas afeta muitos processos importantes"
Por: -Leonardo Gottems

Um novo estudo mostra que, além da diversidade de espécies arbóreas, a variedade de espécies de animais e fungos também tem influência decisiva no desempenho das florestas. O estudo foi realizado pelo Centro Alemão de Pesquisa Integrativa em Biodiversidade (iDiv) Halle-Jena-Leipzig. 

“Existe uma preocupação global de que a perda de biodiversidade causada pelo homem esteja afetando o funcionamento das paisagens culturais e naturais. Nas florestas, as árvores são os organismos mais conspícuos e proeminentes. Portanto, as consequências da redução da diversidade de espécies de árvores são comparativamente fáceis de entender. No entanto, é muito mais difícil levar em conta a diversidade de milhares de espécies de animais e microorganismos.que realizam tarefas importantes nas florestas como herbívoros, controladores de pragas ou especialistas em reciclagem. Portanto, os efeitos da perda da diversidade desta espécie têm sido difíceis de quantificar”, indica a entidade.  

Após anos de dedicação, uma equipe de pesquisadores alemães, chineses, suíços e americanos conseguiu fazê-lo pela primeira vez nas florestas semi-naturais particularmente ricas em espécies nos subtropicais da China. “O grupo de pesquisa estudou a enorme diversidade de espécies de besouros, aranhas, formigas, cochonilhas e fungos, e investigou uma variedade de processos que são essenciais para o funcionamento das florestas. Esses processos incluem crescimento de madeira, prevenção da erosão do solo, reciclagem de nutrientes ou controle biológico de pragas potenciais”, informa. 

"Nossas análises mostram que a diversidade de espécies animais e fúngicas afeta muitos processos importantes, como a disponibilidade de nutrientes para o crescimento das árvores", disse o Dr. Andreas Schuldt, primeiro autor do estudo. “Para entender por que e como a perda de biodiversidade afeta essas florestas, não é suficiente focar apenas nas árvores e na diversidade de suas espécies”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink