Área da Agrishow terá novos eventos, diz gerente da feira

Agronegócio

Área da Agrishow terá novos eventos, diz gerente da feira

Cessão do local por 30 anos, pelo governo estadual, permite mais investimentos e também eventos
Por:
2860 acessos
Cessão do local por 30 anos, pelo governo estadual, permite mais investimentos e também eventos

O acesso viário à área da Agrishow, as duas novas entradas e a aproximação de estandes de produtos similares são exemplos da gestão do paulistano José Danghesi Júnior, gerente-geral da Agrishow desde a feira de 2008. Ele é executivo da Reed Alcantara, empresa realizadora do evento, que termina nesta sexta-feira (6) em Ribeirão Preto.


Formado em Administração de Empresas, ex-diretor de empresa de bens de capital e desde 1998 funcionário da então Alcântara Machado, depois adquirida pela Reed, o filho de italianos Danghesi, de 56 anos incompletos, revela, na entrevista a seguir, as novidades da feira e os próximos planos de sua gestão.

Que mudanças haverá com a confirmação da Agrishow em Ribeirão Preto por mais 30 anos?


O projeto de lei com a cessão da área da Secretaria estadual da Agricultura por 30 anos, 25 além da autorização anterior, de cinco anos, permite maior estabilidade de investimentos. A construção de áreas de exposição em alvenaria, como fez neste ano a John Deere, podem se repetir. Além disso, o uso da área por três décadas permitirá outras atividades.


Significa que haverá mais feiras?
Não digo feiras semelhantes a Agrishow, até porque o expositor e o visitante se programam para esta época do ano, que coincide com o fim da safra de grãos e o início da próxima. Mas o expositor com estrutura em alvenaria poderá, por exemplo, realizar reuniões com concessionárias para disseminar treinamentos. Além disso, poderão ser realizados outros eventos de setores da cadeia do agronegócio.

A Reed fez parceria com a Multiplus, que realiza a Fenasucro, a maior do país focada no setor sucroenergético e é feita em Sertãozinho. Existe a possibilidade de esse evento vir para a área da Agrishow?
Acredito que não. A associação com a Multiplus permite à Reed ampliar a realização de eventos de agronegócio e, no caso da feira de Sertãozinho, deverei ajudar no gerenciamento já a partir da versão deste ano - que será realizada entre 30 de agosto a 2 de setembro.


O senhor é administrador de empresas, dirigiu indústria da família e sempre viveu na capital paulista [nasceu e mora até hoje no bairro Belenzinho. Como foi parar no gerenciamento da Agrishow?


Ajudei a dirigir a Agrishow de 1996, 97 e de 98, porque integrava comitê de marketing da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), uma das idealizadoras do evento. Fui convidado porque entre 1987 a 97 rodei 42 países para divulgar as feiras técnicas do Brasil. Isso meu deu experiência.

O senhor idealizou o plano diretor da Agrishow, que resultou em obras realizadas pelos organizadores, governo estadual e prefeitura. E participa de reuniões para reduzir o chamado 'custo Agrishow'. Nunca foi dirigente ou político?

Não. Sou executivo, uma espécie de armeiro do rei, aquele que faz as peças funcionarem com a qualidade exigida pelo empresário [no caso, a Reed Exhibitions].

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink