Agronegócio

Aumenta uso de biogás entre produtores

Assim como o biodiesel, a produção de biogás vem ganhando espaço no agroenergético como uma fonte renovável de energia
Por: -Redação
2 acessos

Assim como o biodiesel, combustível proveniente de óleos vegetais, a produção de biogás vem ganhando espaço no agroenergético como uma fonte renovável de energia, principalmente depois do Protocolo de Quioto e pelo Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL). Isso porque o biogás é gerado a partir de resíduos agrícolas presentes nas próprias propriedades rurais, o que resulta em economia para os produtores e diminui o impacto sobre o meio ambiente. O uso e produção de biogás e as melhorias tecnológicas de biodigestores foram temas discutidos no último dia na Conferência Internacional de Agroenergia, que reuniu em Londrina (PR) mais de 800 pessoas, entre especialistas, pesquisadores e estudantes.

Aírton Kunz, pesquisador da Embrapa Suínos e Aves e coordenador do painel, ressalta que o uso do biogás é uma importante fonte na geração de energia elétrica, térmica ou mecânica em uma propriedade rural. “Agroernergia são todas as fontes de energia obtidas a partir das atividades agropecuárias e não se restringe só ao biodiesel. O biogás também é combustível”, diz. Para ele, não se fala muito ainda no potencial que o biogás possui, mas é importante destacar que sua utilização pode auxiliar nas atividades agropecuárias como gerador de energia elétrica e térmica reduzindo os custos de produção para pequenos, médios e grandes produtores rurais.

O biogás é obtido a partir da decomposição da matéria orgânica (biomassa) - produto da desintegração dos resíduos animais e agrícolas. A biomassa é colocada dentro do biodigestor, que por meio da digestão e fermentação das bactérias anaeróbicas é transformada em gás. A composição do biogás é formada principalmente por metano, cerca de 50% a 70% de sua concentração. “O biogás é bem parecido com o gás natural, mas tem uma maior concentração de impurezas. Isso reduz o rendimento, mas não compromete no processo”, completa.

Outra questão que vem sendo discutida é a utilização de biodigestores nas propriedades diminuindo também os custos do processo, e os impactos das emissões de gases no meio ambiente. “A utilização dos biodigestores não resolve o problema ambiental, mas reduz os impactos causados na atmosfera. Os biodigestores são sistemas cobertos, que ao invés de emitir o metano para a atmosfera converte em energia, transformando o metano em dióxido de carbono, que tem impacto 21 vezes menor”. As informações são da assessoria de imprensa do evento.

A iniciativa é da Federação dos Engenheiros Agrônomos do Paraná e Associação dos Engenheiros Agrônomos de Londrina, com o apoio da Embrapa, Governo do Paraná, Iapar, Embratur, Crea-PR, Adetec, Sociedade Rural do Paraná, Londrina Convention & Visitors Bureau, Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina, Sociedade Brasileira de Metrologia, Paraná Metrologia, Mútua, Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná, Sistema Fiep.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink