Bahia pode se tornar uma das maiores bacias leiteiras do país
CI
Agronegócio

Bahia pode se tornar uma das maiores bacias leiteiras do país

Secretário de Agricultura afirma que Governo irá lançar programa estruturante do leite no estado
Por:
Secretário de Agricultura afirma que Governo irá lançar programa estruturante do leite no estado

“A Bahia tem potencial para estar entre as maiores bacias leiteiras do país”, afirmou o secretário Estadual da Agricultura, engenheiro agrônomo, Eduardo Salles, no IIIº encontro do Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Leite do Estado da Bahia (Sindileite/Bahia), realizado no Hotel Catussaba, em Salvador. Palestrando para centenas de produtores e laticinistas, ele fez questão de discutir os avanços do setor e fazer uma avaliação do panorama do leite no estado.


“Nós temos o 3º maior rebanho do Brasil, a 7ª maior produção e estamos em 23º em produtividade. Esses números são destoantes. Precisamos qualificar nossos produtores e dar suporte técnico para reverter esse quadro. A Bahia tem um grande potencial leiteiro” avaliou Salles.

O 3º encontro do Sindileite reuniu diversos laticinistas e fornecedores de equipamentos de todo o estado, que se dividiram em stands montados no salão de eventos do Hotel Catussaba para exibir seus produtos. O diretor de Pecuária da Seagri, Luís Miranda, esteve presente e fez uma avaliação do evento.


“Este é um grande evento para a cultura do leite. O que chama atenção é o aumento da oferta de produtos lacticínios em 40%, e principalmente a adesão dos lacticinistas ao Sindileite. Isso mostra que o apoio e incentivo que a Seagri está dando aos microempresários está surtindo efeito” afirmou Miranda. Outro fator positivo ressaltado por ele é o fato de que a cada 100 litros de leite produzidos, a Bahia gera um emprego direto e outro indireto.

Durante os três dias do evento, foram ministradas palestras e mini-cursos de capacitação para os produtores. No último dia, foi assinado o termo de posse da nova comissão de administração do sindicato e simbolicamente a apresentação da chapa eleita que cumprirá o exercício 2012 – 2015. Assumiram, Paulo José Cintra, como presidente, Lutz Viana Rodrigues, vice presidente, Rafael Bruno Teixeira, diretor secretário e Robson Matos Liger, como diretor tesoureiro.


Cintra se diz motivado com os desafios e espera contribuir para aumentar a produtividade leiteira da Bahia. “Estamos passando para o nosso 4º mandato no Sindileite. Esta é a hora de por em prática tudo o que aprendemos nesses últimos anos. Nosso principal desafio é aumentar a produtividade, buscando unir a tecnologia e a assistência técnica para dar suporte ao produtor rural, facilitando o seu trabalho” afirmou ele. Além disso, Cintra concorda com Eduardo Salles na questão de que a Bahia tem potencial para estar entre as maiores bacias leiteiras do Brasil e ressalta ainda um dos principais pólos produtores do estado. “Hoje, já conseguimos ter bacia leiteira em alguns pólos no estado, como Alagoinhas, que produz 18 litros por vaca, enquanto a média nacional é  entre 1,7 e 1,8 litros” disse.

Para o presidente da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), órgão vinculado à Seagri, Paulo Emílio Torres, os agentes de fiscalização têm um papel fundamental nessa questão e principalmente nas questões sanitárias. “Nós estamos aqui com mais de 20 profissionais interligados ao processo e ao Sindileite. Isso mostra a importância que existe entre o sistema agroindustrial e a fiscalização. As questões sanitárias são prioritárias, porque não adianta ter um grande rebanho, uma ótima produtividade e não ter qualidade no produto para o consumidor final” explicou Paulo Emílio.


PLANO ESTADUAL DA PECUÁRIA LEITEIRA – Outro ponto importante para o setor leiteiro na Bahia foi a apresentação do Plano Estadual da Pecuária Leiteira, que visa atingir a auto-suficiência na produção de Leite e promover o desenvolvimento econômico e social da cadeia produtiva na Bahia. O Superintendente de Desenvolvimento Agropecuário da Seagri, Raimundo Sampaio, palestrou sobre o tema e falou da importância do projeto. “Este plano estadual servirá para dar diretrizes para toda cadeia produtiva do estado. Iremos oferecer assistência técnica, infra-estrutura e tecnologia para os produtores de toda a Bahia. Além de palestras, seminários e visitas de intercâmbio” afirmou ele. Já o secretário de Agricultura se mostrou confiante com o projeto. “Este será um projeto estruturante para toda a Bahia” afirmou Salles.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink