B3: Cotações do milho fecharam em queda
CI
Imagem: Nadia Borges
BOLSA DE MERCADORIAS

B3: Cotações do milho fecharam em queda

Em Chicago o milho abriu a semana em alta de 1,94% por mais vendas para a China e receio por Ucrânia
Por: -Leonardo Gottems

As cotações do milho fecharam em queda de R$ 2,14/saca no dia e R$ 4,18 na semana na Bolsa de Mercdorias (B3) de acordo com informações da TF Agroeconômica. “Os preços voltaram a recuar nesta segunda-feira, mas os valores destas quedas são cada dia menores. A maioria dos compradores do físico estão abastecidos e esperando apenas a colheita da Safrinha, que parece promissora até o momento”, comenta. 

“Além disso, nova queda do dólar (-1,27%) e a falta de demanda de exportação, com as Tradings totalmente ausentes do mercado spot e só olhando Safrinha, além da maior disponibilidade da colheita da safra de verão, que teve quebras fortes no Sul, mas foram abundantes no Centro-Oeste provocou novas quedas da cotação do milho no mercado futuro de São Paulo. “Com isto, todas as cotações do dia fecharam em queda, pelo segundo dia consecutivo, nesta segunda-feira: o vencimento maio/22 foi cotado à R$ 87,35, queda de R$ 1,82/saca no dia e de R$ 2,54 na semana; julho/22 fechou a R$ 87,39, queda de R$ 1,24 no dia, mas queda de R$ 1,49 na semana; setembro/22 fechou a R$ 87,02, com queda de R$ 0,74 no dia e de R$ 0,37 na semana e o novembro/22 fechou a R$ 89,36 com queda de R$ 0,67 no dia e de R$ 0,34 na semana”, completa. 

Em Chicago o milho abriu a semana em alta de 1,94% por mais vendas para a China e receio por Ucrânia. “A cotação do milho para maio22 fechou em alta de 1,94% ou 14,25 cents/bushel a $ 749,25. A cotação de julho22, importante para as exportações brasileiras, fechou em alta de 2,29% ou $ 16,50 cents/bushel a $ 738,25”, indica. 

“O USDA registrou negócios significativos de exportação para a China, sustentando fortemente os preços. Entre a campanha atual e a nova, vendas de 1,4 milhão de toneladas. A preocupação com a oferta disponível permanece, dados os dados oficiais de menores exportações da Ucrânia. As expectativas de uma área menor a ser plantada nos EUA fornecem suporte adicional”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.