Apicultores gaúchos fazem campanha para incentivar consumo de mel
CI
Agronegócio

Apicultores gaúchos fazem campanha para incentivar consumo de mel

Eles querem é sensibilizar a população e incentivar o consumo do produto o ano todo, como alimento para todas as idades
Por:
Apicultores de São Borja, na Fronteira Oeste, querem que o mel não seja visto apenas como remédio para ser consumido durante os meses frios do ano. Eles querem é sensibilizar a população e incentivar o consumo do produto o ano todo, como alimento para todas as idades. O esforço dos produtores do município para melhorar o perfil do consumidor faz parte do desenvolvimento da campanha nacional Meu Dia Pede Mel, da Confederação Brasileira de Apicultura (CBA), que incentiva o consumo do produto no país. No município, a campanha foi divulgada no sábado (21/07), durante a 7ª Festa do Mel, organizada pela Associação de Apicultores de São Borja (AASB) e prefeitura, com o apoio da Emater/RS-Ascar.

“A proposta é fazer com que o mel seja mais consumido como alimento e não apenas como medicamento natural. A venda e o preço do produto, neste sábado, serão feitos diretamente com os produtores, para incentivar o seu uso”, diz o presidente da AASB, Ori Osvaldo Andreola.

O local da Festa fica no centro da cidade, na Praça 15 de Novembro, e contará com dez apicultores que esperam, durante todo o dia, comercializar cerca de 2 mil quilos de mel, além de vários doces à base do produto. Na oportunidade também foi feita a divulgação do valor nutritivo e do uso do mel na alimentação diária.

A AASB, fundada em 1997, possui atualmente 40 associados, o que representa um universo de cerca de 4 mil colmeias. “A produtividade média é de 25 quilos ao ano por colmeia, totalizando uma produção anual de, aproximadamente, 90 toneladas”, diz o técnico do escritório local da Emater/RS-Ascar, Odacir Decol. Para Andreola, a alta produtividade do mel de São Borja está abrindo oportunidades de comercialização.

“Já estamos exportando a maior parte do mel. A atividade está crescendo e, pela oferta das condições de clima e solo, tem campo para muito mais”, diz o dirigente da AASB.

Concurso

Na Festa do Mel houve também o Concurso do Melhor Mel (claro e escuro) e do Melhor Estande, além de apresentações artísticas.

“O mel escuro e o mel claro são as variações de cores que ocorrem em função do tipo de florada que as abelhas utilizam para a fabricação do mel, gerando essas diferenças de tonalidades”, explica Decol.

Através de análise sensorial, os jurados atribuirão notas para cor, aroma e sabor. Entre os avaliadores estarão representantes do Instituto Federal de Educação e Tecnologia Farroupilha (IFF) e do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (Inta), da Argentina.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink