Grãos

Armazenagem de grãos: 8 dicas para armazenar soja e milho no longo prazo

Confira dicas essenciais para preparar os silos de grãos, armazenar grãos de qualidade e ter cuidado com o teor certo de umidade e aeração
Por:
891 acessos

Realizar a armazenagem de grãos de forma correta é importante para o produtor. Para comercializar seus grãos com a maior eficácia possível, pode ser necessário armazená-los até o próximo ano. Para tal, você precisará guardar adequadamente. Se não fizer isso e eles ficarem sem [boas] condições, você poderá precisar vender milho antes de estar pronto, adverte Gary Woodruff, da GSI.

1- Prepare os silos de grãos

O primeiro passo para ter grãos de qualidade é garantir que suas instalações de armazenagem de grãos estejam preparadas para o grão que chega. Limpe os silos e se livre de quaisquer resíduos que possam ter insetos. Além disso, verifique as áreas sob o piso. “Elas podem ser um ponto muito bom para insetos passarem de uma estação para outra”, avisa Ken Hellevang, engenheiro de Extensão da North Dakota State University. “Se você teve uma infestação de insetos no final do ano passado, fumigue ou limpe minuciosamente o silo.”

Nos Estados Unidos, pode ser tarde demais para dar este passo na atual temporada de armazenagem de grãos, mas os produtores devem se lembrar disso nos próximos anos.

2 – Armazenagem de grãos com qualidade

A condição do milho durante a colheita determinará se ele ficará bem armazenado. “Se você estiver pensando em armazenamento de longo prazo, é melhor começar com milho maduro e de boa qualidade”, diz Hellevang. “Parte do milho na região norte dos EUA congelou neste ano. Estes grãos podem estar um pouco imaturos, com baixo peso e, provavelmente, não serão milhos com chance de armazenamento de longo prazo tão boa quanto a do milho de boa qualidade”.

3 – Seque até o teor certo de umidade

Para armazenagem de grãos de longo prazo, será necessário secar os grãos até um nível menor de umidade.

“Entramos nesta mentalidade de que podemos colocar 15% no silo e tudo bem”, diz Woodruff, mas este não é mais o caso.

“Não dá para derrubar as leis da física no armazenamento de milho, que dizem 15% de umidade ao armazenar até 1º de junho, 14% até a próxima colheita e 13% para guardar por um ano ou mais”, detalha. A 13% de umidade, evita-se o crescimento de mofo, mantendo os grãos em melhores condições.

Nos Estados Unidos, para a soja, será necessário secar um pouco mais. “13% é o que normalmente se faz para armazenamento nos meses mais frios”, explica Hellevang. “Se você estiver entrando em temperaturas de verão, o teor de umidade da soja realmente deve ficar mais próximo de 11%”.

4 – Melhore a aeração

A distribuição adequada de finos com um “spreader” de grãos ou praticando a carotagem repetitiva melhorará a aeração. Um “spreader” de grãos pode ser usado em silos com menos de 14,5 metros para espalhar as partículas finas.

“É importante ter os itens finos espalhados no silo, para que nem todos fiquem no centro”, diz Kerry Hartwig, da Sukup. “O ar é como gente e água: toma o caminho de menos resistência. Se houver muitos finos no centro, ele vai para fora e você fica com muito estrago no meio.”

Para silos maiores, despeje diretamente dentro do compartimento. Então, a cada 3 m a 4,5 m, puxe para fora cerca de 300 bushels de grãos, criando um cone invertido. Este processo é conhecido como carotagem repetitiva e ajudará a remover partes finas no centro.

Depois do final da colheita, empurre os silos com grãos no pico para baixo para que o centro fique logo abaixo do milho na parede, aconselha Woodruff. O grão parecerá com um “M” quando visto de lado. Isso ajuda a levar movimento de ar para o centro e facilita a remoção de materiais finos e estranhos do meio do silo.

5 – Controle a temperatura

A capacidade de controlar a temperatura durante a armazenagem de grãos é crucial, diz Hellevang. “Você deve colocar grãos em um sistema de armazenamento com boa aeração, para poder controlar sua temperatura”, explica.

Outro aspecto importante disso são os cabos de temperatura. “Recomendo ter cabos de temperatura no silo para ter uma maneira segura de monitorar os grãos”, afirma Hartwig.

As recomendações quanto à temperatura exata de armazenagem de grãos são diferentes segundo a região e a estação. “Nas regiões mais ao norte dos EUA, recomendo diminuir a temperatura dos grãos até congelar para o armazenamento no inverno”, conta Hellevang. “Nos estados do sul, nossa meta típica é 4,44°C”.

6 – Mantenha o frio no verão

Há certa discórdia sobre a melhor temperatura de armazenagem de grãos no verão. A recomendação tradicional era de aquecer os grãos a até -12,22°C a -9,44°C da temperatura externa. Nos últimos 20 anos, a recomendação foi de manter os grãos frios, a cerca de 4,44°C, na primavera e no verão. Agora, algumas pessoas sugerem aquecer os grãos até 10°C para armazenamento no verão.

“Se você for vender até 1º de junho, pode deixar os grãos frios”, diz Woodruff. “Se for aumentar a temperatura para vender mais tarde, eu pararia em 10°C a 15,5°C”.

Hellevang recomenda manter os grãos perto dos 4,44°C. “Parte do motivo para a tendência de temperatura menor nos últimos anos é que a infestação de insetos e o crescimento de mofo aumentam nos 21°C a 32°C”, explica. “Se conseguir manter a temperatura abaixo dos 10°C, os insetos ficam dormentes”.

7 – Verifique os grãos frequentemente

A prática recomendada há muito tempo é checar seus grãos semanalmente durante o verão. “A velha história diz que, se você tivesse um silo de 50 mil bushels com US$ 200 mil em um balde de cinco galões no topo, estaria ali três vezes por dia verificando”, compara Woodruff. “Esse é o tanto de dinheiro que está naquele silo e algumas pessoas não checam nem uma vez por mês. É preciso fazer isso toda semana”.

Suba até o topo e, sem entrar, veja se há alguma crosta ou cheiro perceptível. Um aumento na umidade da superfície muitas vezes é o primeiro sinal de problema. Se houver algo de errado, ligue os ventiladores de aeração. Um silo com ventilador de tamanho adequado terá fluxo de ar suficiente para secar uma pequena camada de umidade no topo.

Ao verificar os grãos, colha uma amostra para determinar o teor de umidade, diz Hellevang.

“A única solução real para problemas fora de condição que não são impedidos pela aeração é descarregar o silo até onde os grãos afetados estão e removê-los”, afirma Woodruff. “Isso provavelmente significa que os grãos terão de ser comercializados mais cedo e os de má qualidade podem ganhar lugar no elevador. A prevenção sempre é a melhor resposta.”

Durante o outono, cheque os grãos uma vez por semana. No inverno, você terá uma pausa – só precisa fazer isso durante poucas semanas.

“Quando mudar a temperatura dos grãos no outono, até ter um histórico de como eles aguentam no silo, é necessário checar toda semana”, instrui Hellevang. “Assim que estiver nos meses frios de inverno, as coisas estabilizam e verificar de poucas em poucas semanas é adequado”.

8 – Observe se há insetos

Outro motivo para verificar os grãos frequentemente no verão é a presença de insetos.

“Em temperaturas mais quentes, você pode passar de um a dois insetos para uma grande infestação durante um período de duas a três semanas”, afirma Hellevang. “Se não checar toda semana, não conseguirá tomar as medidas corretivas e acabará reagindo a grandes problemas”.

Woodruff também recomenda armadilhas para insetos. “Se você está guardando grãos até o final do verão, talvez seja melhor colocar armadilhas para ver se há algum”, diz. “Se houver, será necessário tratar os grãos”.

 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink