AP prepara sistema de vigilância para diminuir desmatamento na Amazônia
CI
Agronegócio

AP prepara sistema de vigilância para diminuir desmatamento na Amazônia

Estado estuda proposta para ter centro de geoprocessamento de imagens e implementação de programa para prevenção de desmatamento e queimadas
Por:
Estado estuda proposta para ter centro de geoprocessamento de imagens e implementação de programa para prevenção de desmatamento e queimadas

Com o objetivo de reduzir o desmatamento na região amazônica, o Governo do Amapá estuda a implantação de um centro de geoprocessamento, cujas atividades serão o monitoramento da cobertura vegetal do Estado, utilizando tecnologias mais eficientes, como imagens de satélite. Também está prevista a implementação do Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento e Queimadas do Estado do Amapá (PPCDAP).


Os recursos serão oriundos de recursos de emendas parlamentares e do Fundo Amazônia, que será financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES).

Durante o ano de 2011, foram realizadas ações de fiscalização pela Polícia Federal e IBAMA, bem como, ações do Batalhão Ambiental, conjuntamente com o Imap (Instituto Estadual de Ordenamento Territorial de Meio Ambiente do Amapá). As ações foram realizadas nos municípios para combater o comércio ilegal de madeira.


“O Amapá aumentou sua capacidade de licenciamento ambiental, o que coibiu o número de atividades ilegais e informais. Isso também contribuiu para diminuir o desmatamento no Estado”, disse Mauricio Oliveira de Souza, diretor-presidente do Imap.

No Amapá, 72% das áreas de floresta são formadas por áreas protegidas - sendo 19 Unidades de Conservação (62%) e cinco unidades de Terras Indígenas (10%).

O Governo do Estado do Amapá, por meio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA), apresentou neste ano um relatório segundo o qual as áreas desmatadas no Amapá correspondem a aproximadamente 240.679,32 hectares, levando-se em consideração desmatamentos ocorridos até 2010.


Somadas à área destinada à silvicultura, que corresponde 156.751 hectares, tem-se um total de áreas alteradas no Estado de aproximadamente 397.430,32 hectares, o que representa 2,78% do Amapá.

O mesmo relatório aponta para uma redução da taxa de incremento do desmatamento em 2010, e indica para uma tendência de redução em 2011, o que está em consonância com os números do governo federal.

De acordo com números divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o desmatamento na Amazônia entre agosto de 2010 e julho de 2011 foi o menor registrado desde 1988, ano em que o governo federal começou a monitorar a situação.

No período, o desmate atingiu 6.238 quilômetros quadrados, ante 7 mil nos 12 meses imediatamente anteriores, o que corresponde a uma queda de 11%.

Houve diminuição do desmatamento em todos os estados da região amazônica, exceto em Mato Grosso (20% de aumento) e Rondônia, onde a área destruída dobrou.

O Pará teve a maior área desmatada (2.870 quilômetros quadrados), seguido de Mato Grosso (1126), Rondônia (869), Amazonas (526), Maranhão (365), Acre (271), Roraima (120), Amapá (51) e Tocantins (40).

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.