Ater é tema de seminário na Contag

Agronegócio

Ater é tema de seminário na Contag

“A Ater é a base mais importante das políticas públicas"
Por:
2733 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

O secretário interino da Agricultura Familiar, Everton Ferreira, participou, na tarde desta quarta (21), como palestrante do Seminário para Avaliação do Cenário Nacional de Ater, organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultora (Contag), na sede da entidade, em Brasília. Ferreira representou o secretário especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário, José Ricardo Roseno. 

O painel intitulado “Passado, presente e futuro do financiamento e oferta de serviços de Ater segundo o Governo Federal brasileiro” mostrou números atualizados e perspectivas do setor. De acordo com Ferreira, de 2010 a 2015, o extinto Ministério do Desenvolvimento Agrário, hoje Sead, e o Incra destinaram R$ 2,45 bilhões para Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) de 967.166 agricultores familiares, que foram atendidas por 556 organizações. 

“A Ater é a base mais importante das políticas públicas, pois permite que outras políticas sejam retroalimentadas. Sem a Ater, não temos resultados tão bons”, ressalta. 

Ainda segundo Ferreira, atualmente 245 mil propriedades familiares estão recebendo Ater. Ele confirmou que a assistência técnica continua sendo prestada, de acordo com as últimas chamadas públicas.    

Para o futuro, Ferreira disse que o foco dessa política é a sustentabilidade voltada para as diversas explorações do agricultor. “Queremos trabalhar em conjunto com outras organizações, municípios e estados na operação da Ater. Somente o Governo Federal não conseguirá atender a todos os 4,5 milhões de agricultores familiares”, ressaltou. 

Conforme o secretário de Política Agrícola da Contag, David de Souza, o seminário tem como objetivo aproximar a estrutura da Empresa Brasileira de Pesquisa e Agropecuária (Embrapa) dos agricultores familiares. “A Embrapa tem um papel fundamental no desenvolvimento da agricultura. Mas, historicamente, esteve mais próxima da agricultura comercial”, fala.

Souza acredita que, se o agricultor familiar receber a tecnologia desenvolvida pela Embrapa, juntamente com uma boa assistência técnica, terá condições de produzir melhor, com mais qualidade, e consequentemente melhorará a sua renda e qualidade de vida no campo, além de contribuir para a soberania alimentar do país. 

O seminário vai até a próxima sexta-feira (23) e reúne lideranças da agricultura familiar, técnicos e representantes de entidades prestadoras de Ater dos diversos estados do país. Leia mais aqui.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink