Aprosoja e Sesp formalizam parceria contra insegurança no campo

Agronegócio

Aprosoja e Sesp formalizam parceria contra insegurança no campo

Ação visa combater roubos e furtos, além de reprimir quadrilhas
Por:
846 acessos

Entre 2012 e março deste ano, a Polícia Judiciária Civil registrou 189 roubos ou furtos em propriedades rurais de Mato Grosso. O número pode ser superior, uma vez que muitos produtores não chegam a registrar o boletim de ocorrência. A realidade, no entanto, começa a mudar a partir desta quinta-feira (8).  A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) e a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) formalizaram na manhã desta quinta uma parceria de ação conjunta durante a assembleia geral dos associados. O objetivo é unir forças para não apenas combater, mas também punir quem pratica roubos, furtos e receptação de produtos ilícitos na área rural, especialmente de defensivos agrícolas. 

"A parceria objetiva diminuir os delitos, bem como levar sensação de segurança ao meio rural, para que o produtor tenha mais condições de tranquilidade e serenidade para produzir e contribuir com nosso país e nosso estado. Claro, nós precisamos adotar medidas sérias e, com nossa parceria com a Aprosoja, teremos condições sim de melhorar, e muito, a segurança pública”, destacou o secretário de Estado de Segurança Pública, Rogers Jarbas.

Para essas melhorias, o secretário deu destaque a algumas ferramentas que podem ser implantadas com a parceria, como o monitoramento em corredores de acesso às propriedades rurais, a criação de um selo de segurança e métodos de rastreabilidade de defensivos agrícolas, a participação dos representantes dos produtores rurais nos conselhos de segurança municipais, dentre outras.

Para o presidente da Aprosoja, Endrigo Dalcin, a parceria será fundamental para os dois lados, uma vez que a entidade está presente em 23 municípios, por meio de seus núcleos, nas quatro regiões do estado.

“Nós temos uma capilaridade excelente com os nossos delegados, que são os representantes da entidade no interior. O fato dos núcleos estarem espalhados por todas as regiões significa mais um braço da polícia, mais olhos atentos nas regiões. Já nas próximas semanas vamos começar a fazer campanha publicitária com foco na parceria, queremos investir em informação e treinamento das equipes. É uma força tarefa para inibir um crime que afeta fortemente nosso agricultor em Mato Grosso”.

Dalcin também lembra que participam destas ações a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), a Associação dos Produtores de Algodão  (Ampa) e  os representantes da indústria e das revendas de defensivos agrícolas. “É muito importante que todos os entes da cadeia de produção se envolvam nisso. Todos são afetados em algum ponto. A gente vê várias revendas que foram assaltadas, e estão dentro da cidade, por exemplo. Exatamente por isso, volto a falar que faremos uma força tarefa”, destaca.  

Boletim de Ocorrência – O secretário de Estado de Segurança Pública, Rogers Jarbas, reforçou a necessidade dos produtores rurais lavrarem boletim de ocorrência em caso de roubo ou furto de defensivos agrícolas. De acordo com ele, o boletim é o documento de registro das ocorrências dentro do sistema de segurança, e também serve como um meio de monitoramento e controle melhor e mais rápido.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink