APTA realizará encontro com empresários da cadeia produtiva de proteína animal para incentivar parcerias

Agronegócio

APTA realizará encontro com empresários da cadeia produtiva de proteína animal para incentivar parcerias

Workshop visa apresentar linhas de pesquisa inovadoras em produção animal, sanidade e processamento
Por:
587 acessos

Workshop visa apresentar linhas de pesquisa inovadoras em produção animal, sanidade e processamento

Os institutos de pesquisa ligados à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, vivem momento promissor para a realização de parcerias com o setor privado. Com o incentivo a inovação tecnológica por nova legislação federal e estadual, os seis institutos públicos de pesquisa agropecuária da APTA esperam aumentar a participação privada em seus trabalhos. Para explicar esse novo momento e apresentar os serviços e linhas de pesquisa inovadoras para cadeia produtiva de proteína animal, a APTA realizará o workshop “Oportunidades de Novos Negócios para a Cadeia de Proteína Animal no Estado de São Paulo”, em 19 de outubro de 2016, a partir das 8h30, em São Paulo, Capital. As inscrições para o evento podem ser feitas no link. (https://www.eventick.com.br/cadeia-de-proteina-animal)

O objetivo do workshop é reunir empresas ligadas à cadeia de proteína animal para apresentar as linhas inovadoras de pesquisa da APTA em produção animal, sanidade e processamento. As diretorias dos institutos ligados à APTA –  Instituto de Zootecnia (IZ), Instituto Biológico (IB), Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), Instituto de Pesca (IP), Instituto Agronômico (IAC) e Instituto de Economia Agrícola (IEA) – farão uma apresentação das linhas de pesquisa e de serviços. Também será realizada uma apresentação sobre o Novo Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) e resoluções estaduais que permitem melhor interação entre as instituições públicas e privadas, além do trabalho realizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa Agrícola (Fundag) e Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa do Agronegócio (Fundepag).

Após as palestras, o público participará de uma rodada tecnológica para interação com os pesquisadores em seis áreas: sanidade animal; processamento de carne e lácteos; genética, sistema de produção, forrageiras e nutrição animal; aquicultura e pesca; tratamento de resíduos; e economia, preços e mercados. “O evento busca uma melhor interação entre o setor produtivo e os institutos públicos de ciência e tecnologia da área agropecuária, ligados à APTA. A inovação tecnológica só é possível quando o setor produtivo adota as tecnologias. Queremos aproximar a setor público e privado para dar um novo salto na agropecuária”, afirma Orlando Melo de Castro, coordenador da APTA.

Segundo o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, os institutos da APTA são referência brasileira em pesquisas na área de proteína animal e já interagem com o setor produtivo em seus projetos. “Com a nova legislação vigente é possível ampliar os trabalhos para aumentar a produção, melhorar a renda e disponibilizar novos produtos aos consumidores, tudo isso, aliado a preservação ambiental, uma recomendação do governador Geraldo Alckmin. Temos tecnologias para toda a cadeia produtiva e esperamos que o setor privado se junte a nossos institutos para alcançar esses ganhos”, diz.
Palestras

Durante o workshop, o Instituto de Zootecnia apresentará seus trabalhos e serviços em bovinos de corte, leite, suínos, aves, búfalos e Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF). O Instituto de Pesca mostrará seus projetos de pesquisa em pesca e aquicultura, nutrição e alimentação de organismos aquáticos, patologia, genética e reprodução, processamento, conservação, qualidade e valor agregado, além de destaques tecnológicos recentes e cases de projetos desenvolvidos em conjunto com a iniciativa privada.

O Instituto Biológico apresentará seus trabalhos em sanidade animal, alimentos seguros, prestação de serviços e transferência de tecnologia e conhecimento. O Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL) falará sobre o processamento de produtos cárneos e lácteos, prestação de serviço, assessoria e informações e capacitação do setor produtivo.

O Instituto Agronômico mostrará seus projetos de melhoramento genético vegetal para espécies destinadas à alimentação animal, como cana forrageira, grãos e fibras e ILPF, além da prestação de serviços por seus laboratórios. O Instituto de Economia Agrícola apresentará a importância de suas análises estatísticas, a avaliação de projetos e suas tecnologias e soluções para o setor.  

Novo momento para parcerias
Segundo Castro, o novo Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação, a Lei de estadual de Inovação, a assinatura da Resolução nº 12, pela SAA, e o estabelecimento de normas para o funcionamento dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NIT), no âmbito da APTA, são fundamentais para promover a inovação tecnológica.

As novas legislações tornam mais dinâmicos a pesquisa, o desenvolvimento científico e tecnológico e a inovação no País, além de diminuir a burocracia nos investimentos na área. A regulamentação dos NITs e a assinatura da Resolução nº 12 definem os critérios do direito da participação do pesquisador na inovação desenvolvida. “A regulamentação dos NITs representa um marco para a atualização das instituições ligadas à APTA, no que se refere ao relacionamento com instituições privadas para ações de pesquisa e inovação, conforme previsto na legislação estadual e federal”, afirma Castro. De acordo com o coordenador da APTA, a regulamentação permite a parceria em projetos conjuntos com a utilização em comum de espaços de pesquisa e laboratórios e a partição com exclusividade do direto de uso de patente e propriedade intelectual.

Entre 2014 e 2015, a iniciativa privada investiu cerca de R$ 109 milhões na Agência, o que representa, aproximadamente, 17% do orçamento no período. “Com a nova resolução, a participação privada tende a aumentar, assim como os investimentos de agências de fomento estaduais e federais e organismos internacionais. Nossa meta, é que o recurso privado represente 25% do orçamento da APTA até 2018”, explica o coordenador da APTA. 

Para o Jardim, o estabelecimento desses critérios é um salto no fomento ao agronegócio, pois normatiza os instrumentos jurídicos que facilitam as relações entre os institutos e a sociedade, assim como é praticado nos países que mais inovam no mundo, como Estados Unidos, Coréia do Norte e Japão. “A inovação tecnológica é fundamental para o desenvolvimento e independência econômica de um País. A interação entre as instituições de pesquisa e a iniciativa privada precisa de normas claras e fáceis para que os novos produtos e processos sejam adotados pelo setor produtivo”, afirma.

Serviço

Workshop: Oportunidade de Novos Negócios para a Cadeia de Proteína Animal no Estado de São Paulo
Data: 19 de outubro de 2016
Horário: 8h30
Local: Auditório da ABIMAQ
Endereço: Av. Jabaquara, 2925, 1º andar, Mirandópolis, São Paulo – SP
Inscrições: https://www.eventick.com.br/cadeia-de-proteina-animal
Contato: 19 3739-8035 e marketing@fundag.br
Programação:
8h30 – 9h: Café de boas vindas e entrega de material
9h: Abertura
9h30 – 11h15: Apresentação das linhas de pesquisa e serviços pelos institutos da APTA/SAA
11h15 – 11h45: Nova legislação CT&I para relação pública x privada
11h45 – 13h: Brunch
13h – 14h30: Rodada de negócios sobre áreas de interesse comum entre empresas e institutos

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink