Araguaia é a nova raça de bovinos criada para modenizar a pecuária
CI
Agronegócio

Araguaia é a nova raça de bovinos criada para modenizar a pecuária

Lançada oficialmente no fim de 2012 tem se destacado pela produtividade e lucratividade
Por:
Lançada oficialmente no fim de 2012 tem se destacado pela produtividade e lucratividade
 
Lançada oficialmente no fim do ano passado, a raça bovina Araguaia está conquistando espaço em Mato Grosso. O engenheiro agrônomo e pecuarista, Raul Almeida Moraes Neto investe nesta seleção faz 13 anos e os resultados já estão no mercado. “Já estamos comercializando sêmen, embriões sexados e prenhezes. Temos um rebanho de dois mil animais em Torixoréu, a 577 quilômetros de Cuiabá”.

A genética da Araguaia engloba as raças Blond D’Aquitane, Nelore e Caracu. “O resultado desta mistura é uma carne mais macia, saborosa e com pouca gordura”. A composição sanguínea dos animais Araguaia é de 62,5% (5/8) de raças tropicais adaptadas. Raul conta que a seleção é demorada e inclui o trabalho de vários profissionais como médicos veterinários, engenheiros agrônomos e vários outros.

A raça Araguaia se diferencia das demais por se adaptar ao ambiente quente e seco dos trópicos. Raul conta que a raça teve um desempenho superior na precocidade reprodutiva e de abate. “É um animal que apresenta grande índice de fertilidade de machos e fêmeas”.

As fêmeas apresentam habilidade materna e são bastante dóceis. Raul destaca ainda a rusticidade e resistência dos animais. “A precocidade produtiva e reprodutiva é muito importante economicamente para o criador. O resultando é uma relação excepcional entre custo e benefício”.

Segundo Raul, os pesquisadores conseguiram tirar o que há de melhor de cada raça envolvida nos cruzamentos. Outra característica marcante do Araguaia é a alta taxa de conversão alimentar. “Facilidade de parto, precocidade sexual e elevada taxa de fertilidade também fazem parte da lista de vantagens”.

Vantagens

-Animais com período de recria reduzido, o que aumenta a eficiência produtiva da propriedade, ou seja, produção de mais quilos de carne por hectare.

- Elevada relação custo/benefício: alta taxa de conversão alimentar e aproveitamento alimentar de pastagens secas, proporcionando ganhos de peso em pasto ou em confinamento e resultando maior rentabilidade.

- Animais rústicos e adaptados às condições dos cerrados de solos pobres e arenosos, clima seco e quente e períodos de secas prolongadas.

- Conformação de carcaça volumosa e moderna e carne de qualidade, com mais maciez, marmoreio e sabor.

Composição

A composição da Raça Araguaia é uma linhagem genética que deriva das raças:

Blond D’ Aquitane (Bos taurus)

- raça continental, selecionada e adaptada às grandes amplitudes térmicas dos montes Pirineus (-10ºC até 40ºC), solos pedregosos e alimentação pobre. Esses fatores conferem aos animais rusticidade e grande adaptação ambiental.
- Tem como características marcantes a alta taxa de conversão alimentar, elevada taxa de fertilidade, precocidade sexual, facilidade no parto, habilidade materna e temperamento dócil.
- Possuem pelos curtos e claros, o que facilita a reflexão da luz solar e a baixa infestação de ectoparasitas.
- Possuem carcaça de terminação precoce, alto rendimento de carne limpa e cortes nobres.
- Devido à sua conformação de carcaça apresenta um dos melhores resultados em cruzamentos com a raça Nelore.

Nelore (Bos indicus).

– Raça zebuína, produtora de carne, excelente capacidade de aproveitar alimentos grosseiros, boa conversão alimentar, principalmente em dietas de menor nível de energia.
- Animais extremamente rústicos e com baixo custo de manutenção.
- Possuem pelos claros e curtos, pele escura, fina e resistente, com grande número de glândulas sudoríparas, que os tornam os mais resistentes e adaptáveis ao calor dentre as raças bovinas.
- Quando associado ao cruzamento, o Nelore se torna uma ferramenta importante na melhoria da qualidade e no aumento da produtividade.

Caracu (Bos taurus).
- Raça europeia com mais de quatro séculos de seleção no Brasil, o a torna a mais adaptada às condições tropicais;
- Animais rústicos, de baixa exigência alimentar e maior resistência aos parasitas;
- Grande longevidade dos reprodutores;
- As fêmeas apresentam grandes índices de fertilidade, boa estrutura corporal, facilidade no parto, boa produção de leite e excelente habilidade materna. Os machos se destacam pelos bons resultados em cruzamentos a campo nas regiões tropicais, sendo largamente utilizados na formação de animais compostos adaptados;
- O Caracu se filia ao mesmo tronco genético do Blond D’Aquitane, mas separados há mais de 400 anos. Os animais Blond D’ Aquitane foram selecionados pelo homem. Já os da raça Caracu foram selecionados pela natureza.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.