Anvisa vai rever proibição de paraquate
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,770 (-0,58%)
| Dólar (compra) R$ 5,27 (0,67%)

Imagem: Divulgação

DEFENSIVOS

Anvisa vai rever proibição de paraquate

Há um mês do banimento do defensivo no Brasil, órgão está revendo o decreto
Por: -Eliza Maliszewski
2530 acessos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está reavaliando a proibição do paraquate no Brasil e pode reverter a decisão nos próximos dias. O defensivo seria proibido a partir de 22 de setembro. Todas as propriedades rurais e comércios que utilizassem ou vendessem defensivos agrícolas a base do ingrediente, teriam os produtos apreendidos, seriam autuados e poderiam sofrer outras sanções.  

A proibição foi determinada pelo órgão em 2017 após uma reavaliação reavaliação toxicológica do produto em 2008 que determinou a alta toxicidade e riscos à saúde como mutações genéticas e doença de Parkinson nos trabalhadores que o aplicam.

O paraquate é proibido na União Européia desde julho de 2007. Na Suécia, é proibido desde 1983. No total mais de cinquenta países já baniram. Recentemente, China, Vietnã e Tailândia também anunciaram a proibição. No Brasil o defensivo ocupa o oitavo lugar no ranking dos agrotóxicos mais vendidos no Brasil. É usado principalmente, para dessecação da soja antes da colheita. Veja mais detalhes no AgrolinkFito.

Parlamentares e o Ministério Público do Mato Grosso do Sul já entraram com ações e se mobilizam para evitar que substância continue a ser usada na produção agrícola, que resulta em recusa de mercados internacionais e que o decreto passe a valer de fato em 22 de setembro. Não são conhecidos os motivos que levaram a Anvisa a colocar a revisão em pauta e agência não quis se pronunciar.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink