Área de refugio será obrigatória nas lavouras que usam tecnologia BT, diz Mapa
CI
Agronegócio

Área de refugio será obrigatória nas lavouras que usam tecnologia BT, diz Mapa

Portaria será regulamentada para vigorar em 2015
Por: -Lucas Rivas

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller, garantiu que a implantação de áreas de refúgio nas culturas do algodão, soja e milho vai passar a valer na próxima safra, visto que a colheita destas culturas acontecem só em 2015. A garantia foi dada em reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Algodão e Derivados realizada nesta quinta-feira (05.06).

De acordo com o ministro, os técnicos do Ministério da Agricultura participam de uma discussão técnica para delimitar o percentual das áreas de refúgio nas propriedades. "O refúgio é importante para manter a sustentabilidade", frisou Geller. 

O objetivo da técnica do refúgio é garantir à suscetibilidade dos insetos às toxinas do plantio transgênico. No entanto, se a área não for delimitada corretamente, o uso da tecnologia BT corre o risco de se tornar ineficiente, uma vez que pragas mais resistentes podem se desenvolver. 

Esses espaços ainda não são regulamentados no Brasil e necessitam de parâmetros federais, inclusive para fiscalização. A intenção é que sejam adotadas regras semelhantes às utilizadas nos Estados Unidos e na Austrália, mas com padrões adaptados à realidade brasileira.

Tecnologia BT na safra nacional

Conforme último levantamento da consultoria Céleres, a soja geneticamente modificada ocupou 91,8% da área plantada com a oleaginosa na temporada 2013/14 no Brasil. O milho é a segunda cultura com maior adoção da tecnologia no Brasil, com 12,5 milhões de hectares, alta de 0,2% ante a safra passada. O algodão transgênico ocupou 710 mil hectares, ou 65% da área plantada com a pluma.
 

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink