Apex anuncia Plano Estratégico de Promoção Comercial


Agronegócio

Apex anuncia Plano Estratégico de Promoção Comercial

Por: -Admin
3 acessos

Os dados da balança comercial brasileira refletem o quanto ainda o Brasil precisa trabalhar na diversificação da pauta de exportação de produtos e no ingresso de novas empresas exportadoras no mercado internacional. Das cinco milhões de empresas registradas, 19 mil exportam e 100 produtos correspondem a 80% da receita de exportação do país (agribusiness, avião, aço etc ). "Temos um espaço enorme para crescer", afirma Juan Quirós, presidente da APEX - Brasil. "Não é o fato de ter produto, preço e qualidade, mas saber para quem vender, canalizar a energia", explica. O primeiro passo foi dado: o lançamento do Plano Estratégico de Promoção Comercial, cujas diretrizes serão traçadas em sintonia com o Ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan e o presidente da APEX, Juan Quirós.

Estudo

O mapeamento por estados está pronto. Agora o trabalho é de identificar produtos exportados e os principais mercados compradores. Com a identificação dos produtos adquiridos no mercado internacional, pode-se, por exemplo, saber se um país já é comprador de qualquer estado brasileiro, qual produto e, principalmente, apontar os caminhos para a exportação de outros produtos que, por ventura, o país importa e o Brasil poderia fornecer. O mapeamento vai definir as atividades produtivas e, mais importante, os potenciais clientes. O primeiro estudo por estado, o de Goiás, vizinho do Distrito Federal, está concluído. O diagnóstico apresenta dados que podem ser úteis para os empresários e para o governo que implanta, pela primeira vez, estratégias agressivas de Inteligência Comercial. Sabe-se, pelo levantamento, que o estado de Goiás é o 13 º estado exportador do país e tem cerca de 73 por cento das exportações voltadas para produtos de ponta, básicos; além de 23 % de semi manufaturados e 4% de manufaturados.

Produtos:

441 produtos foram identificados nesse primeiro estudo, sendo que 228 produtos foram exportados pela primeira vez em 2002 (casos, como, calçados, medicamentos, têxtil e couro). A União Européia corresponde por 53 % do total das exportações do estado de Goiás, sendo que a Alemanha é o país que mais compra dos goianos. Diante desses dados, o presidente da APEX-Brasil traça suas estratégias em parceria com os membros do conselho da Agência de Promoção de Exportações e a sua equipe Técnica.

Juan Quirós lembra que o Estado é avisado dos cruzamentos, das informações. Ele terá acesso a dados como: quem está comprando lá fora e o que poderia estar comprando no referido Estado e não o faz e por que. Em um país, como o Brasil, cuja extensão territorial é de cerca de 8 mil quilômetros de costa, não se pode também restringir o acesso à informação. Esta é uma das estratégias para contratar empresas de prospecção de mercados, além de definir metas e mecanismos de resultados que poderão aferir quantas novas empresas estão exportando e quantos novos empregos gerados no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Através do diagnóstico se leva em conta a vocação regional de cada Estado, afirma Quirós. "O resultado é ampliar a base exportadora, pois não há como exportar e apostar em um só produto", explica.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink