Beckhauser comemora 50 anos de história
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,676 (-0,11%)
| Dólar (compra) R$ 5,47 (1,26%)

Imagem: Marcel Oliveira

PARABÉNS

Beckhauser comemora 50 anos de história

Empresa é referência em equipamentos de contenção para pecuária com foco no bem-estar
Por:
36 acessos

Em 2020, a Beckhauser celebra 50 anos de história. A empresa, que é pioneira no desenvolvimento de soluções para o manejo na pecuária na área de contenção bovina, com as comemorações de seu jubileu, inicia agora uma nova era em produção e relacionamento humano. Além da sua nova sede em Maringá (PR), das inovações no processo fabril, a operação traz iniciativas de sustentabilidade e mostra que é mais do que um investimento em novas tecnologias de fabricação de equipamentos de contenção, que reforçam o compromisso da marca com a bandeira do BEAH (Bem-Estar Animal e Humano – termo cunhado pela empresa com a adição do H ao já amplamente utilizado BEA do bem-estar animal, para trazer mais luz à importância do ser humano nesse campo).

“Estamos muito felizes por alcançarmos e comemorarmos os 50 anos de inovação num ano tão desafiador como este. São décadas de uma trajetória de muito trabalho, mas também de muito sucesso, marcado pelo nosso pioneirismo no desenvolvimento de equipamentos de contenção. A razão de existir da Beckhauser é desenvolver e industrializar tecnologia para uma pecuária sustentável e ajudar a nutrir o mundo promovendo bem-estar para seres humanos e animais”, ressalta a presidente da empresa, Mariana Beckheuser.

Marco na história da empresa

Como um marco importante em sua história, a fábrica em Maringá envolveu investimentos da ordem de R$ 12 milhões. Localizada no Parque Industrial Bandeirantes, a planta conta com uma área construída de 4 mil m². Com um layout compacto, toda a produção está alocada em um mesmo nível de piso, possibilitando uma visão sistêmica do fluxo de produção por todos os funcionários, permitindo uma interação e integração de todos os setores da empresa.

O projeto foi concebido após anos de discussão, estudos de localização e de análise de viabilidade financeira feitos com apoio de consultorias especializadas e veio acompanhado por um trabalho de atualização do propósito da empresa, ainda mais alinhado com os conceitos de negócio sustentável (socialmente justo, economicamente viável e ambientalmente correto).

Histórias de vida construídas na Beckhauser

Em seus 50 anos de fundação, há também histórias de colaboradores cujos caminhos se confundem com os da própria empresa. É o caso do líder de prototipagem, Donizete Aparecido Sinhorini, o “Doni” como é chamado pelos colegas, de 59 anos. Atualmente, ele auxilia no desenvolvimento de produtos e protótipos de peças e há 25 anos integra o time da Beckhauser.

“Em 1995 eu transportava carga de carvão e sempre que passava em frente à empresa, em Paranavaí (PR), tinha o desejo de ser funcionário, porque sempre ouvia falar muito bem. Era um sonho meu trabalhar nesta empresa”, conta.

Foi quando ele recebeu uma proposta para ser ajudante de marceneiro, com a missão de auxiliar nas furações da madeira e montagem dos portões dos equipamentos de contenção. “O que aparecia de trabalho, me empenhava em aprender. Também dava suporte nas entregas e cobria folgas dos motoristas de caminhão. Com apenas oito dias trabalhando, me chamaram para fazer a primeira viagem para Sete Lagoas (MG). Foi uma responsabilidade e tanto”, relembra.

Com o passar dos anos, Donizete passou integrar a equipe de feiras e eventos e era o responsável pela organização e montagem dos equipamentos de contenção em exposições pelo Brasil afora. “Sou muito grato pelas oportunidades oferecidas, por poder fazer parte dessa história e estar nos 50 anos da empresa. Antônio e José Carlos Beckheuser foram meus professores e tiveram toda paciência para que eu pudesse entender o que era um tronco de contenção na época. Considero-os como meus amigos”, comenta.

Com tanto amor pelo ofício, “Doni” nem pensa em aposentadoria definitiva. “Quero chegar pelo menos aos 70 anos trabalhando. Eu amo o que faço e a empresa reconhece nosso esforço. Quero ficar na Beckhauser até quando eles me ‘aguentarem’”, brinca.

Quem também começou na Beckhauser auxiliando os trabalhos na marcenaria foi Aparecido Lima de Melo, de 49 anos, que atualmente desempenha a função de mestre de produção e é responsável pela solda. Cido, como também é conhecido, está há 23 anos na empresa e se orgulha por poder fazer parte do jubileu. “É motivo de muita alegria poder participar deste marco. Ao longo dos anos, vi muitas transformações e a Beckhauser ainda tem muito a crescer. É uma empresa que eu admiro muito, amo o que faço e é uma satisfação ver os produtos prontos”, comenta.

O relacionamento do soldador com a Beckhauser começou quando ele trabalhava numa fábrica de carrocerias. “Despretensiosamente enviei um currículo e depois de uma semana fui chamado para integrar a equipe da marcenaria. Fazia a montagem dos portões e pescoceiras dos equipamentos de contenção”, relembra.

Com o passar dos anos, ele recebeu a oportunidade de aprender um novo ofício. “Fiz vários testes na solda e pude aprender uma nova profissão até chegar a mestre de produção. Eles me deram oportunidade e eu abracei. É uma empresa que pensa no lado humano, no bem-estar dos seus colaboradores, não somente no bem-estar animal. A Beckhauser não fica parada no tempo e está sempre procurando evoluir nos seus produtos e no relacionamento com equipe”, pontua.

Trajetória de Sucesso

A trajetória da Beckhauser se funde com a história de pessoas que desafiaram o tempo e trouxeram para a pecuária brasileira novas tecnologias. A empresa teve início na década de 60 quando o casal Arcângelo e Erica Beckhauser se estabeleceu em Paranavaí (PR) e fundou a Marcenaria e Carpintaria Beckhauser, que na época fabricava carrocerias, carroças, armários de cozinha, entre outras coisas. O primeiro tronco de contenção bovino só foi fabricado em 1970, marco da comemoração do aniversário da Beckhauser por ser o produto base até hoje da empresa.

Na década de 80 a história é marcada por um recomeço. José Carlos Beckheuser e seu irmão Antônio Beckhauser assumiram a operação e é registrada a fundação da empresa atual e criação do primeiro cocho de madeira com cunhas (sem parafusos) do Brasil, marco da veia inovadora que até hoje acompanha a empresa.

“Meu pai, Arcângelo, apostou na produção do primeiro tronco de contenção e eu fui o ajudante do marceneiro, Sr. João Maciel. Logo em 1972 veio a primeira inovação do equipamento: a proteção contra coices. A encomenda foi a pedido de um pecuarista visionário de Presidente Prudente (SP), que começou já na época a fazer inseminação e precisava proteger o técnico; nasceu aí a meia porteira de correr que até hoje é usada em muitos equipamentos de contenção no mercado”, relembra o presidente do Conselho da empresa, José Carlos Beckheuser, figura chave dessa trajetória de 50 anos da empresa.

A inovação se tornou uma marca registrada da Beckhauser mais marcadamente na década de 90, a partir do lançamento do tronco Trapézio, que trouxe uma série de novidades, desde o sistema de contenção revolucionário à época até o material do equipamento, primeiro do Brasil a ser fabricado todo em aço, quando no país só se fabricava troncos de contenção em madeira.  Sempre na vanguarda, o conjunto dois-em-um com a balança acoplada ao tronco de contenção foi visto pela primeira vez no mercado brasileiro nesse mesmo equipamento e logo a empresa estendeu a opção a outros modelos.

Daí em diante as inovações não pararam mais. “Somos pioneiros em muitas soluções e tecnologias para o manejo e a contenção bovina no Brasil, tendo como marco na última década a introdução da automação do manejo em currais, lançando em 2006 o primeiro equipamento de contenção automatizado do país. E, nos últimos 20 anos, assumimos de vez o compromisso de agregar valor ao negócio pecuário, da fazenda ao frigorífico, oferecendo soluções inovadoras de contenção, manejo e controle, que melhoram a produtividade com segurança para o homem e para o animal”, reforça Mariana Beckheuser, que em 2018 assumiu a presidência da companhia, como parte de um processo de sucessão estruturado e bem sucedido.

Para ela, as empresas são um elemento fundamental para o desenvolvimento da sociedade. “Temos uma grande responsabilidade, não apenas no que entregamos à sociedade por meio de nossos produtos e serviços, mas também pelo que entregamos através da informação e do desenvolvimento das pessoas que participam do nosso processo. Esse é um valor muito forte na Beckhauser, que vem dos nossos pioneiros e é parte do legado que tenho a missão de continuar.”, pontua.

“Queremos, cada vez mais, fortalecer o sentimento de pertencimento da equipe à nossa história e a tudo que construímos, afinal entendemos que as pessoas são fundamentais para o sucesso do negócio”, completa Mariana.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink